Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

a maneira mais saudável de comer massa (e não vou falar de espiralizadores)

Cá em casa adoramos o spaghetti de courgette ou de batata doce espiralizados. Mas é preciso reconhecer que pegar numa courgette, lavá-la, descascá-la e espiralizá-la não é propriamente a coisa mais rápida do mundo. Além disso, o sabor é delicioso, mas não é massa. É muito mais leve e muitíssimo mais aguado do que um spaghetti normal.

Pois bem, meus caros senhores e minhas prezadas senhoras, tenho um anúncio a fazer: há uns dias, descobri a massa que vai tornar a minha querida Mulher Mistério na Gisele Bündchen da Madragoa e a barriga deste pobre rapaz que lhes escreve nos abdominais de um autêntico Ronaldo da Mouraria.

Estão preparados? Então vamos a isso: este pobre casal está encantado com as maravilhas do spaghetti de feijão preto. Trata-se de uma massa fininha e elegante feita exclusivamente com feijão preto transformado em farinha. Depois acrescentam água para formar os fios de massa. Só estes dois ingredientes, mais nada. E, além disso, encontrei um spaghetti de feijão preto que é de produção orgânica. 

Outra grande vantagem: este spaghetti vem pronto e embalado e só precisa de seis minutinhos de cozedura, como se fosse uma massa fresca normal.

30706917_2013149282239067_1794658127652585472_n.jp

 

O sabor é delicioso e não tem qualquer suspeita de feijão. A consistência não é tão dura como a de um spaghetti normal, mas fica al dente se não passar dos cinco minutos de cozedura. E depois não enche. É incrível como podemos comer uma pratada de massa parecendo que acabámos de comer uma salada de alface. 

A grande vantagem desta massa está na quantidade alucinante de fibra – seis vezes mais do que um esparguete normal – e na quantidade de hidratos de carbono – quase metade do que o esparguete normal. Além de ter praticamente mais quatro vezes proteínas. É tudo isto que torna esta massa muitíssmo mais saudável do que a massa normal. E mais dietética também. 

Nós provámos ainda um fusilli feito de grão-de-bico que as crianças aprovaram, mas que eu achei que sabia demasiado a grão. E estou morto por provar as massas feitas de quinoa que a revista Time diz serem as que mais se aproximam da consistência da massa normal – no caso do spaghetti de feijão preto é preciso ter cuidado para não o cozer demais se não fica muito empapado.

Todas estas massas já estão à venda nas áreas saudáveis de alguns grandes supermercados ou em mercearias biológicas como o Celeiro.

Ontem fizemos cá em casa um divinal spaghetti de camarão e abacate com salicórnia e um molho light com azeite e alho. Hoje vou experimentar esta incrível receita da Ceres Organics, uma loja online de produtos biológicos.

17990936_1394278853966369_4100031515068264058_n.jp

Ingredientes

  • 200 g de spaghetti de feijão preto
  • 100 g de nozes
  • 1 chávena de coentros, manjericão e salsa picados
  • 60 ml de azeite
  • 15 g de flocos de levedura nutricional (se não quiser uma receita vegan, pode substituir a levedura nutricional por queijo parmesão ralado)
  • 1 dente de alho
  • Sumo de 1 limão
  • 300 g de cogumelos laminados
  • Flor de sal e pimenta preta a gosto

 

Comece por cozer o spaghetti em água e sal, seguindo as instruções da embalagem. Se gosta da massa al dente, siga sempre o tempo mínimo recomendado. Enquanto isso, triture num liquidificador as nozes com os flocos de levedura nutricional (ou o queijo ralado), os coentros, a salsa, o manjericão, o azeite, o alho e o sumo de limão até ficar com um creme suave. 

Agora só precisa de saltear os cogumelos, num wok grande, com um fio de azeite, flor de sal e pimenta preta moída no momento, durante uns minutos – eu gosto dos meus cogumelos rijos, por isso não costumo deixar mais de três a quatro minutos. Quando os cogumelos estiverem ao seu gosto, desligue o lume e junte a massa cozida e o molho pesto de nozes. Envolva tudo muito bem e corrija os temperos. Depois é comer. Vai ver como não se arrepende.

 

Um óptimo jantar para si onde quer que o spaghetti esteja,

Ele

 

fotos: max sportceres organic

 

1 comentário

Comentar post