Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

o lateral é um restaurante banal

 

As letras são brancas, o fundo é escuro e até o nome é o mesmo. Mas ficamos por aqui. Entre o Lateral de Madrid e o Lateral da Avenida Barbosa du Bocage, as semelhanças acabam naquilo que é fácil copiar. Nada do resto tem alguma coisa a ver. Em Madrid, há uma decoração sofisticada, várias exposições de arte e comida surpreendente, que vai das vieiras a la plancha com creme de batata trufada aos raviolis, aos risottos e aos pinchos.

Em Lisboa, há mais um restaurante de petiscos. E quando digo mais um restaurante de petiscos, não quero dizer que não gosto de petiscos. Adoro petiscos. Mas infelizmente em Portugal a moda pegou pelo lado do facilitismo. Tudo tem croquetes de alheira. Tudo tem ovos mexidos com farinheira. Tudo tem carpaccio de boi. Tudo tem polvo à galega. Tudo tem batatas fritas com maionese (agora diz-se mayo para parecer diferente). Oh falta de imaginação!!! Fazer um restaurante não é copiar tudo o que os outros fazem. Fazer um restaurante é inovar, surpreender, deslumbrar. E infelizmente o Lateral de Lisboa não é nada disso. Não é que seja MAAAU. Não é. É simplesmente banal. E isso não nos faz lá ir. E muito menos lá voltar.

A ementa

Há hambúrgueres, há saladas, há focaccias e até há umas massas e uns crepes. Tudo isto era muito novo há cinco anos (tirando os crepes, que eram novos nos anos 80), mas agora já não é. Nós optámos pelos petiscos. Polvo à galega - normal; ovos com farinheira - normais; carpaccio de novilho - normal; focaccia com alho e ervas - normal; cerveja - normal; Coca-cola - normal; café - normal. Há uma vantagem: nada estava mau. Mas também nada estava bom. 

O serviço

Nem tudo é criticável. Os empregados são eficientes, sabem responder às perguntas dos clientes, são rápidos e muito simpáticos. É um serviço quase perfeito.

 

O ambiente

A decoração é engraçadita. Tem uma ardósia com umas coisas escritas na parede (mais uma inovação espectacular!) e tem umas fotografias antigas em formato gigante. É giro, mas é barulhento. Nós fomos almoçar em casal e sentimo-nos um bocadinho a comer na cantina do nosso filho mais velho.

 

No fim, pagámos mais de 20 euros por pessoa, o que sinceramente está muito próximo do assalto por esticão na rua. Só para ver se eu percebi bem: SETE EUROS E VINTE CÊNTIMOS POR UNS OVOS MEXIDOS COM FARINHEIRA?! Alguém me consegue explicar que surto de gripe das aves repentino (e que me passou totalmente despercebido) conseguiu inflacionar o preço dos ovos desta maneira absurda?! Eu não condeno quem decide abrir um restaurante banal. Mas, por favor, não pratique os preços do Fat Duck. Porque mesmo o Fat Duck - que é excepcional - já não se aguenta.

 

O bom

O serviço

 

O mau

A cópia do Lateral de Madrid

 

O péssimo

A falta de originalidade da ementa

 

Bons petiscos para si, onde quer que esteja,

Ele