Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

13 sopas frias para levar para a praia (a nossa inspiração para as férias)

1 - O tradicional Gaspacho

Comecemos pelo óbvio. A receita é da famosíssima Martha Stewart.

 

2- Gaspacho de Milho e Tomate Amarelo

Uma versão mais solarenga e com um aspeto delicioso. A receita é deste blog extraordinário.

 

3 - Gaspacho de Melancia Picante

Isto começa a aquecer! A receita original está aqui.

 

4 - Sopa de Ervilhas e Menta

Esta deliciosa receita está no maravilhoso bon appétit.

 

5 - Gaspacho de Tomate e Morangos

Que combinação de sonho! A receita é do excelente spoon fork bacon.

 

6 - Sopa de Pepino com Ervas Frescas

Os ingredientes são básicos, é fácil de fazer e se usar gelo não tem de esperar que arrefeça. Só boas notícias! A receita original está aqui.

 

7 - Sopa de Alho Francês e Grão-de-Bico

Irresistível, tal como o blog da autora desta receita.

 

8 - Sopa de Iogurte com Pepino e Nozes

Já estou a salivar. A receita está aqui.

 

9 - Gaspacho de Cerejas

Há uma linha que separa esta sopa fria de um smoothie… e é muito ténue! Esta ideia genial encontra aqui.

 

10 - Sopa de Beterraba

Adoro a cor. Faz uma vistaça em qualquer mesa! A receita original está aqui.


11 - Vichyssoise de Milho by Gwyneth Paltrow

O nome da autora da receita diz tudo. Temos de experimentar. Se ela faz e tem aquele corpinho, nós copiamos. A receita está aqui.

 

12 - Gaspacho de Abacate

Que ideia maravilhosa! A receita original está neste blog.

 

13 - Gaspacho de Alho Branco

Amêndoas, uvas, mel e iogurte elevam este gaspacho a todo um outro nível. Esta delícia está aqui.

 

Agora o dilema é: qual destas maravilhas levo amanhã para a praia?

Boas férias ou um resto de uma boa semana para quem está a trabalhar (se for o seu caso, não desespere: o fim de semana está a chegar!)

Ela

gin com limão e alecrim para as férias: ontem cheguei a casa e...

...Encontrei isto a boiar na nossa nanopiscina.

Há algum tempo que tivemos de tomar uma decisão importante na nossa vida: visto que temos uma prole do tamanho de uma equipa de futsal, ou íamos para o hotel onde a selecção nacional de futebol faz os estágios – e que já está habituado a arrastões de gente que varrem os outros hóspedes da piscina – ou alugávamos uma casa. Como ainda não temos o orçamento para férias nem os benefícios fiscais da Federação Portuguesa de Futebol (apesar de sermos uma instituição de comprovado interesse público), optámos pela casa. Assim, nós poupamos e a equipa de futsal fica mais feliz – pode levar amigos.

Esta semana, somos oito cérebros enfiados numa pequena quinta perto de Tavira, com um tanque de rega a fazer de piscina. Sempre que chegamos da praia, a equipa de futsal mais os suplentes que vieram connosco quase conseguem esvaziar toda a água do tanque em guerras de "molha, molha" e outras inteligências do género. 

Mas ontem, eles ficaram até mais tarde na praia e, quando eu me aproximei da nossa nanopiscina para aproveitar o sol de fim de tarde, encontrei esta surpresa: um gin tónico Bombay Sapphire com alecrim e limão cuidadosamente preparado por Ela. 

Atendendo à dificuldade de conseguir águas tónicas muito sofisticadas por aqui, a receita foi simples – mas igualmente fantástica. Ela descobriu alecrim plantado no jardim, arrancou um raminho, cortou uma rodela de limão e colocou tudo num copo cheio de gelo. Depois juntou o gin e uma garrafa de água tónica Nordic. O resultado é este: simples e maravilhoso.

Quando a equipa de futsal chegou a casa, depois de uma longa caminhada a pé, ainda veio a tempo de ver o fantástico pôr-do-sol. Mas já não viu nem uma gota de gin.

 

Ingredientes 

- Gin Bombay Sapphire

- Tónica Nordic

- 1 ramo de alecrim

- 1 rodela de limão

- Muito gelo

 

Boas surpresas de férias, onde quer que elas estejam,

Ele

vamos andar por aqui...

