Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

farfalle de cogumelos boletus com camarão, tomate cherry e azeite de trufas

O que é que se passa com a televisão portuguesa às segundas-feiras à noite? Qual foi a ordem divina que proibiu os canais do cabo de terem um programa a partir das dez da noite que não envolva três homens, muitos gritos e um único tema: bola. Não é que eu não goste de futebol. Mas uma coisa é gostar de futebol, outra é gostar de ruído. E se as camisas do Manuel Serrão sozinhas já são ruído, as camisas do Manuel Serrão ao lado da barriga do Eduardo Barroso e da voz do Fernando Seara são uma trovoada em cima da minha cabeça. Por isso, eles começam a gritar na televisão e eu começo a cozinhar ao fogão. Foi isso que aconteceu ontem à noite. E foi graças aos três que comi um delicioso farfalle de cogumelos boletus com camarão, tomate cherry e azeite de trufas. De facto, o desespero obriga-nos a puxar pela imaginação.

Tudo começou com a prateleira gourmet do Lidl de que já falei aqui e que costuma ter óptimos produtos a preços baratíssimos. Este farfalle, comprado a 1 euro e que dá para quatro pessoas, estava na despensa à espera da primeira segunda-feira à noite em casa. Foi ontem. E correu bem.

Comecei por cozer a massa enquanto passava os camarões no wok por azeite virgem, alho picado, flor de sal, pimenta e um pouco de azeite de trufas. Quando os camarões começaram a deixar de ficar transparentes, juntei o tomate cherry e o manjericão. Mexi uma ou duas vezes e desliguei para não desfazer o tomate.

Entretanto, a massa já estava a ficar al dente. (E aqui é preciso fazer este parêntesis: por tudo quanto é mais sagrado, não deixe a massa e os camarões cozinharem demais porque vai estragar-lhe o jantar. Tal como o Manuel Serrão fica melhor calado, os camarões ficam melhor rijos e a massa solta e escorregadia). Tirei-a da panela e passei-a por água fria para não continuar a cozinhar. A seguir, juntei a massa no wok e aqueci tudo com mais um pouco de azeite de trufas para dar o sabor final. E foi assim que, enquanto três especialistas discutiam um lance de um jogo de futebol, eu consegui fazer o nosso jantar. Quinze minutos dão para muita coisa. 

 

- 500 gramas de farfalle de cogumelos boletus

- 300 gramas de miolo de camarão congelado

- 1 caixa de tomate cherry

- 6 dentes de alho

- Manjericão

- Azeite virgem

- Azeite de trufas

- Flor de sal

- Pimenta

- Azeitonas para enfeitar

 

 

Uma boa semana desportiva para o Manuel Serrão, o Eduardo Barroso e o Fernando Seara, onde quer que eles estejam,

Ele