Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

il matriciano, un ristorante italiano dove non si parla portoghese*

"Prima si sente, dopo si mangia". Pode estar descansado que não vou escrever este texto todo em italiano. É só o lema deste simpático restaurante italiano que nos faz sentir que fomos almoçar ali a Roma e entretanto voltámos.

Chegámos e rapidamente percebemos que nenhum dos empregados fala uma única palavra de português. Não deixa de ter um certo charme mas convenhamos que, se não fosse a minha brilhante linguagem gestual, ainda lá estava a pedir o número de contribuinte na fatura. Mas já lá vamos. Vamos começar pelo princípio…

12087192_830414190420752_1731586265579235998_o.jpg

 

novidade! novidade! o páteo do petisco vai abrir um novo restaurante junto à praia do guincho, em cascais

image.jpeg

Começou com um pequeno pátio no bairro da Torre, em Cascais, depois expandiu-se para o Mercado de Cascais, logo a seguir para o Palácio do Chiado, em Lisboa e, agora, vai chegar à Areia, perto da praia do Guincho.

O quarto espaço do Páteo do Petisco vai ocupar o lugar do antigo Rola na Areia, no Clube D. Carlos, ao lado do Parque de Campismo, perto do Guincho. Com uma simpática esplanada e um espaço agradável, ideal para as crianças correrem e brincarem, o novo restaurante vai chamar-se Páteo do Guincho e tem tudo para ser mais um sucesso.

 

chama-se el clandestino e é um dos mais surpreendentes restaurantes de lisboa (então os churros com doce de leite...)

1797363_191550921184167_6852656135133351019_n.jpg

Há restaurantes para onde convém levar sempre uma camisolinha às costas por causa do frio; outros onde não se pode entrar sem um leque por causa do calor. No El Clandestino, não se esqueça de levar o megafone. Isto se quiser conviver verbalmente com os seus companheiros de mesa sem mal-entendidos. Entre música, gritos e gargalhadas das mesas à volta, fica difícil proferir qualquer palavra sem acabar a noite a falar como o Marlon Brando, no Padrinho.

Desde que abriu, em Novembro de 2015, que o El Clandestino se tornou um dos restaurantes mais procurados do Bairro Alto, em Lisboa. E isso tem consequências – o barulho e a confusão – mas também tem causas. E é para falar delas que estamos aqui hoje.

 

a melhor salada de polvo do país está na costa alentejana, à frente de um pôr-do-sol único

20160911_151715 (1).jpg

Se eu fosse o Luís Pereira de Sousa, diria que este é um dos segredos mais bem guardados de Portugal. Mas como não digo, já tem menos um nome na bolsa de apostas para adivinhar a identidade deste seu pequeno Amigo Mistério. Seja como for, não estamos aqui hoje para falar de apresentadores de televisão dos anos 80 nem de bigodes farfalhudos à Zé Gato; estamos aqui, solenemente sentados à frente deste modesto computador, para falar da melhor e mais deliciosa salada de polvo do país. Que, por acaso, fica numa das melhores praias do país. Onde, por acaso, se vê um dos mais deslumbrantes pores-do-sol do país.

Agora que a expectativa está criada, posso finalmente fazer a revelação: estou a falar da salada de polvo do Bar dos Tigres, na praia Aberta Nova, em Melides, na costa alentejana. Mas o que é que pode tornar uma simples salada de polvo num fenómeno gastronómico tão relevante para a nação, pergunta muito avisadamente V. Exa.? O tomate descascado, respondo eu. Mas antes vamos a um breve intróito.

 

um dos restaurantes com mais charme do algarve: pizzas, ceviches e petiscos feitos com produtos da horta

10268439_707588315949126_9006329272073939266_n.jpg

Este é um restaurante de detalhes. Primeiro a localização: estamos no meio de um pinhal, rodeados de árvores, pinhas e caruma, uma das paredes é totalmente feita de vidro – nos dias de vento está fechada, nos dias de calor está toda aberta, é como se estivesse a jantar no meio do pinhal. Depois a decoração: tudo foi pensado, desde a manteiga embrulhada em papel vegetal aos talheres entregues dentro de baldes de latão, passando pelas latas de conservas onde é servido o couvert. Finalmente a comida: o atum vem do mercado de Olhão, o patê é caseiro, a focaccia é cozida num forno a lenha à nossa frente e alguns dos ingredientes vêm da horta do hotel.

Mas há mais.