Vão ser poucos mas bons. Durante alguns dias vamos estar por estas bandas: Tavira, Cabanas, Cacela Velha. Na minha modestíssima opinião, a melhor zona do Algarve: mais calor, água mais quente e praias mais vazias. Mas só até ao primeiro dia de agosto porque além de não gostarmos de multidões (se bem que por aqui nunca há muita gente) adoro Lisboa em agosto. Por isso, estas praias que se preparem porque a Família Mistério anda por aí, e garanto-vos, a nossa equipa de futsal não passa despercebida.

Boas férias para nós,

Ela

gin tónico com amoras, limão e hortelã para começar as férias em grande

Tenho más notícias para si – e boas notícias para mim. Estamos de férias. Não, não vamos encerrar o blog para descanso do pessoal. Vamos simplesmente torná-lo um bocadinho mais irritante para quem continua a trabalhar no escritório. Mas pense no lado positivo: um dia Vossa Excelência há-de estar de férias e eu hei-de estar a trabalhar. E aí poderá inundar a caixa de comentários aqui em baixo com relatos constantes dos seus dias de praia. 

Vai ser só uma semana e a minha querida Mulher Mistério em breve falará do sítio, da praia e de tudo o mais. Para já, vou falar apenas da minha bebida de boas-vindas ao descanso: um maravilhoso gin tónico com amoras e limão. É mesmo tão bom como parece e tão fácil como promete. Segundo o Spoon Fork Bacon, onde fui buscar a receita, é um gin tónico ao estilo Mad Men. Por mim, até podia ser ao estilo Anatomia de Grey. Desde que seja bom, está óptimo.

 

 

afinal o algarve em agosto é o paraíso

Confesso que sou daquelas que se recusa a ir para o Algarve na primeira quinzena de agosto. Filas para todo o lado, toldos a abarrotar, a ponta da nossa toalha debaixo do chapéu de sol da família ao lado, lancheiras que parecem autênticos frigoríficos, garrafões de vinho (sim, garrafões, já vi), famílias inteiras do bebé à bisavó sentada, muito maçada, numa gigantesca cadeira, a olhar para o relógio, a rezar para se ir embora. Um filme de terror. Até que vi estas imagens das piscinas da China durante o verão. E tudo mudou na minha cabeça. É tudo uma questão de perspectiva. Perante isto, a praia da Quarteira é um resort de cinco estrelas. Por isso, já não está aqui quem falou.

Boa praia ou piscina, se for o caso. E se estiver cheia de gente, lembre-se sempre destas imagens, vai achar que está no paraíso! 

Ela

novidade: as sunset parties chegaram ao alentejo

Uma coisa são as sunset parties do Algarve, com música aos gritos, gente do “croquete” semi-nua, bifes, turistas pé-descalços, concorrentes do Big Brother, atores de novela de décima linha, todos juntos, para ver e ser vistos, ou seja, a visão do inferno. Outra coisa é um sunset na Herdade do Esporão, onde o bom gosto, a boa vista, a boa gastronomia e o bom vinho imperam. Aqui, sim, vale a pena. E o primeiro é já amanhã. A ementa promete, com preços bem razoáveis.

Para petiscar, comece com um cesto de pão alentejano e uma degustação de azeites virgem extra Esporão. Depois desgrace-se com umas chips de batata, maionese de colorau e salsa ou um queijo fresco de cabra com chutney de cogumelos Terrius (ligeiramente mais light) e ainda uma tábua de queijos e carnes curadas.

Pode também optar pelos originais frascos com receitas igualmente surpreendentes: escabeche de codorniz com pickle de uva, beringelas assadas, tomate seco, queijo fresco de cabra, e ainda rillete de porco preto com pickles da horta. Eu, que estou a pensar lá levar o meu Mui Amado Marido Mistério, não vou resistir ao gaspacho com morango e petingas em conserva.

Se ainda tiver espaço, pode terminar em grande com gelados e sorvetes caseiros ou com um mini creme queimado de baunilha e laranja. Tudo isto regado com os vinhos da Herdade do Esporão, a copo, a partir de €1,50 ou uma bela sangria branca ou rosé.

