Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

novidade! novidade! o sushic já abriu no altis belém e nós fomos lá provar um niguiri de bacalhau e um ceviche alentejano

18206802_7Wu4n.jpeg

O Sushic está para o mundo dos restaurantes japoneses assim como o Cristiano Ronaldo está para a Selecção Nacional: pode já ter sido melhor do que é hoje, às vezes pode desiludir-nos, pode até deixar-nos furiosos – mas continua a ser espectacular. E então se conseguirmos teletransportar toda essa espectacularidade para uma esplanada com vista para o rio, em plena Primavera, o cenário melhora ainda mais.

Pois bem, esse teletransporte aconteceu há uns dias e o Sushic chegou directamente de Almada para a fantástica esplanada da Cafetaria Mensagem, no Hotel Altis Belém. É claro que este vosso prestável amigo não perdeu muito tempo para preparar a sua trouxa e rumar empenhadamente até lá com o único objectivo de relatar a experiência a vossas senhorias (saborear a comida não era evidentemente uma prioridade...).

 

18206809_OYmjg.jpeg

O ambiente

No ano passado, já tinha ido almoçar à Cafetaria Mensagem com a minha querida e prezada Mulher Mistério (pode ler a crítica aqui). Mas este ano, decidi trocá-La por uma amiga (foi só um almoço, apenas um almoço e nada mais do que um almoço...) para experimentar o recém-inaugrado sushi and oyster bar do Sushic naquele espaço.

A Cafetaria Mensagem manteve o restaurante exactamente igual ao que era antes e continua a funcionar com a ementa antiga. A única alteração foi acrescentar uma segunda lista com sushi, ceviches e um bar de ostras. Tudo isto é preparado pela cozinha do Sushic.

De resto, está lá a mesma sala arejada e clean, com enormes janelas abertas para a doca, está lá a óptima esplanada com chão de madeira e vista para o rio, estão lá as várias mesas com turistas estrangeiros acabados de sair da Torre de Belém e estão lá as garrafas de Coca-cola a €4, o que dá a módica quantia de mais de €16 por litro. Mas, depois de digerir esses preços, o que para aqui interessa são as novidades da...

12316393_931760300211410_8382584700938479169_n.jpg

...A ementa

O couvert é o mesmo quer peça o almoço da ementa ocidental ou da japonesa. Quando se senta à mesa, trazem-lhe uns fabulosos grissini. Feitos com farinha de milho, no próprio restaurante, são leves e muitíssimo saborosos e vêm com alguns grãos de farinha à superfície, o que lhe dá um toque crocante. Além dos grissini, vem ainda um pão de sementes e uma chapata, além de uma manteiga de ervas razoável, um pouco de azeite e umas azeitonas verdes e tenrinhas temperadas com raspas de laranja. Por tudo isto, paga €3,25 por pessoa. Não chega ao preço da Coca-cola, mas é chegado ao carote.

20160518_134853 (1).jpg

Os ceviches

Ultrapassado o couvert, eu e a minha amiga dividimos dois ceviches: um tradicional (€11,50) e um autodenominado "sopa de tomate alentejana" (€12,50). O ceviche tradicional estava bom e com os sabores cítricos bem equilibrados. Servido com um pampo fresco e suculento, trazia ainda leite de tigre e batata doce de três formas diferentes: cozida, em puré e em chips estaladiços e fininhos.

20160518_140911 (1).jpg

A "Sopa de Tomate Alentejana" tem felizmente muito pouco de sopa. No fundo é mais um ceviche, feito também com leite de tigre, mas que, em vez do pampo, leva skrei. O skrei é um tipo de bacalhau apanhado na Noruega e que tem uma textura mais consistente e rija do que a do bacalhau normal. Além disso é vendido fresco, o que o torna bastante menos salgado do que o peixe a que estamos habituados.

O ceviche alentejano leva ainda tomate, pepino, cebola, rebentos e queijo de ovelha alentejano. A acompanhar, em vez dos chips de batata doce, trazem-lhe umas folhas de arroz crocantes que estavam fininhas e deliciosas. Para mim, o único problema deste ceviche foi o excessivo sabor cítrico que apagou um pouco os outros sabores. 

20160518_140848 (1).jpg

O sushi

Tanto os ceviches como a parte japonesa da ementa têm muito pouco de conservador – e essa é uma das enormes vantagens do Sushic. Tal como o restaurante original em Almada (que pode conhecer aqui), a ementa do Sushic na Cafetaria Mensagem mistura ingredientes frescos com combinações surpreendentes. E é essa capacidade de nos surpreender, quando nos sentamos à mesa, que faz deste japonês um dos melhores no país. 

20160518_142337 (1).jpg

Nós experimentámos uns niguiris de bacalhau fresco (€6,25) que estavam fantásticos. Até eu, que sou um niguiro-céptico convicto, fiquei rendido a este prato. Servidos com um arroz leve e com uns finíssimos lombos de bacalhau fresco braseados, os niguiris levam ainda azeite de alho e umas amêndoas laminadas por cima. O bacalhau é delicioso e suculento e a combinação com as lascas crocantes de amêndoa faz um contraste irresistível.

20160518_142353 (1).jpg

O almoço só acabou com o maki mexican roll (€13,50). Recheado com abacate, manga e pimentos jalapeños, é ligeiramente picante. Mas o que o torna especial é o delicioso tataki de atum, que vai por cima dos rolos, e os nachos acabados de fritar que lhe dão uma textura crocante a cada dentada.

20160518_145952 (1).jpg

A sobremesa

Todo este festival gastronómico só podia acabar com uma deliciosa sobremesa. E, nesse aspecto, a ementa do Sushic não pode fazer muito por si – sobremesas aqui só na parte ocidental da ementa. Eu, que não sou propriamente fã de gelados de chá verde e outras adaptações orientais, não fiquei minimamente incomodado. E pedi, de bom grado, um divinal doce de leite com sorvete de framboesa (€4). O doce vem no fundo da taça e consegue ser viciante sem se tornar enjoativo. Depois leva uma cobertura de bolacha esmagada e uma bola de gelado por cima que ajuda a cortar o doce do leite condensado. Para finalizar, ainda trazem umas framboesas frescas. Por mim, ainda lá estaria a comer doces destes uns atrás dos outros.

20160518_150556 (1).jpg

O serviço

Foi sempre simpático e rápido, mas um pouco perdido em relação à ementa do Sushic. Raramente conseguiam responder a perguntas sobre os ingredientes ou os novos pratos japoneses. 

image.jpeg

As crianças

Não tem menu infantil, mas o espaço é óptimo para levar miúdos, especialmente porque podem andar a correr ali à volta. No entanto, se levar os filhos, já sabe: o melhor é proibir as Coca-colas – ou arrisca-se a voltar para casa falido.

 

O bom

O espaço, a vista e a esplanada

O mau

Uma garrafa de 24 cl de Coca-cola pelo mesmo preço de uma sobremesa

O óptimo

O sushi e o doce de leite com sorvete de framboesa

 

Um óptimo almoço para si onde quer que a comida japonesa esteja,

Ele

 

fotos: cafetaria mensagem; casal mistério

 

Nota: Todas as despesas das visitas efetuadas pelo Casal Mistério a restaurantes, bares e hotéis são 100% suportadas pelo próprio Casal Mistério. Só assim é possível fazer uma crítica absolutamente isenta e imparcial.

 

3 comentários

Comentar post