Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

jantar do dia do pai: salmão braseado, sashimi de atum e salada de mozzarela com tomate, abacate e azeite de trufas

Cá em casa Dia do Pai é dia do pai na cozinha. Não, não me estou a lamentar, estou só a constatar um facto. Mais vale passar dez minutos à frente do fogão do que três horas enfiado num restaurante a abarrotar com famílias numerosas forçadas a comemorar a data com um jantar fora. É um dia especial? Então prepare um jantar especial. E deixe os restaurantes para o almoço ou para os dias em que os outros 9.999.999 portugueses não têm nada para comemorar.

E quem diz à frente do fogão, diz à frente do balcão, porque hoje em dia cozinhar não implica obrigatoriamente lume, óleo, panelas e milhares de calorias. Hoje juntam-se cá em casa três gerações de pais e quatro gerações de filhos. E como é preciso agradar a bocas dos 5 aos 90 anos, a ementa é saudável. 

 

Aperitivos

Bolas de wasabi torrado envolvidas em amendoins. A nossa marca preferida é a Lorenz e está à venda no Continente por dois euros e pouco a embalagem.

Requeijão de Azeitão do El Corte Inglès.

Broa de milho (não podemos dizer de onde é para não darmos demasiadas pistas sobre quem somos).

 

Entrada

Sashimi de atum. Ai, comida japonesa, isso dá uma trabalheira! Nada disso. É a coisa mais simples de fazer. Compra o lombo de atum (tem de ser numa peixaria da sua confiança, para lhe darem o peixe mais fresco) já arranjado para sashimi: sem espinhas e sem pele. Depois corta às fatias com um dedo mindinho de espessura e dois dedos de altura. Também pode cortar as fatias mais fininhas, mas aí passa a ser carpaccio e deixa de ser sashimi. Coloca o peixe numa travessa e serve com pratinhos de molho de soja e wasabi. Chamem-nos esquisitos, mas cá em casa não gostamos de gengibre – nem sequer do cheiro – por isso é coisa que não passa da porta da rua.

 

Prato principal

Lombos de salmão braseados. Na mesma peixaria onde comprou os lombos de atum, peça também uns lombos de salmão fresco para sashimi (é uma técnica falível, como todas as outras, mas eu acredito que, ao pensarem que vai comer peixe cru, se preocupam em dar-lhe o peixe mais fresco que tiverem). Depois tem duas hipóteses: ou passa com um maçarico (para leite creme, não para soldar as dobradiças da porta) à volta de todo o peixe ou, se só tiver o maçarico para soldar, coloca uma frigideira para grelhar com o lume no máximo e, quando estiver muito quente, coloca o salmão sobre um fio de óleo (o azeite queima a uma temperatura mais baixa e a ideia é que o lume esteja muito forte). Deixa 30 segundos em cada lado, só para marcar o peixe e tira. Eu ponho um pouco de flor de sal por cima, mas pode servir com molho de soja. 

Salada de mozzarela com abacate. Corta uns oito tomates, bem maduros aos cubos – se não conseguir o tomate vindo directamente da horta, aconselho o do Minipreço, que costuma ser óptimo – e junta com dois queijos mozzarela de búfala – olhe que a mozzarela de búfala é bastante melhor do que a mozzarela normal – e dois abacates bem maduros também aos cubos. Tempere tudo com azeite, vinagre balsâmico, flor de sal e um bocadinho de azeite de trufas por cima. Misture e já está.

Sobremesa

É aqui que o saudável vai para o beleléu. Desde os tempos mais remotos que sobremesa do Dia do Pai é Santini. E não é um Santini qualquer. É de avelã, meloa e framboesa, os melhores sabores – e não há discussão, porque hoje o pai é que manda! Se não houver meloa, venha o limão para a Senhora da Dieta não começar já a queixar-se.

Um bom Dia do Pai para si, onde quer que esteja (e espero que não seja num restaurante cheio de gente),

Ele

2 comentários

Comentar post