Não perca, até setembro, todas as sextas, sábados e domingos, entre as 19h e as 22h. Mais informações em www.esporao.com. Quem é que disse que o Alentejo não era melhor do que o Algarve?

 

Um ótimo sunset,

Ela

doca de santo: a sophia loren dos restaurantes

A ementa 

Quando juntam, num prato à minha frente, laranja, abacate, queijo feta e tomate cherry, fico radiante. Não sou muito exigente. Adoro esses ingredientes e, então, juntos numa salada, são como o Duarte e Companhia: complementam-se como ninguém. Se, por cima disto, ainda colocar um pouco de alface, é imaginar o Lúcifer a juntar-se ao grupo. A Salada Doca, na esplanada do restaurante Doca de Santo, em Lisboa, não é nada de imensamente espectacular. É simplesmente boa. E isso é tudo o que se pode exigir aqui.

Não espere comida fabulosa nem um ambiente refinado. Imagine uma esplanada decente, junto ao rio, onde se paga €9,90 por uma salada. Não é um sítio do outro mundo. Mas não é um lugar onde não se queira voltar nunca mais na vida. É um restaurante mais ou menos. E isso, às vezes, dá jeito.

No couvert, vem um pão de passas bom, um pão de sementes razoável e um pão de sementes de sésamo bonzinho. Ao lado, há uma manteiga de pacote decente e umas azeitonas que foram a primeira desilusão da tarde – são tão más como à partida parecem ser.

Ultrapassado isso – afinal de contas, é um detalhe – chegou a segunda desilusão da tarde. E esta não se pode dizer que seja rara: não havia Coca-cola. Só Pepsi. A sério?! Eu adoptei uma nova e inteligente (pelo menos, era o que eu pensava) estratégia neste ponto. Não bebo. Se não tem Coca, não quero Pepsi. Prefiro água. Assim, gasto menos – pode ser que o restaurante aprenda. No entanto, a tremenda inteligência da estratégia barrou na básica inteligência do restaurante: uma água é mais cara do que uma Pepsi. De certa forma, percebo. Afinal de contas, água é muito melhor do que Pepsi...

O serviço 

Há três tipos de pessoas: os optimistas, que vêem o copo sempre meio cheio; os pessimistas, que vêem o copo sempre meio vazio; e os realistas, que vêem que alguém vai ter de lavar o copo. É claro que eu estou do lado da máquina de lavar. Por isso, depois de olhar para a ementa de saladas, hambúrgueres e afins, preocupei-me apenas com o importante: ser atendido de forma competente. Foi o que encontrei aqui. A empregada não falhou, não demorou mas não deslumbrou. Foi eficaz. Cumpre os mínimos olímpicos.

O bar 

Um fim de tarde de calor e um copo de gin na mão é tudo o que um homem precisa para ser feliz. E aqui isso é possível. O Gin Club, o mesmo do Sushi Avenida, tem aqui um gin corner, que é como quem diz um pequeno bar no meio da esplanada. Nas noites quentes, é o sítio perfeito para vir beber um copo antes de sair para jantar. Os gins são óptimos e o serviço especializado. Quando lá estive, algum tempo antes deste almoço, tinha um ligeiríssimo problema: um acordo de exclusividade com a Schweppes para o fornecimento de águas tónicas. Convenhamos que num bar especializado em gin não é uma grande ideia – especialmente quando a Fever Tree tem tónicas excelentes. É como o problema da Coca-cola e da Pepsi. Mas, neste caso, ainda não arrisquei beber o gin com água Castelo.

 

O ambiente 

O espaço é engraçado e está num sítio óptimo: as docas de Lisboa. Tem alguns detalhes interessantes: colunas de ardósia com sugestões escritas a giz, ventoinhas penduradas no tecto e enormes janelas abertas. Apesar do calor, estava uma temperatura agradável na zona coberta da esplanada. No entanto, há que reconhecer com alguma frontalidade que tudo isto já foi mais surpreendente há uns anos. E isso nota-se: as cadeiras de palha pretas estão um bocadinho a atirar para o velhotas e as outras, que vão alternando nas mesas com diferentes cores ou padrões floridos, vão dando alguma vida ao espaço. No entanto, não se percebe bem se estão ali de propósito, para ajudar a decorar, ou simplesmente para substituir as cadeiras pretas que já estão impróprias para consumo. 

