Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

l'and vineyards: definitivamente não é um hotel para ir no inverno, sobretudo com chuva

Sky View Suites. O nome impressiona. Sugere que vamos dormir no espaço ou no céu. E foi exatamente por causa destes quartos que decidimos marcar um fim de semana no L'AND Vineyards. Fomos espreitar o site do hotel e o convite era irrecusável: “O L'AND Vineyards permite aos seus clientes dormir sob as estrelas, possibilitando que o teto de cada quarto recolha e os hóspedes possam dormir debaixo do céu estrelado do Alentejo.” 

O hotel

Marcámos só uma noite porque os preços não se adequam a um pobre casal asfixiado pela troika. A estrada até ao hotel (ou o “wine resort” como o site faz questão de esclarecer) não é propriamente bonita e ao chegarmos ficámos na dúvida se estaríamos no sítio certo. Mas quando nos deparámos com a entrada principal, as dúvidas desapareceram. O hotel é lindo e imponente. Os interiores são sóbrios e luxuosos. Simples e minimalista, com detalhes em madeira e pedra natural, a decoração das salas transmite paz e conforto. O edifício principal alberga a sala de estar, a biblioteca, a loja de produtos exclusivos L'AND MADE, a adega, o "wine clube”,  o spa, o restaurante e o pátio lounge. Um jardim decorado com vinhas separa o edifício principal das 22 suites.

As suites

Ponto prévio: são deslumbrantes. São 120 m2 de luxo e bom gosto, com sala, quarto, casa de banho e ainda um grande terraço exterior com lareira e dois pátios privados, um deles com uma "plunge pool”. Ah, e a famosa abertura integral do teto do quarto que tanto nos fascinou! Primeiro impulso: abrir o teto. Drama: fomos em dezembro. Resultado: estivemos a poucos segundos de entrar em hipotermia. Fechámos rapidamente o teto e contentámo-nos a olhar através do vidro. Mas começou a chover e o céu estrelado do Alentejo transformou-se num ataque cerrado de gigantescas gotas de água em cima das nossas cabeças. Decidimos fechar o teto todo. Ponto final. Mas diga-se que o “teto todo” é um pequeno retângulo mesmo em cima da cama. Falar-se em céu aberto ou dormir sob as estrelas é manifestamente exagerado.

O restaurante

A ida para o restaurante foi outra aventura. Apesar de o hotel disponibilizar 2 chapéus de chuva por quarto, o temporal era tal que entrámos no edifício principal totalmente encharcados. A sala de jantar é enorme. E a nós, pareceu-nos gigante, já que éramos os únicos hóspedes com reserva e acabámos por ser os únicos a jantar. Se por um lado, poderíamos ter a tentação de gritar à vontade, deu-nos para falar ainda mais baixo, com a sensação de que os empregados estavam a ouvir tudo o que nós dizíamos ou até o som da nossa mastigação, já que não tinham mais nada para fazer senão olhar para nós.

A comida estava ótima, contudo um pouco mini-micro-nano nouvelle cuisine demais. O vinho produzido no hotel é fantástico, contudo um pouco maxi-macro-mega caro demais.

O serviço

A sensação com que ficámos (exceção feita ao jantar onde recebemos quintuplicada atenção) é que o hotel estava deserto: nem hóspedes nem empregados. O balcão da receção estava quase sempre vazio (valeu-nos uma campainha que experimentámos vezes sem conta) e o bar era basicamente um bar-fantasma. Tínhamos que recorrer à campainha da receção cada vez que queríamos uma bebida. Passámos quase o tempo todo à lareira (linda mas a gás) da sala a jogar gamão e a ler. Como o tempo não ajudou, não conseguimos aproveitar os jardins e os terraços exteriores. Quando, durante uma hora, a chuva parou, ainda demos um passeio à volta do hotel. E no inverno, a paisagem não é deslumbrante. A vinha não brilha e a propriedade não encanta. Mas a piscina a desaguar no lago faz-nos sonhar com o verão - aqui ou noutro sítio qualquer...

O ótimo

A decoração do hotel

O bom

O restaurante

O mau

O serviço da receção

 

Uma ótima escapadinha,

Ela

 

4 comentários

Comentar post