Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

hotel casa palmela, um refúgio de luxo e tranquilidade com vista para a serra da arrábida

hotel-casa-palmela-gallery_mg_0470_19202.jpg

Confesso que, mal li a notícia de que tinha aberto o primeiro hotel de 5 estrelas em Setúbal, fiquei boquiaberta. Primeiro porque estranhei ainda não haver nenhum naquela cidade, depois porque fiquei encantada com as fotografias. E, claro, não descansei enquanto não fomos lá passar um fim-de-semana.

hotel-casa-palmela-gallery_mg_7047.jpg

 

Situado na estrada que liga Setúbal a Azeitão, com a serra da Arrábida no horizonte, conseguimos distinguir a Casa Palmela ao longe. A entrada da propriedade é imponente. Depois de atravessarmos o portão, percorremos um caminho de gravilha que nos leva ao casarão que é hoje o hotel.

hotel-casa-palmela-gallerydeck-sobreiro-13-_1920.jpg

hotel-casa-palmela-gallery_mg_8073.jpg

O hotel 

A antiga casa senhorial, que durante as invasões francesas chegou a servir de hospital, foi recuperada e transformada num turismo rural com 20 quartos. A propriedade, com cerca de 70 hectares, pertence há gerações à família Palmela e abriu portas ao público em agosto de 2016. E ainda bem, porque é daqueles lugares que nos fazem sentir em casa. Tudo aqui é sinónimo de bom gosto, de requinte, de luxo e sobretudo de conforto, com uma simplicidade desconcertante.

hotel-casa-palmela-gallery_mg_99412.jpg

Quando entrámos no hall de paredes de pedra forradas a azulejos, teto em abóboda e cheio de luz, duas simpáticas recepcionistas apressaram-se a levantar-se da secretária antiga que tinham à frente para nos receberem com um sorriso e conversa de circunstância. Fizemos o check in e uma delas encaminhou-nos até ao nosso quarto.

hotel-casa-palmela-gallery_mg_05972.jpg

Passámos por uma sala de estar e pela sala de jantar onde é servido também o pequeno-almoço e fomos até à casa do jardim que se situa mesmo de frente para a piscina. O nosso quarto era no primeiro andar desse edifício contíguo ao principal. Todo o hotel tem uma decoração simples, com tons claros e neutros, onde o azul claro tem um lugar de destaque. Os padrões românticos dos tecidos das cortinas e dos sofás dão um encanto especial a todos os espaços públicos e privados, claro.

hotel-casa-palmela-gallery_mg_05892.jpg

O nosso quarto 

Mal entrei no nosso quarto tive uma sensação de dejá vu. Disse logo ao meu querido Marido Mistério, enquanto Ele se agarrava ao comando da televisão LCD que tínhamos na parede, obcecado à procura da Sport TV para ver um jogo de futebol qualquer:

– Onde é que eu já vi esta decoração antes?

Ele continuou a ignorar-me estoicamente enquanto eu olhava em redor, qual Sherlock Holmes sem cachimbo. Até que tive o meu momento “Elementar, meu caro Watson”!

– Já sei! Estes quartos são iguaizinhos aos do Hotel Alecrim ao Chiado (sobre o qual escrevemos aqui).

– Ah! – respondeu-me Ele, cada vez mais interessado... nos canais de televisão, claro!

Pois. Está explicado, os dois hotéis pertencem ao mesmo grupo: Once Upon a House.

20170819_180912 (1).jpg

O nosso quarto (superior mansarda) era bem decorado e espaçoso, com vista para a piscina, tinha o tecto esconso a aproveitar o telhado da casa. Os tons predominantes eram o azul claro (lá está!), o branco e a madeira. O mesmo tecido azul claro foi usado para fazer a colcha e para forrar a cabeceira da cama, o banco corrido aos pés da cama e as cadeiras que ladeavam a enorme escrivaninha branca. Aliás, todos os móveis são de madeira branca.

hotel-casa-palmela-room-_mg_01.jpg

A cama de casal era grande e confortável, com lençóis de algodão egípcio hipermacios. Também as almofadas eram boas e de vários tamanhos. Tudo aqui combina de uma forma simples e despretensiosa. O chão em madeira tem dois degraus toscos a separar o hall de entrada do quarto. 

A casa de banho também tem o chão em madeira. O duche é enorme, forrado a mármore branco e as paredes são em madeira, também pintada de branco.  As amenities são da marca Rituals e as toalhas de banho são grandes, brancas e fofinhas.

hotel-casa-palmela-room-_mg_74854.jpg

Os 20 quartos estão divididos entre o edifício principal e a casa do jardim, com tipologias e características diferentes (clássico, deluxe, junior suíte, master suíte, premium, superior mansarda e superior terraço). Os preços variam entre os €180 e os €540 por noite, com pequeno-almoço incluído.

hotel-casa-palmela-room-_mg_9567.jpg

O pequeno-almoço  

É servido na sala de jantar ou na esplanada, com uma vista agradável para a serra da Arrábida e para as vinhas. A sala tem um maravilhoso teto em abóboda e mesas com toalhas brancas e um forro… adivinhe em que tom? Azul claro, obviamente.

O pequeno-almoço é servido até às 10h30 (o que é uma grande maçada para pessoas como eu que gostam de dormir). É um buffet bom, simples e requintado.

hotel-casa-palmela-gallery_mg_03722.jpg

Tem uma imensa variedade de pãezinhos (integral, de sementes, pão normal de mistura), croissants folhados e pães de leite. Um bolo caseiro de noz que Ele devorou, uns crepes com compotas, mel ou Nutella, a que eu obviamente não resisti.

Tinha ótima fruta fresca da época, como ameixas, arandos, meloa, morangos, rainhas-cláudias ou ananás, todos fornecidos por produtores locais. Ao lado, havia ainda uma salada de frutas já preparada e fatias de tomate, pepino e beterraba.

14650577_1632125130419467_2940916872247640910_n.png

Infelizmente desgracei-me com a tábua de queijos: frescos, requeijão, flamengo, da Ilha, de cabra, Brie… enfim, uma mulher não é de ferro. Também havia fiambre (normal, de frango e peru), presunto e salmão com alcaparras. Depois, claro, os óbvios cereais, iogurtes, um sumo de laranja natural maravilhoso, águas, espumante e ovos a pedido. Claro que o meu querido Marido Mistério conseguiu pedir uns ovos quentes com 2m30s de cozedura (sim, Ele é piquinhas a este ponto), e de facto, os ovos chegaram à mesa no ponto ideal.

hotel-casa-palmela-gallery_mg_0232.jpg

O serviço é super simpático e eficiente. Todos os empregados são atenciosos e solícitos tanto no restaurante, como no bar ou na recepção.

 

O bom 

O quarto

O mau 

Os preços demasiado altos e o pequeno-almoço só até às 10h30

O ótimo  

O pequeno-almoço

 

Um ótimo fim-de-semana,

Ela

 

fotos: casa palmela

 

Hotel Casa Palmela

Quinta do Esteval, EN10, km 33.5 - Setúbal

Tel.: 265 249 650

www.ouh.pt/hotel-casa-palmela