Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

como fazer as sardinhas grelhadas perfeitas segundo o chef nuno mendes

Cada vez que algum britânico pensa em comida portuguesa, sonha com Nuno Mendes. Chef do novíssimo Mãos e do Taberna do Mercado, ambos em Shoreditch, Londres, Mendes é uma referência da cozinha internacional. Já ganhou uma estrela Michelin, sempre viveu no estrangeiro, é presença habitual em alguns dos mais prestigiados jornais internacionais, tornou-se uma lenda para várias estrelas internacionais, mas nunca deixou de falar de Portugal.

Todos os seus restaurantes em Inglaterra têm nomes portugueses e, no início deste ano, lançou em inglês o maravilhoso livro Lisboeta onde conta as maravilhas da comida portuguesa e partilha as suas receitas favoritas. É claro que nós já comprámos essa preciosidade e, lá no meio, encontrámos uma fabulosa e obrigatória receita de sardinhas assadas. Em véspera de Santo António, é isto mesmo que vou fazer hoje cá em casa. 

373037.jpg

A maior surpresa da receita é a forma como o chef prepara as sardinhas. Vamos lá saber: qual é a maior chatice de uma sardinha assada? As espinhas, claro. Pois bem, como em criança Nuno Mendes se engasgou com uma espinha, não faz as sardinhas inteiras, como é tradição em Portugal. Primeiro, corta-as ao meio e retira-lhes as espinhas, depois recheia-as com folhas de louro, casca de lima e limão e talos de coentros picados. Só então é que as sardinhas vão a assar na grelha.

No final, acompanham com uma divinal salada de pimentos assados com cebola e um molho de azeite, salsa e coentros. Mas o melhor é ver a receita e depois comprar o livro que é inacreditável, com histórias magníficas, receitas divinais e fotos deslumbrantes de Lisboa.

lisbo.jpg

 

Ingredientes

  • 1 cebola cortada fininha
  • 1 molho pequeno de coentros
  • 1 molho pequeno de salsa
  • Raspas de meio limão
  • 3 colheres de sopa de azeite extra-virgem
  • 2 pimentos verdes
  • 2 colheres de chá de vinagre de vinho branco
  • 4 sardinhas bem gordas
  • 4 folhas de louro
  • 4 tiras fininhas de raspa de limão
  • 4 tiras fininhas de raspa de lima
  • 4 fatias de pão torrado
  • Flor de sal
  • Pimenta preta moída no momento 

 

Comece por colocar a cebola cortada numa taça com sal grosso. Depois cubra-a com água e deixe assim uns minutos para que o sabor não fique tão forte.

Noutra taça, junte as folhas de coentros picadas (guarde os talos que ainda vai precisar deles) com as folhas de salsa também picadas, as raspas de limão, flor de sal e pimenta preta moída no momento. Acrescente o azeite e misture bem até ficar com uma pasta.

Mal o molho estiver pronto, pode aquecer a grelha e assar os pimentos. Se quiser, siga esta dica para lhes tirar a pele mais facilmente. Depois de estarem arrefecidos e descascados, retire-lhes as sementes e corte-os em tiras fininhas. Junte-lhes a cebola escorrida e tempere com o vinagre de vinho branco e umas colheres de sopa do molho de salsa e coentros que preparou. Deixe a marinar enquanto faz as sardinhas.

E, para isso, só precisa de as rechear com uma folha de louro, uma tira de raspa de lima, outra de limão e uma parte dos talos de coentros picados. Tempere com flor de sal e pimenta. Depois pincele a pele das sardinhas com azeite e salpique com flor de sal.

img_797x448$2018_01_05_17_38_34_277092.jpg

Grelhe as sardinhas durante três a quatro minutos, sem as deixar secar, e sirva-as por cima do pão torrado e barrado com a pasta de salsa e coentros por cima. A acompanhar, a salada de pimentos, claro!

Oh, meu Deus que eu já estou a babar! O melhor é ir para o churrasco.

 

Umas óptimas sardinhas para si onde quer que o Nuno Mendes esteja,

Ele

 

receita: nuno mendes; fotos: andrew montgomery / lisboeta