Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

fui experimentar os pratos light do henrique sá pessoa no mercado da ribeira... e adorei!

Ponto prévio: jantar no Mercado da Ribeira pode ser uma experiência, ao mesmo tempo, surreal e divertida desde que se entre no espírito. Se gosta de um bom desafio, tipo “jogo das cadeiras” ou “quem vai ao ar perde o lugar”, este é o sítio ideal para si. Nós fomos cedo e sem pressas, durante a semana, e mesmo assim, encontrar dois lugares juntos numa mesa não foi tarefa fácil. Começámos por nos separar. Ele quis experimentar o Chicken All Round, o novo espaço do estrelado Miguel Laffan; eu não resisti aos apelos da ementa do restaurante do chef Henrique Sá Pessoa. E para variar, ganhei esta batalha em todas as frentes. Ele já relatou aqui a sua experiência, bem diferente da minha...

527584_498716946843272_992396958_n.jpg

 

Como ando com esta obsessão com pratos light, quando vejo numa ementa palavras como "tártaro" ou "tataki" começam a tocar sinos ou campainhas na minha cabeça (ainda não consigo distinguir bem os sons). Por isso, fui direta à caixa e, sem hesitações, pedi um tártaro de robalo de entrada e um tataki de salmão como prato principal. A acompanhar um copo de vinho branco Quinta do Carmo (aqui não há margem para erro, é dos meus brancos preferidos). Paguei €21,50, mas também pedi dois pratos e um dos vinhos mais caros. Em troca, deram-me daqueles pagers que vibram quando a refeição está pronta.

lisboacool-mercadodaribeira-01.jpeg

O ambiente 

Enquanto o meu querido Marido Mistério enchia de perguntas a pobre coitada da funcionária a dois balcões de distância, iniciei a minha missão inglória de procurar dois míseros lugares juntos numa mesa. Atravessei o mercado de uma ponta à outra e… nada. Voltei ao ponto de partida e nada… (ao fundo o meu querido Marido Mistério continuava o seu interrogatório a outra empregada). Até que vislumbrei, mesmo em frente ao balcão do chef Henrique Sá Pessoa, um banco com uma carteira em cima e, do outro lado, um banco escondido debaixo da mesa. Corri para ali, qual Forrest Gump, e perguntei à senhora do lado:

- Boa noite, este banco está ocupado?

- Não, não, pode sentar-se – respondeu com um ar ligeiramente contrariado enquanto tirava a carteira de cima.

Atirei a minha própria carteira para o lugar em frente e ocupei o banco deixado livre pela carteira da senhora do lado, com uma sensação de vitória. Enquanto esperava por Ele, que continuava a enlouquecer as empregadas do Chicken All Around, levantou-se o casal que estava ao meu lado e, um segundo depois, zás, os lugares foram ocupados por um grupo de turistas inglesas que faziam parte de uma excursão que se tinha espalhado pelo mercado, também em busca de lugares. A mais velha (que parecia saída da série britânica Absolutely Fabulous) estava a comer o resto de uma maçã com uma mão e a agarrar a carteira com o dedo indicador da outra enquanto esperava pacientemente que a filha lhe trouxesse alguma coisita para comer. Não largou a alça da carteira o resto da noite. 

fotografia 5.jpg

A ementa 

Quando o meu pager vibrou, suspirei de alívio porque vi o meu querido Ele a aproximar-se triunfante com o seu próprio pager na mão. Levantei-me, já sem medo de perder o lugar, e fui buscar o tabuleiro com o meu jantar. Comecei pelo Tártaro de Robalo, com abacate, manga e ovas de salmão (€8). Era ótimo, o sabor confundia-se com o de um ceviche e a base era um puré de abacate aveludado. Adorei. Quando me ia atirar ao segundo prato, a nossa vizinha inglesa esboçou um sorriso e dirigiu-se à minha aterrorizada pessoa:

- May I? - enquanto apontava para o meu prato vazio.

- Sure... - respondi a medo enquanto o meu olhar hesitava entre o caroço da maçã na mão da fabulosa senhora e o dedo indicador agarrado à carteira.

- Thanks. 

E atirou o caroço da maçã para o meu prato vazio. Perdido de riso com o meu ar incrédulo, Ele foi salvo pelo pager e levantou-se da mesa enquanto eu me debrucei sobre o meu segundo prato: Tataki de Salmão com Massa Vermicelli e Molho Agridoce (€8).

fotografia 4.jpg

O prato é frio e delicioso: o tataki vem sobre uma massa tipo noodle chinesa fria com um molho adocicado (talvez ligeiramente doce demais para o meu gosto) mas muito bom. O copo de vinho branco Quinta do Carmo (€5,50) foi a cereja no topo do bolo. Ele entretanto voltou com o seu tabuleiro e não conseguiu disfarçar uma certa inveja a olhar para o meu prato. E eu optei pelos pratos light, porque a ementa do Food Corner do Henrique Sá Pessoa inclui Saladinha de Polvo com Tomate e Coentros, Couscous com Requeijão de Seia, Bacalhau com Puré de Grão e Tomate Seco, Bacalhau Batoteiro com Espinafres e Cenoura, Prego de Porco Preto Alentejano, entre outras tentações. Mas essas ficam para depois da minha dieta. 

 

O bom 

O Tataki de Salmão

O mau 

A luta por um lugar numa mesa

O ótimo 

O Tártaro de Robalo

 

Um dia "Absolutely Fabulous" para si,

Ela

 

1 comentário

Comentar post