Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

o melhor (e mais tranquilo) sítio para jantar em alfama na noite dos santos populares

20150609_184610 (1).jpg

Chegou o dia da verdade. Quando os filhos se juntam para nos convencer a ir aos santos populares, quando os amigos se unem para nos desafiar a ir até Alfama, quando todas as forças do universo nos empurram para o meio da confusão. Não é fácil resistir a esta poderosa atracção pelo abismo, aquele momento decisivo em que sabemos que um sim vai significar ter o pior jantar do ano e no entanto...

...e, no entanto, é para isso que nós estamos aqui. Para lhe sugerir um spot maravilhoso, mesmo no centro de Alfama, onde tudo é um bocadinho menos caótico do que o habitual.

 

fotografia 3-1 (1).jpg

O ambiente

Ponto prévio fundamental: Alfama em noite de santos populares é caótico: no meio da rua ou em qualquer restaurante. É caótico! CAÓTICO! C-A-Ó-T-I-C-O!!! (Com três pontos de exclamação e tudo)

Agora, se tiver arcaboiço para aguentar isso, pode continuar a ler. É que este é um spot um pouco menos caótico (mas não deixa de ser caótico). E porque é que é menos caótico? Em primeiro lugar, porque fica num pátio mais escondido, na zona baixa do bairro. Tem de ir por uma rua menos movimentada. Depois ainda precisa de passar por um caminho estreito. E finalmente, vai dar aqui.

20150609_203227 (1).jpg

A decoração é simples e castiça. As mesas e as cadeiras são de madeira, as toalhas de xadrez (azul no pátio, encarnado no interior) e as paredes à volta estão cuidadosamente pintadas de amarelo, branco e cor de tijolo. Tudo está bem arranjado.

Em segundo lugar, porque nem toda a gente entra aqui. Na noite de Santo António, os donos do Lautasco colocam um segurança à entrada do único caminho que vai dar ao pátio. Quando o restaurante está cheio e já não cabe mais gente à espera, a entrada é barrada. O que evita uma grande parte do caos.

Finalmente, porque...

 

...O serviço...

...É simpático e atencioso. E, mesmo na semana mais caótica do ano, os empregados não estão preocupados em levantá-lo da mesa o mais rapidamente possível para conseguirem sentar mais sete famílias a seguir a si. Nós, que já lá estivemos em plena noite de Santo António, este ano resolvemos fazer uma excursão-família-mistério na terça-feira, véspera do feriado. Chegámos cedo, por volta das 18h30, como se recomenda a toda e qualquer pessoa com o mínimo de bom senso, e corremos imediatamente para o restaurante para marcar mesa (como seria de imaginar, em Junho não há reservas para ninguém).

Primeiro contratempo: o restaurante só abre às 19h30. Por isso, tivemos de dar uma volta pelas tascas das redondezas. Se fizer o mesmo, prepare-se para explicar aos seus filhos porque é que alguém decide chamar Retiro da Côxa (com acento circunflexo no "o") ao seu estabelecimento gastronómico.

20150609_185115 (1).jpg

Às 19h20 estávamos plantados à porta do Lautasco, como seis eucaliptos alentejanos, à espera de mesa. Excepcionalmente, e por a minha querida Mulher Mistério não ter ar de arruaceira-de-Santo-António (já quanto a mim é mais discutível), deixaram-nos sentar antes da hora. E foi assim que conseguimos mesa, um bem escasso que em poucos minutos desapareceu totalmente do horizonte. Ao longo de todo o jantar, e mesmo com empregados a correr, crianças a guinchar e uma fila interminável à porta, fomos sempre muitíssimo bem atendidos: os pratos vieram rapidamente, os empregados foram simpáticos e atenciosos e só a conta demorou um bocadinho a sair, o que acabou por ser bom porque, caso contrário, teríamos perdido aquela que foi a grande actuação musical da noite.

 

 

A ementa

Finalmente chegamos ao ponto mais sensível deste texto: sardinhas. Sardinhas? Não, espere, primeiro há couvert, porque mesmo estando em Alfama este é um restaurante decente. Mal se senta, trazem-lhe para a mesa uma boa salada de polvo com cebola e coentros (€6,80). Ao contrário das saladas habituais, nesta sente-se pouco o vinagre. O molho é quase só de azeite.

Ao lado, vem um pratinho de azeitonas fantásticas. Tenrinhas e saborosas, são temperadas com azeite, alho e orégãos. O único defeito é que poderiam ser um pouco maiores.

Finalmente, chega um queijinho de Niza seco mas não muito duro por dentro (€4,40). Com uma casca de cera, tem um sabor forte e meio picante, ideal para uma noite de santos. A acompanhar tudo isto, vem um bom pão saloio com uma côdea rija e um miolo mole e uns pacotes de manteiga e pasta de sardinha. Pão, manteiga e azeitonas: €3,20.

20150609_195835 (1).jpg

Os pratos

Como se pode facilmente perceber, aqui estamos no epicentro do fenómeno inflacionista de Alfama. O Lautasco não é propriamente um restaurante barato. E a coisa piora ao ver chegar à mesa uma salada mista (€5,90) quase tão cara como uma dose de sardinhas (€9,80). A salada vem servida numa travessa que dá para duas pessoas, com uma alface óptima, um tomate grande mas pouco maduros e uns pimentos bem assados mas servidos com a pele, o que é uma pena.

As sardinhas ainda estão longe das sardinhas de Agosto (gordas, suculentas e com ovas), mas estavam muito bem assadas numa brasa cuidadosamente separada das mesas por um muro (para evitar deixar o faustoso cabeção da minha querida Mulher Mistério a cheirar a peixe). A pele separava-se bem do peixe e os lombos saíam inteiros. Apesar de serem pequenas, as sardinhas estavam saborosas. A acompanhar vieram umas batatas cozidas sem pele, mas magníficas.

20150609_204116 (1).jpg

A sobremesa

Eu insisti num pudim flan, Ela queria uma mousse de chocolate, as crianças escolheram um leite creme (€2,90). E como eu estou numa dieta forçada, tive de me contentar com duas colheres do que eles escolhessem. O leite creme vinha queimado no momento, cristalizado por cima mas muito farinhento por baixo, o que provocou um creme mais estilo argamassa do que cremoso.

 

As crianças

Não tem um menu infantil, mas tem escalopes com cogumelos, febras ou entrecosto. Com os nossos mini-misteriosos, a questão não se coloca: comem sardinhas por cima de uma fatia de pão saloio com um fio de azeite. Que mais é que um pai pode desejar?

 

O bom

As sardinhas

O mau

Os preços

O óptimo

O pátio com segurança à porta na noite de Santo António

 

Uma boa sardinhada para si onde quer que os santos estejam,

Ele

 

fotos: casal mistério

 

2 comentários

Comentar post