Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

como servir um jantar à downton abbey

Sempre que vejo o Downton Abbey, fico com uma inveja enorme daquelas personagens. Dos que vivem em cima, obviamente. Imagino a canseira que deveria ser a vida desta gente, nesta altura, no princípio do século XX. Ser acordada pela minha criada pessoal, ser vestida e penteada por ela, dez vezes ao dia: toilette para a manhã, traje para passear, roupa para montar, vestido de noite para o jantar. Adorava ter vivido nessa época nem que fosse por uma semana… ou por uma tarde, vá: vestir a pele de lady Mary Crawley!

E aqueles jantares? O meu querido Marido Mistério contorce-se no sofá da sala de tanta inveja. O sonho dele não era ser o Lord Grantham mas ter um Carson. Aquele mordomo é bom demais para ser verdade: sofre mais pelos patrões do que os próprios e consegue ser mil vezes mais snob do que os habitantes do andar de cima.

Pois bem, resolvi fazer uma surpresa ao meu querido Marido Mistério, pesquisei, pesquisei e pesquisei e encontrei um manual de instruções com tudo o que preciso para dar um jantar digno de Downton. Digam lá se não é um guia extraordinário? Desde as regras de etiqueta à disposição da própria mesa, passando pela forma como se devem dobrar os guardanapos, pela arrumação dos convidados e pela seleção dos aperitivos, vinhos e digestivos. Há ainda um guia de boas maneiras para os empregados servirem decentemente e outro para os anfitriões se comportarem corretamente.

Depois de ler isto tudo, estou pronta para receber a rainha de Inglaterra cá em casa. Só me falta o mordomo. E o criado de libré. E um pormenor ou outro. Não faz mal. Mascaro a nossa equipa de futsal et voilá: regressámos ao início do século XX. Se recusarem, é fácil: basta uma leve ameaça de apreensão de telemóvel que os ponho rapidamente em sentido, mais direitos que o próprio Carson.

Bom fim de semana,

Ela

 

8 comentários

Comentar post