Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

lost in: a melhor vista de lisboa para um copo de fim de tarde

Não há nada mais irritante do que este tempo, meio sol meio vento, meio quente meio frio, meio esplanada meio interior. É o tempo em que nunca sabemos para onde ir nem o que vestir quando saímos à rua. Já sei, isto está perigosamente a descambar para uma conversa desinteressante, não é? Vou parar por aqui.

Isto tudo só para contextualizar com que estado de espírito é que eu cheguei à esplanada do Lost In, uma das mais espectaculares vistas de Lisboa. Estamos a falar de um espaço também ele dividido: tem área de restaurante e área de bar, tem área coberta e área descoberta. Do lado de fora, há um jardim lindo, com cadeiras, cadeirões, pufes e enormes almofadas coloridas, onde se pode sentar à mesa ou simplesmente refastelar-se com um cocktail à sua frente e o Castelo de São Jorge por trás.

Do lado de dentro, há uma tenda aquecida, decorada num estilo marroquino, com mesas de jantar e enormes paredes de vidro, que lhe permitem ver a vista ao lado de uma confortável fonte de calor. O problema está quando aqui chegamos depois das 19h e, com este tempo, a área coberta está transformada apenas em restaurante. Sobra-nos o jardim, uma manta para nos enrolarmos e um fim de tarde como se estivéssemos na neve.

E isso é mau? Antes pelo contrário. Pode ser maravilhoso. E foi. Quando entrei no jardim do Lost In, vinha apenas com uma camisa e um casaco fininho. No entanto, consegui evitar a manta para não parecer o Avô Cantigas com menos 30 anos. Aqueci-me antes com um gin tónico London n.3, que está a ser lançado em Portugal e que tem sido vendido nos últimos dias a um preço de promoção. Já o experimentei em copo de balão com casca de lima e aipo (muito bom) e aqui bebi-o em copo alto apenas com lima às rodelas (o que também não é nada mau). Para acompanhar, pedi uma óptima tábua de queijos, com uma mini-taça de queijo da Serra amanteigado, rodelas de chèvre e uns palitos de queijo curado. Tudo isto acompanhado com umas finíssimas torradas que é difícil parar de comer.

Escusado será dizer que o frio passou por mim como o Forrest Gump passou pelo filme do Robert Zemeckis. Uma hora depois estava pronto para mais uma semana de trabalho. Ou, neste caso, para um jantar fora em Lisboa. É um crime ter um bar destes mesmo de frente para o Castelo de São Jorge, a Mouraria e o rio Tejo e não o aproveitar, não é? Confesse lá, de que é que está à espera?

 

O bom 

O pão torrado e a decoração

O mau 

O frio

O óptimo 

A vista

 

Um bom copo de fim de tarde para si onde quer que esteja,

Ele

4 comentários

Comentar post