Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

9 alimentos que tem de ter em casa para fazer uma dieta sem glúten

Não há volta a dar. Não preciso de estudos científicos. Não preciso de saber que a Victoria Beckham e a Gwyneth Paltrow seguem uma dieta sem glúten. Sempre foram escanzeladas, cá para mim cortam no glúten e em todos os alimentos. Mas a verdade é que a proteína que encontra no trigo e no centeio transformou-se no inimigo público número 1 de quem, como eu, quer emagrecer. Dizia eu que não preciso de estudos científicos porque vi com os meus próprios olhos. Tenho vários amigos meus que cortaram o glúten da alimentação e os resultados são de facto impressionantes. Alguns estão metade do que eram. Que inveja!

Vai-me custar horrores, porque adoro pão, por exemplo, mas o que tem de ser tem muita força e eu vou conseguir.

Para compensar o glúten, há alimentos fundamentais, com todos os nutrientes e vitaminas necessários, para garantir o bom funcionamento do seu organismo. A Marie Claire britânica consultou vários nutricionistas e fez uma lista essencial do que deve ter em casa se quiser iniciar uma dieta sem glúten.

alimentos_2.jpg

 

1. Iogurte grego

Comecemos pelas boas notícias, pelo menos, para mim, porque eu adoro iogurte grego. Mas tem de ser o iogurte grego natural porque uma dieta sem glúten não pode ter aditivos. O iogurte grego natural, além de ser uma importante fonte de proteína, só tem dois ingredientes: leite e culturas de iogurte, por isso, yes we can.

 

2. Batata doce

Outra ótima notícia. Pois é, a batata doce não tem glúten e é deliciosa. Por isso, use e abuse da batata doce para acompanhamento e não só. Também pode e deve comer feijão.

 

3. Abacate

Além de ser um ótimo exemplo das chamadas “gorduras boas”, uma nutricionista garantiu à Marie Claire que, se comermos um abacate por semana, ajuda a equilibrar as hormonas e a prevenir o cancro do colo do útero.

 

4. Ovos

Além de serem uma ótima fonte de proteína, a gema é rica em vitamina D, um nutriente essencial. E depois, convenhamos: os ovos são bons de todas as maneiras: quentes, mexidos, estrelados, enfim. Podia comer ovos durante uma semana que não enjoava.

 

5. Farinha de arroz

É uma boa alternativa à farinha comum, sobretudo se adora pão e costuma fazer em casa. Também pode usar para fazer bolos ou para engrossar sopas ou molhos, por exemplo.

 

6. Quinoa

É um ótimo substituto da massa às refeições e do pão ao pequeno-almoço. Como tem uma digestão lenta, vai sentir-se saciado durante mais tempo.

alimentos_abre.jpg

7. Nozes

Ricas em ómega 3, ajudam a aumentar a capacidade intelectual. Por isso é que eu, na altura dos exames, encho os nossos filhos de nozes. Tal como a quinoa, também têm uma absorção lenta o que é ótimo para enganar a fome.

 

8. Óleo de coco

Logo depois de o ingerir, o óleo de coco é convertido em energia no seu organismo, tal como os açúcares e os hidratos, só que o óleo de coco não aumenta os níveis de insulina, logo o risco de lhe apetecer um doce é muito menor.

 

9. Peixe

Quando corta o glúten da sua alimentação, é importante compensar com gorduras saudáveis que proporcionem energia e nutrientes ao seu organismo. O peixe, sobretudo o salmão, é rico em ómega 3, por isso, é fundamental neste tipo de dietas.

 

Vamos começar esta dieta? Quem alinha comigo?

 

Boa sorte para mim,

Ela

 

fotos: marie claire 

 

3 comentários

Comentar post