No fundo, o Doca de Santo é um bocadinho a Sophia Loren dos restaurantes: já foi uma bomba, mas os anos passaram e as operações plásticas não resolveram tudo. Qualquer pessoa percebe que já teve o seu tempo.

 

O bom 

A salada Doca

O mau 

A decoração recauchutada

O óptimo 

O bar de gin

 

Um abraço para a Sophia Loren, onde quer que ela esteja,

Ele

era uma casa muito engraçada...

"Esqueçam Ibiza ou a Riviera", "esqueçam até todo o Mediterrâneo", as praias realmente "gloriosas" estão no Alentejo. Quem o diz é o conceituado jornal britânico The Guardian neste artigo bem simpático sobre a costa alentejana. E quem somos nós para contrariar uma publicação de tamanho prestígio? Por isso, se ainda não marcou as suas férias, siga o conselho do The Guardian e "vá para fora cá dentro", um slogan cada vez mais na moda, sobretudo quando olhamos para o assalto à mão armada que sofrem os nossos recibos de ordenado no final de cada mês. O The Guardian sugere a região, e eu sugiro o alojamento: espreite o facebook da Casa na Costa Alentejana e vai encontrar estas fotos.

É uma típica casa de férias alentejana no campo e na praia. Sem vizinhos nem casas à volta, tem vista de mar e de campo e uma decoração simples, colorida e acolhedora. Pormenores como almofadas, cestos, rede exterior e outros detalhes fazem deste refúgio um local de onde não apetece sair, nem para as maravilhosas praias da Costa Vicentina. O alpendre exterior serve de sala no verão onde se pode aproveitar o melhor das férias: o calor, um copo de vinho branco gelado, um mergulho na piscina à noite, os jantares com amigos, e sobretudo, não ter de olhar para o relógio.

Com capacidade para 10 pessoas, com sala de estar com lareira, sala de jantar e cozinha integrada, 4 quartos, 3 casas de banho, piscina, alpendres e banquinhos exteriores, esta casa é ideal para um grupo de amigos. Tem ainda limpeza disponível, o que, em tempo de férias, é muito agradável. Se quiser saber informações de preços e disponibilidade, tem de mandar um mail para casacostaalentejana@gmail.com ou ligar para o +351962021293.

Boas férias, se for o seu caso, ou boa semana de trabalho, se for o meu caso :(

Ela

cuscuz de frango, tomate, orégãos e cajus para levar para a praia (e só demora 7 minutos a fazer)

Estava eu calmamente a planear mais uma salada para levar para a praia este fim-de-semana quando levei com a notícia de chapa: vêm aí mais uns dias que vão transformar Portugal numa pequena Lapónia. Até sábado, despeça-se emotivamente de 5 graus celsius que decidiram deixar-nos a caminho do Norte de África.

Perante esta hecatombe meteorológica, guardei a alface e a rúcula no frigorífico e decidi preparar alguma coisa leve, portátil, para levar para a praia quando o tempo está de Outono. Cuscuz. É rápido, é fácil, é saudável e não é tão leve que nos deixe com frio ao fim da tarde. Aproveitei um resto de frango da véspera e coloquei o avental. Depois fui buscar uma embalagem de cuscuz médio (é importante a grossura do cuscuz porque os muito pequenos ficam mais empapados). A partir daqui, foi rápido.

Piquei uma cebola e fiz um refogado com azeite (não coloque muito para não ficar enjoativo quando o comer frio). Quando a cebola estava dourada, deitei o frango lá para dentro e temperei com sal e pimenta em grão. Depois despejei dois copos de água a ferver para dentro da panela. Quando a água levantou fervura, desliguei o lume e deitei quatro tomates em cubos e dois copos iguais de cuscuz. Mexi duas ou três vezes, tapei a panela e fui olhar para o céu para ver se via no horizonte o anticiclone dos Açores. Dois minutos depois voltei à cozinha. Mexi mais uma vez e tirei o cuscuz da panela para uma taça onde arrefeceu ao ar livre. Antes de servir, pus por cima umas folhas de orégãos e uns cajus partidos. É um óptimo almoço para um dia de praia. E os miúdos adoram.