 

madmary, o almoço que acabou antes de começar

image.jpeg

Desde o dia em que, aos 9 anos, decidi lavar um quadro dos meus pais com uma inovadora mistura de água com lixívia que não via um tão fulminante arregalar de olhos. A experiência aconteceu na novíssima padaria de Lisboa, orgulhosa detentora de um dos mais adequados nomes da restauração lusitana. O MadMary Cuisine é uma mistura de padaria com restaurante de refeições rápidas e leves para o almoço.

 

o restaurante com os petiscos mais surpreendentes do porto (como a flor eléctrica que lhe deixa a boca dormente e provoca uma explosão de sabores)

12049625_1713463788884158_1108327523691820493_n.jp

Não sei bem porquê, mas depois de ver o Éder aniquilar as esperanças francesas, num gélido Stade de France, no domingo, achei que o Cruel era o melhor restaurante para se jantar esta semana.

Este novo restaurante da baixa do Porto, aberto há menos de um ano, é um sítio fantástico para comemorar com os amigos um feito futebolístico histórico. Não só por causa do magnífico nome (que, ainda por cima, se escreve da mesma forma em português e em francês), nem sequer por ter uma ementa perfeita para dividir uns petiscos deliciosos, nem ainda por ter o mesmo chef do fantástico Cantina 32 (pode conhecer aqui o melhor cheesecake da cidade), mas, acima de tudo, por causa da flor eléctrica.

E é aqui que temos de fazer uma pequena pausa: a flor eléctrica dá pelo nome de Sichuan e merece ser apresentada a todo e qualquer ser humano que goste de comer. Trata-se de uma flor comestível que, ao ser trincada, provoca uma dormência na boca, dando a sensação de quase paralesia. O que acontece é que ao provar os alimentos, depois de mastigar esta flor, os sabores vão explodir na sua boca, alterando radicalmente o paladar. A sensação é única e absolutamente imperdível. Mas, antes de continuarmos nesta senda restaurante-candomblé, convém falar um bocadinho do espaço.

 

e quando o melhor hambúrguer de lisboa se junta à melhor esplanada de lisboa, isso é...

13339610_520593914799637_2405695578904028687_n.jpg

Vem uma pessoa, num lindo dia de sol, preparada para esplanadar e acaba a abarrotar. E porquê? Porque não é fácil resistir aos encantos da Wagyu. Não estou propriamente a falar da última ninfa da mitologia grega, mas sim da melhor e mais saborosa carne do mundo. E é esta carne que pode encontrar dentro de duas fatias de pão de hambúrguer, na magnífica esplanada do Atalho Real, no meio de um jardim cheio de árvores, num lindo dia de sol.

Mas antes de falarmos de carne, vamos ao sol.

 

quer conhecer o dona quitéria, o restaurante que eddie redmayne escolheu para jantar em lisboa?

Sou provavelmente uma das maiores fãs do Eddie Redmayne. Acho-o um poço de talento, giro, humilde, simpático e muito boa pinta. Tem aquele ar de aristocrata inglês que nem o príncipe William (colega de escola do ator) consegue ter. Por isso, fiquei em estado de choque quando descobri que o premiadíssimo ator esteve em Portugal e que não nos cruzámos por... por... alguns meses. Sim, infelizmente, estivemos no Dona Quitéria, no Príncipe Real, uns meses antes de Eddie Redmayne, que foi lá jantar na sexta-feira passada, para provar os petiscos tipicamente portugueses desta antiga e castiça mercearia.

13263711_1747003465544518_3945955407296172192_n.jp

 

este é um dos melhores restaurantes do porto (e tem um dos melhores bolos de chocolate do país): chega para o fazer ler este texto?

13177246_1213513578661913_4681491030137366550_n.jp

Há alguma coisa melhor do que um restaurante onde se come maravilhosamente? Há! Um restaurante onde se come maravilhosamente por um preço simpático. E, neste caso, quando falamos de simpático não falamos de sorrisinhos na cara – falamos de sorrisinhos na carteira.

A Casa de Pasto da Palmeira, em plena Rua do Passeio Alegre, no Porto, é isso tudo: um restaurante com uma comida maravilhosa e surpreendente, com uma esplanada mesmo de frente para o Douro e com preços tão baixinhos como a perna esquerda do Marques Mendes. O culpado de tudo isto chama-se João Pupo Lameiras e, aos 30 anos, é já, para mim, um dos melhores chefs portugueses.

