Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

está aberta a discussão: será que provei os melhores pastéis de nata de lisboa? (o melhor é voltar lá para confirmar...)

10363336_666293130124728_8559188593685118034_n.jpg

Um preto de cabeleira loira?! Um branco de carapinha?! Uma manteigaria que não faz manteiga?! Não venho aqui, a esta hora da manhã, para falar do saudoso restaurador Olex que tantos cabelos ressuscitou por esse país fora. Estou aqui para falar da manteigaria que não faz manteiga. Mas, em compensação, faz alguns dos melhores pastéis de nata que esta placa dentária já mastigou.

 

12096635_897589253661780_7418504325522929021_n.jpg

Os pastéis de nata

O caso é sério. É muito sério. É ultra-sério. É seríssimo. (E, se calhar, ficava por aqui...) Os pastéis de nata da Manteigaria estão entre os melhores pastéis de nata do País. Eu estou tão dividido com estes deliciosos bolos que vou ter de voltar de emergência aos pastéis de Belém para tirar as teimas sobre qual é o vencedor. Se calhar, é melhor voltar também à Aloma. E à Biarritz. E à... ok, eu paro. 

10675789_691776930909681_2700040844032430017_n.jpg

O que para aqui interessa é que os pastéis de nata (€1) da Manteigaria são obrigatórios e deliciosos. Primeiro, porque são servidos ainda mornos e acabados de sair do forno. Depois, porque a massa é leve e estaladiça, dividindo-se em pequenas lascas a cada trincadela (bastante mais leve do que a dos Pastéis de Belém). Finalmente, porque o recheio é cremoso, não muito doce e até ligeiramente mais líquido do que habitualmente, o que torna tudo mais suave e delicado. Para mim, a única reclamação é que, quando eu lá fui, os pastéis estavam todos pouco queimados – e eu gosto deles mais bem passados.

10521199_692134997540541_5365334056732715430_n.jpg

Provei o meu (ok, admito, os meus: comi dois!) com canela por cima e um descafeínado (€0,70) ao lado (a idade já não permite cafeína a partir de uma certa hora). E essa foi outra surpresa: ao contrário de 90% dos espaços a que eu já fui na minha curta vida de descafeinómano, aqui o descafeínado é tirado com espuma, quase como se fosse um café (confesso que nunca percebi a incapacidade nacional de tirar descafeínados decentemente).

Se quiser, há ainda cappucinos, chás e ginjinha (algo obrigatório para uma pastelaria em pleno Chiado, onde metade dos clientes são turistas).

10734232_747870001967040_3530943904502003676_n.jpg

O ambiente

É difícil encontrar ambiente num corredor da largura dos ombros do Manuel Marques. Que nem sequer tem mesas nem espaço para uma casa-de-banho. Na Manteigaria, é frequente encontrar filas de clientes que se estendem pela rua quase até ao Bairro Alto – não tanto por estar com centenas de pessoas à espera de um pastel de nata, mas antes porque não cabem lá dentro duas equipas de futebol. O único espaço que existe para saborear o seu delicioso pastel de nata é à frente de um balcão com dois palmos de profundidade. Se a Manteigaria estiver vazia, pode comer o seu bolo ao balcão. Se estiver com quatro famílias lá dentro, já vai ter de comprar, pagar e ir saborear o seu pastel de nata para o largo em frente.

Se não fosse a falta de espaço, o ambiente estaria aprovadíssimo: a cozinha fica aberta para o corredor através de um enorme vidro, o que permite aos clientes verem os pastéis a serem preparados ali à frente. À porta, há um sino que dá para a rua e que é tocado de cada vez que sai uma nova fornada de pastéis de nata.

No entanto, não tenha muitas ilusões: enquanto eu lá estive a saborear os meus dois pastéis de nata, o sino foi tocado duas vezes para chamar os clientes da rua – mas eu não vi nenhuma fornada a sair.

10478434_826690587418314_8435512515837827511_n.jpg

O serviço

Foi simpático, rápido e educado, mas fui pouco antes do almoço, quando o espaço estava praticamente vazio.

 

O bom

O serviço

O mau

Não ter casa-de-banho

O óptimo

Os pastéis de nata

 

Um óptimo pastel de nata para si onde quer que esteja,

Ele

 

fotos: manteigaria

 

Nota: Todas as despesas das visitas efetuadas pelo Casal Mistério a restaurantes, bares e hotéis são 100% suportadas pelo próprio Casal Mistério. Só assim é possível fazer uma crítica absolutamente isenta e imparcial.

22 comentários

Comentar post

Pág. 1/3