Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

a nova tragédia da rua das flores: um bar de queijos para acabar as tardes em beleza

10387399_476948779112130_9020314102769445080_n.jpg

Sai do trabalho com este tempo miserável e tem duas hipóteses: enfia-se em casa a preparar-se para mais um dia de trabalho enquanto ouve Gloomy Sunday; ou enfia-se na nova Queijaria, a provar algumas das 45 variedades de queijos artesanais com um bom copo de vinho à frente. Vamos lá ser sinceros: ninguém se quer enfiar em casa a ouvir a música mais triste do Mundo, pois não? E se este tempo o leva para a tragédia, mais vale que seja uma tragédia calórica: pelo menos sabe bem...

O assunto é sério: a Queijaria é a primeira loja em Portugal 100% dedicada aos queijos artesanais. O assunto é óptimo: além de loja, a Queijaria também é bar. Mas o assunto também é triste: a Queijaria abriu em Agosto e nós só lá fomos agora – foram três meses desperdiçados a comer queijo flamengo quando poderíamos ter estado a comer um gorgonzola artesanal vindo directamente de Itália.

1012093_474913192649022_5776826313326096953_n.jpg

O ambiente 

Estivemos à espera de um dia de frio, chuva e chatices no trabalho para nos enfiarmos na Queijaria. Eu fui buscá-La ao escritório a tiritar de frio e acelerei furiosamente até à Rua das Flores. À entrada, dei logo de caras com a zona da mercearia, onde há marmelada branca de Odivelas, manteiga de ovelha de Serpa, pêra rocha em vinho do Porto e uma quantidade grandota de tostas e bolachas: das mais fininhas às mais saborosas, com passas ou outros extras.

10590425_445250302281978_3919619202681010243_n.jpg

10646944_445250758948599_6324796185795228643_n.jpg

Foi por aqui que eu comecei a minha expedição, enquanto Ela se dirigia impacientemente para o bar. Um pouco mais à frente, está a sala fria dos queijos, onde há várias marcas – portuguesas e internacionais – e onde pode provar e escolher quais quer comprar.

10424306_470452476428427_8746867483328281227_n.jpg

10403272_452059641601044_6907596973771638836_n.jpg

Na outra ponta deste pequeno centro comercial do queijo, fica para mim a melhor zona de todas: um bar para comer queijo enquanto bebe um bom vinho ou uma cerveja. A Queijaria está num antigo edifício recuperado de Lisboa. E o que é que isso quer dizer? Tal como Marcelo Rebelo de Sousa, aqui eu faço a pergunta e dou a resposta: isso quer dizer que tem uns antigos arcos romanos no tecto, colunas de pedra no meio da sala e janelas sem vidros entre as várias divisões. A decoração é sóbria e elegante – o único detalhe que me pareceu ligeiramente demasiado prafrentex foi uma parede decorada com um enorme filme de fotografias de produção de queijo a preto-e-branco.

10251994_473108886162786_6243815352362063654_n.jpg

Os queijos 

Na sala dos queijos há uma mesa para provar antes de comprar. A ideia não é ir à Queijaria para comprar um queijo inteiro – até porque os preços não são propriamente baratos. A ideia é escolher um bocadinho de vários e trazer um saco cheio para fazer também uma degustação em casa. É claro que, enquanto Ela já estava sentada à mesa com um copo de vinho do Porto branco na mão, eu provava e pedia para embalar um delicioso Taleggio (um queijo italiano mole e com um sabor forte que custa €31/kg), um maravilhoso Gorgonzola (que parece manteiga derretida) e um divinal Manchego, com 16 meses de cura, por €40,25/kg (e que não tem nada a ver com os Manchegos que se compram nos supermercados). E (Marcelo Rebelo de Sousa versão 2) porque é que não tem nada a ver com os Manchegos dos supermercados? Porque aqui os queijos são comprados directamente aos afinadores que cuidam da maturação de cada queijo e lhes dão um sabor especial, diferente de tudo aquilo a que estamos habituados. 

10365742_473821592758182_4465828938378423654_n.jpg

Feita a encomenda para levar para casa, refastelei-me ao lado Dela e à frente de uma tábua de cinco queijos (€14,70). Nesta fase do lanche abanquetado, já Ela tinha absorvido várias fatias de umas finíssimas tostas, de um pão branco e de um pão escuro incrivelmente mole, juntamente com um queijo creme (€2,50).

947241_462150817258593_4768352865136689516_n.jpg

Além de ter vindo com uma óptima selecção de queijos – do menos forte para o mais intenso – a tábua que pedi veio com umas nozes simpáticas e com uma fantástica descoberta: uns morangos desidratados que são uma experiência imperdível para cortar de forma suave o salgado do queijo (não se vende em Portugal, a Queijaria importa os morangos de Espanha). Ao lado vieram umas óptimas uvas brancas sem grainhas. 

1610782_452057911601217_858702363302822223_n.jpg

Depois de ter provado o Porto branco, oferecido com a tábua de queijos, pedimos dois copos de vinho branco (€3,50 cada) que ligaram lindamente com os queijos (os donos aconselham a degustação com branco em vez de tinto e têm toda a razão do Mundo). É claro que os dois copos se transformaram em quatro e a degustação de fim de tarde virou um verdadeiro jantar. 

10801565_476947479112260_1724515027224529144_n.jpg

O serviço 

O espaço é gerido por dois irmãos. Aquele que nos atendeu é de uma simpatia sem limites. Adora conversar e contar histórias e fala dos queijos com a mesma paixão com que o António Costa fala do Rui Rio. Enquanto provávamos a nossa tábua, veio várias vezes à mesa perguntar se estava tudo bem, se estávamos a gostar ou se precisávamos de alguma coisa. 

Agora vou ali ao frigorífico que ainda tenho um Fourme d' Ambert (€29,95/kg) que sobrou.

 

O bom 

O espaço e os arcos no tecto

O mau 

Não estar aberto à noite

O óptimo 

A qualidade e a variedade de queijos

 

Bom queijos para si onde quer que esteja,

Ele

 

fotos: queijaria

_________________________

Queijaria

Rua das Flores, 64 Lisboa

3ª a 5ª das 13h às 22h; 6ª e sábado até à meia-noite

213 460 474

9 comentários

Comentar post