 

 

novidade! novidade! abriu ontem o novo terraço de lisboa mesmo em frente ao tejo (para beber um copo ou para petiscar)

Sem nome.tiff

É terraço, é bar, é restaurante e dá para petiscar. A última grande novidade de Lisboa é o novíssimo terraço do magnífico restaurante Rio Maravilha. Abriu ontem e fica, no Lx Factory, mesmo de frente para o Rio Tejo e para a ponte 25 de Abril. Todos os fins-de-semana, vai haver música cool com DJ ao fim da tarde e, à noite, a festa prolonga-se no bar do restaurante.

 

3 novos restaurantes saudáveis e surpreendentes: só com comida ao vapor, vegetariana ou sem glúten nem lactose

19444290_nWOT2.jpeg

Estou de castigo. Depois de ontem ter dado aqui esta dica genial para transformar os seus ovos estrelados num jantar de sonho, com azeite, batatas fritas e outras desgraças, a minha querida Mulher Mistério obrigou-me a escrever um texto inteiro só a falar dos novos restaurantes saudáveis de Lisboa.

Não são propriamente restaurantes detox, só com saladas verdes e sumos imbebíveis, mas são restaurantes de comida saudável: sem glúten, sem lactose, vegetariana ou cozinhada ao vapor. E com uma outra vantagem: servem também comida deliciosa. Mas, como diria o grande Odorico Paraguaçu, vamos deixar os entretantos e partir para os finalmentes.

 

mercearia do miguel, um recanto de charme escondido em frente ao douro para um almoço leve de verão

13174170_878179328959674_5886985518600458529_n.jpg

Convém começar este texto pelas evidências: chama-se Mercearia do Miguel porque, em primeiro lugar, é uma mercearia e, em segundo lugar, o dono chama-se... Nuno. Calma, não entre já em modo Indignação-Bruno-de-Carvalho. É claro que há um sócio. Que se chama: Teresa.

Na verdade, o Miguel foi o primeiro proprietário da mercearia fundada em 1958. Agora, Teresa e Nuno recuperaram o velho espaço e transformaram-no numa mercearia pequena e cheia de charme que também tem umas mesas para quem quer comer qualquer coisa leve: três na sala minúscula e mais três na esplanada microscópica. Mas é precisamente o facto de aqui tudo ser praticamente em miniatura que transforma a Mercearia do Miguel num sítio encantador e carregado de charme onde se pode petiscar alguns pratos simples feitos com o que está à venda: saladas, tostas, bruschettas, queijos, presuntos, enchidos ou uns deliciosos bolos caseiros que podiam perfeitamente ter sido feitos pela minha saudosa tia Zulmira.

 

dois.três.três, o novo restaurante com pratos sem glúten e sem lactose para almoçar em lisboa

12994400_1523712481270987_5384421675921399206_n.jp

A sensação que temos quando entramos no dois.três.três é que estamos a entrar em casa de uma amiga. O ambiente familiar conquista-nos ao primeiro olhar. Confesso que, distraída como sou, já tinha dado duas voltas ao quarteirão e nem tinha dado pelo restaurante. O dois.três.três, que abriu há cerca de um mês, é precisamente o número de uma porta discreta na rua Silva Carvalho. Mas depois de desesperar à procura de lugar para o carro, acabei por estacionar no parque do Espaço Amoreiras, não muito longe do restaurante.

 

 

o novo pap'açorda: é aqui que come a melhor mousse de chocolate e alguns dos melhores petiscos típicos portugueses

842896_508517802522615_79791724_o.jpg

Quando chega ao novo Pap'Açorda, no Mercado da Ribeira, em Lisboa, a primeira coisa que encontra é uma enorme parede e dois vidros, sem qualquer porta de entrada. A segunda é o ex-secretário de Estado das Obras Públicas de José Sócrates, Paulo Campos. Eu sei que tudo isto pode ser pretexto para não entrar, mas faça um esforço: aqui comem-se alguns dos melhores petiscos portugueses, como a açorda de gambas, a canja de rabo de boi, os carapauzinhos marinados ou a divinal mousse de chocolate.

Mas antes, vamos às dicas. Para evitar a figura pouco recomendável da minha querida Mulher Mistério a tentar empurrar um enorme vidro como se fosse uma porta misteriosa, dirija-se à área central da entrada: aquilo que parece uma parede preta é, no fundo, uma gigantesca porta giratória.

Para evitar ex-governantes, dirija-se ao bar e peça um gin tónico. Pelo caminho, repare no fantástico espaço do novo Pap'Açorda.