Quando preparo a lancheira, ponho seis copos de plástico e seis colheres de sopa. Na praia, sirvo o cuscuz nos copos e misturo os cajus e os orégãos no momento. Eu sei que tudo isto dá um ar um bocado cromo – a família numerosa à volta da lancheira a comer cuscuz de copos de plástico... – mas já há uns anos que desisti dos hambúrgueres hiper-calóricos e das sanduíches mega-gordurosas que se vendem na praia. Prefiro levar de casa alguma coisa saudável e rápida de fazer. Este cuscuz levou sete minutos a preparar. E não sobrou um grão para contar a história. Nem deste prato que preparei (e devorei) antes de sair de casa.

 

Ingredientes para 6 bocas famintas 

- 2 copos grandes de cuscuz

- 2 copos iguais de água a ferver

- 1 cebola picada

- 3 bifes de frango

- 4 tomates aos cubos

- Azeite

- Cajus

- Orégaos

- Sal

- Pimenta em grão

 

Um bom fim-de-semana de praia para si onde quer que esteja,

Ele 

a mesa com a melhor vista para um óptimo jantar a dois

Tenho de confessar: levar-me a entrar num restaurante que se chama Paradigma é quase tão difícil como fazer-me correr a ultramaratona Oh Meu Deus, na Covilhã. O problema não está nos 160 quilómetros, está no nome. Gosto de nomes simples e reveladores. Foi por isso que não chamei Acheropita a nenhuma filha nem Nacrotério a nenhum filho. Preferi chamar-lhes simplesmente... bem, é melhor ficar por aqui.

Ultrapassado o problema do nome, entrei no restaurante em Cascais mais ou menos como o Rui Reininho entrou no The Voice no último domingo: abananado e contrariado. Mas, ao contrário do Reininho, só precisei de uns minutos para me recompor.

 

O ambiente 

Infelizmente íamos em família. E digo infelizmente não por estar com qualquer tipo de overdose infantil. Digo porque as melhores mesas do restaurante são mesas para dois. Ficam na varanda, protegidas por uns enormes arcos que transformam cada mesa num pequeno spot privado. E além disso é um spot ao ar livre. E além disso é um spot com uma vista deslumbrante sobre a praia, as casas senhoriais e a baía de Cascais quase até Lisboa. É, sem qualquer hesitação ou margem de dúvidas, uma das melhores mesas da Estremadura portuguesa. 

Foi no momento em que vi estas mesas que apaguei da memória o nome do restaurante e o logótipo estilo Nelita Noivas que está gravado num vidro à entrada.

A decoração é ligeiramente sóbria demais para o meu humilde gosto. No entanto, há outras coisas boas, além das mesas na varanda. O restaurante tem dois andares: em baixo está um bar, com uma simpática lista de gins e cocktails; em cima está o restaurante, com a tal vista para a baía. No meio, há uma mesa de mistura que, aos fins-de-semana, é comandada por um DJ convidado. Por isso, prepare-se: o Paradigma (aiiiiiiii, que até custa a dizer o nome!) não é só um restaurante.

O bar 

Tem uma parte com mesas e cadeiras e outra com bancos altos. Mais uma vez, a decoração não é muito o meu género, mas as janelas gigantes que abrem para a baía são suficientes para me fazer abstrair do resto. As cores e o espaço estão óptimos. Mas é tudo um bocadinho moderno demais (umas molduras sem quadros?!) e artificial demais (uma simulação de lareira a gás?!), o que torna o espaço pouco acolhedor. Mas esse é o único defeito do Paradigma. De resto, o bar é fantástico e serve óptimos cocktails. E mais: tem 35% de desconto em todos os cocktails todos os dias entre as 18h e as 20h e, às terças-feiras, entre as 18h e as 2h da manhã.

É claro que começámos pelo andar de baixo, onde eu bebi um gin tónico e Ela uma caipiroska. Reconheço que eu fiquei melhor do que a minha querida Mulher Mistério – a caipiroska estava forte demais. Ainda tentou juntar-lhe água, mas não resultou.

A ementa 

As entradas

No restaurante, a fasquia subiu como a Apolo 13 a caminho da Lua. Pedimos algumas entradas e dividimos por todos. E, meus senhores, preparem o babete porque a comida aqui é de babar. Já estou aqui com o dicionário de sinónimos para conseguir descrever bem aquilo que provámos. Primeiro, um divinal tártaro de salmão com puré de manjericão e tapenade de azeitona. O que é que é aquela mistura entre o frutado do puré de manjericão e o salgado da tapenade de azeitona, meu Deus?! Perfeito. 

