Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

e agora algo completamente diferente...

 

Alguém me pode responder a uma pergunta simples e directa? Porque é que em todos os concertos em Portugal as meninas que sentam as pessoas passam o espectáculo inteiro, histéricas, a correr de um lado para o outro da sala a impedir as pessoas de tirarem fotografias com os telemóveis? Eu compreendo o drama dos direitos de autor e percebo perfeitamente que se combata a pirataria ilegal. Mas alguém acha que uma pessoa com um telemóvel, sentada na última fila da sala, vai recolher imagens para as vender? Alguém acredita que os minivídeos gravados da plateia com um smartphone servem para produzir DVDs piratas do espectáculo que depois serão vendidos por fortunas no mercado negro? Alguém está convencido que as fotografias têm qualidade para reprodução na imprensa?

Durante anos foi proibido filmar e fotografar nos concertos para defender os direitos de autor. E durante anos isso fez sentido. Mas entretanto o mundo mudou, o Steve Jobs inventou o iPhone, o Mark Zuckerberg criou o Facebook e toda a gente tem um telemóvel, uma câmara fotográfica e uma conta numa rede social. Tudo no mesmo aparelho. Isso não transforma os espectadores de concertos em perigosos assassinos dos direitos de autor. Transforma-os apenas em clientes que estão a gostar de um espectáculo e que gostariam de partilhar uma fotografia desse momento com os amigos. É assim tão difícil de perceber?

 

Ele