Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

hanami sushi

O serviço

Há os empregados correctos, há os empregados simpáticos e há os empregados que fazem questão de se comportar como se tivessem sido nossos amigos a vida toda. E não amigos quaisquer - amigos chegados. Quando me aproximei do balcão do Hanami Sushi, o restaurante japonês do Centro Comercial Alegro e do Tivoli Fórum, percebi que tinha à minha frente um amigalhaço - apesar de estar a olhar para ele pela primeira vez na minha vida. 

- Boa tarde.

- Boas, tudo bem? [E ainda por cima um amigalhaço da Mouraria...]

- Tudo bem, obrigado. Eu ia querer...

- ...Ia porquê? Já não quer? [Mas esta gente não muda o repertório de piadas?]

- Quero, quero. Vou querer uma sopa miso, um sakura e um tiger.

- Isso já dava para fazer um piquenique, hã?! [Agora está a chamar-me alarve...]

- Pois... Estou com fome... Arranjava-me uma factura com número de contribuinte, se faz favor?

- Claro, arranja-se aqui um espacinho para os números...

Se há uma coisa que eu nunca percebi é porque é que 89,9% dos empregados de restaurantes de centros comerciais acham que nasceram com um talento especial para o humor que está algures entre o Nilton e o Rouxinol Faduncho. Se eu quisesse passar as minhas horas de almoço a ouvir piadas, sintonizava o programa da manhã da Rádio Comercial, não me enfiava no Alegro num dia de sol. Uma pessoa ouve a Rádio Comercial para se rir, vai ao Alegro para comer. Nada mais.

Mas tirando este momento Levanta-te e ri (que eu desconfio ter sido protagonizado pelo gerente), o Hanami Sushi tem algumas vantagens. E entre elas está o contacto mínimo com os empregados. Depois de fazer o pré-pagamento, dão-lhe para a mão um aparelho que vibra quando a comida estiver pronta. Por isso, tem tempo de procurar mesa, enquanto tratam do seu pedido. E olhe que encontrar mesa pode não ser fácil... 

O ambiente

O Alegro é um centro comercial arejado, com muita luz natural e estacionamento gratuito, que não fica tão longe do centro de Lisboa como possa parecer. É uma boa alternativa para fugir da confusão e mudar de ares em dias de sol e frio como este. Mas tem defeitos. A praça da restauração é pequena de mais para a quantidade de gente e cheira demasiado a comida para a quantidade de restaurantes.

A imagem do Hanami Sushi, inspirada nas florzinhas das cerejeiras japonesas, era dispensável. Eu sei que decorar todos os restaurantes japoneses em tons de preto e branco já enjoa. Mas optar por variações de cor-de-rosa e magenta é um boacadinho demais.

 

A ementa

Há entradas, sopas, pratos quentes (arroz e massas) e rolls. Vale a pena apostar nas entradas e nos rolls. 

As entradas

As gyosas são raviolis grelhados com frango e legumes. Aqui o importante é sobretudo a massa - que consegue ser muito fininha e leve, cozinhada mesmo no ponto.

Se conseguir comer outra entrada, ou se tiver alguém com quem dividir, peça também o sakura (a primeira foto deste post), umas bolinhas de arroz envolvidas em salmão com nozes por cima e dois molhos diferentes. Isto não tem nada a ver com os rolos de sushi ou de uramaki habituais. A quantidade de arroz no meio é muito pequena e o que transforma esta entrada numa delícia são as nozes crocantes envolvidas num molho hanami doce. A conjugação fica muito semelhante a um nogat, o que liga maravilhosamente com o molho de soja.

 

Os rolls

Os tiger são uns rolos crocantes de salmão, enguia e abacate, com um topping de queijo Philadelphia. A mistura da enguia e do abacate é óptima, o crocante exterior é fantástico, mas o queijo Philadelphia é usado em tudo o que é restaurante japonês em Portugal e estraga o exotismo do sabor original.

O Plátano Tempura é um roll sem arroz e com recheio de salmão, abacate e... lá vem outra vez o queijo Philadelphia. Por fora é envolvido com banana e o molho hanami. Fica também um rolo crocante, com um forte sabor a banana. Não é doce demais, mas é seguramente Philadelphia demais.

Conclusão: tirando o Rouxinol Faduncho que nos servia ao balcão e o cheiro a comida que nos entrava pelo nariz, é um óptimo restaurante de shopping. Por isso, aqui fica o conselho: ligue para lá, encomende a comida sem dar muita confiança a quem lhe atender o telefone e traga-a para casa. Consegue ter um bom jantar de sushi bastante mais barato do que o habitual.

O bom

As misturas surpreendentes e originais do sakura e do tiger

O mau

O excesso de queijo Philadelphia

O péssimo

As graças do empregado

 

Um bom dia de sol para si, onde quer que esteja,

Ele

5 comentários

Comentar post