Depois, o ambiente arrefeceu um pouco com uns bons tacos de atum braseado com salteado de legumes. Nesta fase e depois do tártaro, uns tacos de atum simplesmente bons não eram suficientes. Discretamente, tirei bastante mais do prato do tártaro do que do prato do atum. Acho que, até hoje, Ela ainda não percebeu.

Os pratos principais

Aqui fizemos o pleno. Ela optou por um bacalhau delicioso e eu pedi a garoupa escalfada em manteiga de lima com puré de ervilhas e cubos de morcela de arroz. Senhoras e senhores, apresento-lhes um prato maravilhoso. Muitíssimo bem cozinhada, mesmo no ponto, a garoupa separa-se em finas lascas tão brancas como a camisola do homem da Olá. O puré de ervilhas é suave e encantador (e olhem que eu não sou grande fã de ervilhas) e os cubos de morcela de arroz... bem... vale mesmo a pena dizer mais alguma coisa?

As sobremesas

E, quando pensámos que já nada mais era possível, eis que nos chegam à mesa, pedidos pela equipa de futsal uns mini-cornetos de Nutella com Peta Zetas. Não há descrição para a simplicidade e a surpresa deste prato. Só precisa de juntar um cone estaladiço, Nutella e Peta Zetas. Ainda tenho de experimentar fazer isto em casa...

O serviço

Impecável. Como bem notou a minha querida Mulher Mistério, os empregados são novos e "nada de se deitar fora". Simpáticos e sempre atentos, cumpriram a sua missão com distinção.

Por tudo isto, se quer uma sugestão para um destes dias de calor que ainda se encontram por aí, faça o que lhe digo: meta-se no carro, percorra os mais de vinte dolorosos quilómetros de auto-estrada até Cascais e sente-se numa das mesas da varanda em cima da baía, ainda com a luz de fim de tarde, enquanto bebe um gin tónico. Depois jante e acabe com um corneto de Nutella e Peta Zetas. Encontramo-nos lá esta quinta-feira? 

 

O bom 

A comida

O mau 

O nome

O óptimo 

A vista

 

Um bom paradigma para si, onde quer que esteja,

Ele

alguém me explica...

...porque é que restaurantes de topo, como o Sal, na Praia do Pego...  

...que têm apoios de praia em sítios espectaculares...

...servem caipirinhas com gelo em cubos?

E eu que queria tanto aproveitar uma óptima caipirinha com gelo picado enquanto via um pôr-do-sol assim...

Uma boa caipirinha para si, onde quer que o gelo picado esteja,

Ele 

15 sanduíches diferentes e originais para levar para a praia ou para o trabalho

Ideias compiladas pelo maravilhoso Buzz Feed, fantásticas para levar para a praia ou... (snif, snif) para o escritório.

 

1. Queijo de cabra + nozes + mel + manjericão

Consegue fazer em menos de cinco minutos. Encontra a receita original aqui.

 

2. Húmus + abacate + pimentos vermelhos + queijo feta

Deliciosa e saudável. Veja aqui a receita.

 

3. Pimentos vermelhos + rúcula + queijo de cabra

Esta é ótima para crianças. Se eles não gostarem de rúcula, pode usar espinafres também. Espreite a receita.

 

4. Maionese + tomate + sal + pimenta

O segredo desta sanduíche está na escolha de um suculento tomate. Veja aqui a receita original.

 

5. Queijo creme + vegetais (cenoura, pepino, abacate e tomate)

Não se prenda à receita. Ponha os vegetais que encontrar no frigorífico e faça mil e uma combinações. A autoria é da Martha Stewart.

 

6. Manteiga de amendoim + bananas + mel

Como diria a nossa equipa de futsal: “que mel!” Espreite a receita aqui.

 

7. Ricotta + cenouras + pimentos + bróculos

Dica: experimente pôr os bróculos congelados no micro-ondas em vez de os cozer.

A receita está aqui.

 

8. Queijo creme + pepinos

Se usar queijo creme light, posso considerar dieta, ou não? Veja aqui a receita original.

 

9. Feijões + abacate + tomate + espinafres

Com um wrap é mais saudável, mas também fica ótimo com pão. Espreite aqui a receita.

