Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

madmary, o almoço que acabou antes de começar

image.jpeg

Desde o dia em que, aos 9 anos, decidi lavar um quadro dos meus pais com uma inovadora mistura de água com lixívia que não via um tão fulminante arregalar de olhos. A experiência aconteceu na novíssima padaria de Lisboa, orgulhosa detentora de um dos mais adequados nomes da restauração lusitana. O MadMary Cuisine é uma mistura de padaria com restaurante de refeições rápidas e leves para o almoço.

 

image.jpeg

O ambiente

Com a minha querida e prezada Mulher Mistério enterrada em resmas de trabalho pré-férias, resolvi ir almoçar sozinho com dois dos nossos mini-misteriosos. Já tinha passado várias vezes à frente do novo espaço, aberto há pouco mais de um mês, e tinha ficado derretido com o pé direito altíssimo, a porta gigante sempre aberta, o ambiente arejado, a parede coberta por pedras e troncos de madeira à frente de outra decorada com portadas coloridas, a enorme mezzanine no topo do restaurante, as mesas de madeira clara, os bancos e até as cadeiras. 

image.jpeg

Tudo no MadMary tem um ar descontraído e meio rústico e tudo convida a entrar e sentar-se numa tarde de Verão. Mas... há sempre um mas... mas, durante o Verão, parece que a loucura se alastra incessantemente sobre a restauração lisboeta, transformando um simples almoço numa potencial novela.

image.jpeg

O serviço

Quando chegámos, fomos recebidos por um simpático empregado que não seria muito mais velho do que o meu filho adolescente. Abrimos a ementa, fizemos o pedido e esperámos. Para um restaurante aberto apenas há alguns dias, a espera de 20 minutos é perfeitamente aceitável. Tal como é compreensível os dez minutos que demoraram a trazer uma Coca-Cola ou até a atrapalhação que levou à troca de um dos pratos pedidos. O que é menos comum é o tal arregalar de olhos à Kim Jong Un protagonizado pela dona do espaço.

Com a ementa à frente, eu pedi uma tartine de rosbife com caponata de beringela (€9,20). Os mini-misteriosos dividiram-se entre um tártaro de salmão (€8,90) e uma tartine de chèvre, pera e mel (€8,50).

Vinte minutos depois, a primeira surpresa: em vez da tartine de chèvre, vieram duas tartines de rosbife. Como estávamos com pressa, resolvemos perguntar se a correcção do pedido ia demorar muito tempo. Preocupada, a simpática empregada foi ter com o cozinheiro e pediu-lhe uma previsão: 

– Cinco minutos, é num instante.

image.jpeg

Enquanto o pobre mini-misterioso salivava para cima do prato vazio, nós fomos começando a comer. Ao fim de 5 minutos, nada. Ao fim de 10, zero. Ao fim de 15, nicles. Com o nosso almoço quase no fim e o outro prato vazio, a empregada foi ter com o cozinheiro para saber o que se passava. Um minuto depois, a tartine estava pronta, em cima do balcão, à espera de forrar o estômago sofrido do meu querido mini-misterioso. E foi aqui que a dona do espaço entrou em cena...

Quando a empregada se preparava para ir buscar a nossa tartine, a dona interveio:

– Esta é para a mesa 16.

(Para o caso de ainda não ter percebido, convém fazer o primeiro esclarecimento do dia: a mesa 16 não era a nossa.)

Perante a confusão, a empregada esclareceu a senhora sem farda:

– Não, esta é para a 12.

– Não, é para a 16.

– Mas nós enganámo-nos no pedido da 12.

– Mas a 16 já está à espera há muito tempo.

(Segundo esclarecimento do dia: a mesa 16 chegou depois de nós e fez o seu pedido também depois de nós; a seu favor tinha apenas o facto de ter passado vários minutos a conversar de forma cúmplice e afável com a proprietária.)

– Mas...

E foi neste preciso momento que a patroa fulminou a colega com um arregalar de olhos norte-coreano, antes de pegar na tartine e levá-la para a sua mesa protegida.

image.jpeg

Depois desta divertida discussão, que deixou a empregada e o cozinheiro visivelmente atrapalhados, ainda saíram mais quatro tartines da cozinha sem que nós víssemos uma migalha do promissor pão rústico.

Atrasado para uma reunião, acabei por pedir a conta e desistir da tartine. A empregada desfez-se em desculpas e perguntou se podia oferecer alguma coisa, sem nunca denunciar a tirania oftalmológica da sua chefe. Dissemos que não valia a pena porque estávamos cheios de pressa.

E foi aqui que a empregada deu a segunda lição de boa restauração à patroa: quando nos preparávamos para sair, veio entregar-nos a tartine de chèvre, que não tinha sido cobrada, numa caixa para a criança não desfalecer de fome.

Ou seja, no MadMary não há nada a dizer dos empregados – mas muito para falar do patronato.

image.jpeg

A ementa

Enquanto esperávamos, ofereceram-nos para experimentar uma baguete feita na padaria que não estava má, mas podia ter a côdea mais estaladiça.

20160715_135411-cópia.jpg

De resto, a comida é agradável. As tartines vêm servidas num pão rústico bom e o meu rosbife vinha mal passado, como deve ser, mas um bocadinho seco demais. Por cima, levava a caponata, uma salada fria de tomate e beringela típica da Sicília, onde mal reparei no tomate. A acompanhar, trazia uma simpática salada de rúcula e tomate cherry salpicada com umas sementes tostadas que lhe davam um toque fantástico.

20160715_135429.jpg

Quanto ao tártaro, não há muito a dizer, a não ser que vinha marinado e com um sabor demasiado cítrico, mais próximo do ceviche do que de um tártaro propriamente dito. A acompanhar, trazia a mesma salada da minha tartine de rosbife.

Sobre a tartine de chèvre, infelizmente não posso falar porque não fui a tempo de a provar.

image.jpeg

As crianças

Não tem menu infantil.

 

O bom

A decoração

O mau

O atraso no serviço

O péssimo

A dona do espaço

 

Um óptimo almoço para si onde quer que os olhos arregalados estejam,

Ele

 

fotos: madmary; casal mistério

 

Nota: Todas as despesas das visitas efetuadas pelo Casal Mistério a restaurantes, bares e hotéis são 100% suportadas pelo próprio Casal Mistério. Só assim é possível fazer uma crítica absolutamente isenta e imparcial.

__________________________

MadMary Cuisine
21 354 0317
Rua Rodrigues Sampaio, 29 - Lisboa
8h00-20h00 Fecha ao domingo

15 comentários

Comentar post

Pág. 1/2