Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

a rota gastronómica de mick jagger

Aos 70 anos, o vocalista dos Rolling Stones ainda arrasa num palco, faz suspirar gerações e movimenta multidões com uma genica impressionante. Mas sobretudo sabe o que é bom (e o que está na moda) e tem aproveitado o melhor que Lisboa tem para oferecer, desde que aterrou na terça-feira ao fim da tarde, na capital, para o concerto mais aguardado do Rock in Rio. Do aeroporto de Figo Maduro, foi direto ao Station onde esteve a petiscar com o cantor canadiano Bryan Adams. Um encontro de titãs que pôs o restaurante-bar de Tó Ricciardi em polvorosa.  

Mas se pensa que o homem (que, segundo o senso comum, seria considerado "um idoso") foi descansar para o hotel, está muito enganado. Mick Jagger seguiu para a Casa de Pasto, também na zona do Cais do Sodré, onde tinha encontro marcado com a fadista Ana Moura. O jantar que decorreu numa sala privada do restaurante começou por volta das 21h30 e só acabou perto das duas da manhã. Mick Jagger comeu peixe-espada preto e bebeu cerveja e não resistiu às sobremesas: pão de ló, mousse de chocolate e pudim abade priscos, que acompanhou com um vinho abafado de cinco anos da Quinta da Alorna. Um detalhe: os proprietários chegaram a sugerir fechar o restaurante, mas o vocalista dos Rolling Stones recusou.

No dia seguinte, na noite de quarta-feira, o vocalista dos Rolling Stones mostrou mais uma vez que está muito bem informado sobre onde comer e bem em Lisboa: desta vez, optou por comida tradicional portuguesa e foi até ao bairro de Alvalade, ao Salsa e Coentros, um delicioso espaço de dois amigos, com a maravilhosa e divinal escola da Adega da Tia Matilde. Também aqui esteve discreto, acompanhado de dois seguranças e de alguns membros do staff da banda. Comeu filetes de pampo, arroz de perdiz e bolo de chocolate. E mais uma vez optou por cerveja e dispensou o vinho.

Até à hora de fecho deste post, ainda não se sabia onde Mick iria almoçar no dia do concerto, mas a avaliar pelas escolhas anteriores, será certamente um bom restaurante. Depois de se encher com tanta e boa comida portuguesa, o vocalista dos Rolling Stones está pronto para arrasar hoje à noite no Parque da Bela Vista.

Um bom concerto para quem vai,

Ela

 

2 comentários

Comentar post