 

10. Ovo + abacate + iogurte grego + mostarda

Que delícia. É uma das minhas preferidas. Aqui encontra a receita original.

 

11. Queijo creme + pimentos vermelhos + alface

A simplicidade desta receita deixou-me de boca aberta.

 

12. Abacate + alface + tomate + maionese

Não, não é preciso pôr bacon. Veja como se faz aqui.

 

13. Queijo cheddar + maçã + mostarda

O ideal é fazer com pão de noz. Yammi! Veja a receita original.

 

14. Queijo cottage + amoras + canela

Outra tentação! Descubra como se faz aqui.

 

15. Queijo de cabra + vegetais

A maravilha desta receita é que pode usar os restos dos legumes do dia anterior.

 

Boas férias, se for o caso,

Ela

 

um jantar rápido para comer sozinho/a à frente da televisão

Com uma família numerosa, há muito tempo que não sei o que é estar sozinha à noite em casa, esparramada no sofá a ver uma maratona de séries. Saudades desses tempos. Não me queixo. Tenho uma vida fantástica, mas, às vezes, sonho com uma noite em que o comando da televisão é meu. E descobri a receita ideal para me acompanhar nessa noite de sonho: quiche numa caneca feita no microondas (este é o momento em que o meu querido Chef da Casa e Marido Mistério entra em choque… um prato feito no microondas????? Numa caneca? Sim, qual é o problema?) Confiem em mim porque, primeiro, sou muito prática e, segundo, adoro comer. Por isso, aqui fica a receita.

Ingredientes (para uma pessoa, claro)

  • 1 ovo
  • 1 colher e meia de sopa de leite
  • Sal
  • Pimenta preta
  • ¼ de bagel ou ¼ de uma baguette
  • 2 colheres de chá de queijo creme
  • ½ fatia de presunto ou fiambre
  • Folhas frescas de tomilho ou cebolinho fresco
  • Mostarda Dijon

 

Bata o ovo e o leite com um garfo na caneca. Acrescente sal e pimenta para dar sabor. Desfaça o bagel ou a baguette em pequenos pedaços (do tamanho de uma moeda de dois cêntimos). Mexa bem. Junte o queijo creme e misture tudo novamente. Corte o presunto ou o fiambre em pedaços muito pequenos. Acrescente à mistura. Junte também o tomilho. Leve ao micro-ondas, na máxima potência, durante 1 minuto e dez segundos. Finalize com um bocadinho de mostarda Dijon e uma ou duas folhas de tomilho ou cebolinho. E já está! Fácil, não é? Até para mim! E o autor da receita garante que são apenas 200 calorias! E se ele diz, quem sou eu para duvidar?

É ou não o prato perfeito para quem está sozinho em casa em frente à televisão?

 

Boa semana,

Ela

 

receita e foto: Bill Hogan/Chicago Tribune/MCT

vai ser tão bom, não foi?

Senhoras e senhores, apresento-vos o iate Highlander. Este barco de sonho foi comprado pelo magnata Malcolm Forbes (dono da revista Forbes) em 1986 que, durante anos, convidou o poder do mundo para passar aqui uns dias. O poder do mundo e não só, porque o poder da música e do cinema também era presença habitual neste luxo flutuante. Realeza, homens de estado e celebridades cruzavam-se nestes decks e reuniam-se, conspiravam, divertiam-se ou passavam aqui uns dias de férias, longe dos olhares indiscretos dos jornalistas ou dos fãs enlouquecidos. Mick Jagger, Paul McCartney, Margaret Thatcher, Ronald Reagan, Príncipe Carlos, Robert de Niro, Harrison Ford, Elizabeth Taylor, só para citar alguns, dormiram aqui.

Agora, está à disposição de qualquer um de nós. Só precisamos de uma conta bancária recheada de euros. E o que é isso para nós, pobre povo asfixiado pela troika? Pois roam-se de inveja: tenho o prazer de anunciar que vai ser aqui que a Família Mistério vai passar as próximas férias. Isto porque o meu querido Marido Mistério já me avisou que vamos ganhar o Euromilhões. Com uma certeza tal que quem sou eu para duvidar? E como sou uma mulher obediente, até ligeiramente submissa, já estou a tratar de tudo. Como? É fácil: é só pagar 160 mil euros, e todo este luxo é nosso por uma semana. O que é isso para um Euromilionário?

O Highlander tem 6 quartos, heliporto e jacuzzi exterior num dos decks. Está preparado para receber 12 convidados que serão servidos por 11 tripulantes. Está à nossa espera no Mediterrâneo mas se a profecia do meu dileto Marido Mistério só se concretizar no inverno, estará no Mar das Caraíbas preparado para o nosso embarque. A Edmiston, a empresa que está explorar o Highlander, apostou na total renovação do iate, preservando toda a traça antiga e o seu legado. Nicholas Edmiston explica: "Este iate é icónico, recebeu algumas das pessoas mais importantes do mundo, só a sua história é razão suficiente para atrair potenciais clientes, mas muita gente não vai resistir a todos os seus luxos e vai querer receber aqui os amigos, tal como Forbes fez nos finais dos anos 80".

E atividades não faltam. Se os convidados se sentirem maçados porque estão fartos de apanhar sol nos decks, ou das bolhas do jacuzzi, ou de beber desalmadamente no bar, o iate tem ainda vários desportos aquáticos à disposição. O Highlander tem dois barcos pequenos para explorar a costa ou para fazer kneeboarding, wakeboarding ou até mesmo uma louca viagem de banana insuflável. Há ainda equipamento de mergulho, de snorkelling e material de pesca. O iate pertence atualmente ao financeiro norte-americano Roberto de Guardiola que o comprou em 2012, depois da família Forbes ter posto vários bens à venda. Ainda bem que é um mãos-largas e não se importa de o partilhar com futuros euro-excêntricos como nós...

Eu já tenho as malas prontas. Já confirmaste o talão do Euromilhões, meu querido Marido Mistério?

Bom domingo,

Ela

salada rápida de frango, queijo e maçã para levar para a praia

É o costume. Está bom tempo. É preciso ir para a praia. Aproveitar o dia. Cada minuto de sol. E não está nada pronto. Stress. De um lado, Ela grita com as crianças. Do outro, é o caos: os miúdos não encontram as raquetes, as miúdas não conseguem decidir que biquíni vestir. Há peças de roupa a voar. Toalhas no chão. Havaianas espalhadas pela casa. Não há tempo para preparar nada civilizado para comer na praia. A Família Mistério vai acabar a almoçar uma sanduíche a saber a frigorífico comprada num barraco qualquer da Caparica.

Vai?!

Ia! Se não houvesse uma solução de último recurso.

Enquanto a casa estremece com as discussões e as portas a bater, eu escapo para a cozinha e lavo umas folhas de alface e outras de rúcula. Corto seis tomates. E duas cebolas roxas às fatias fininhas. Uma bola de volley de praia faz-me uma razia à testa. Finjo que não aconteceu nada. Tiro do frigorífico quatro bifes de frango da véspera. Tempero-os com sal e pimenta. Passo-os por um grelhador. Três minutos depois, corto-os aos bocados. Alguém pergunta onde é que puseram a toalha preferida. Pego em quatro maçãs. Corto-as também às fatias fininhas. Junto tudo num tupperware. Despejo lá para dentro umas nozes e um resto de queijo picante de Castelo Branco ralado grosso. Ouço mais duas portas baterem com estrondo. Tempero tudo com azeite, vinagre balsâmico e geleia de agave.

Quando Ela entra na cozinha com um ar furioso, a perguntar porque é que eu não estou pronto à porta de casa, já eu tenho a lancheira às costas:

- Vim aqui só buscar uma coisa de que me esqueci...

Saímos sem ninguém perceber que, afinal, vamos dispensar as sanduíches a saber a frigorífico. Em compensação, temos uma salada decente, com um óptimo contraste entre o doce da maçã e o picante do queijo. A geleia de agave faz as vezes do mel e não engorda tanto (sempre preocupado com Ela...). Os miúdos adoram – e eu sobrevivo.

 

Ingredientes 

- Frango

- Alface

- Rúcula

- Tomate

- Cebola roxa

- Maçã

- Nozes

- Queijo picante de Castelo Branco

- Azeite

- Vinagre balsâmico

- Geleia de agave

 

Uma boa praia para si onde quer que esteja,

Ele

Pág. 1/2