Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

o sonho de qualquer pessoa: um óptimo restaurante e um bar com 120 gins, tudo no mesmo sítio (é o novo less, em lisboa)

12523138_550624361760555_6874202690554236828_n.jpg

Há precisamente dois meses, 11 dias, 21 horas e seis minutos que eu sonho com este jantar. Primeiro, porque é iniciado com gin. Depois, porque é acompanhado com gin. E, finalmente, porque é terminado com gin. Eu sei que pode parecer obsessão mas para mim juntar um bar de gin e um restaurante fantástico no mesmo sítio é como ter o Batatoon e o Companhia no mesmo circo.

 

12310481_459998754202747_5011914974865273107_n.jpg

O ambiente

O Less é um dos mais recentes espaços de Lisboa. Inaugurado em Novembro passado, está dentro do novíssimo bar da Gin Lovers naquele que é um dos espaços mais bonitos de Lisboa: a Embaixada, um palacete neoárabe do século XIX transformado em galeria de lojas. O restaurante fica no andar de baixo, num átrio rodeado de colunas enormes e com um pé direito onde cabem 10 clones do Bruno Nogueira às cavalitas uns dos outros e ainda com os braços esticados. O chão, as paredes e o tecto são verdadeiras obras de arte e conseguem criar um ambiente único para um bar. 

À hora do almoço e ao início do jantar, o ambiente é calmo e típico de restaurante. A partir da meia-noite, o volume da música começa a subir e o espaço a encher-se de pessoas que vão simplesmente beber um gin. Nós, na flor da idade ligeiramente provecta, fomos jantar com um casal amigo a uma hora ainda decente e com pouca gente (a altura do pé direito e o espaço entre as mesas também ajudam ao ambiente arejado).

12295363_459998974202725_8254358779899431111_n.jpg

A ementa

Prefere começar pela ementa da comida ou dos gins? Calculei.

735011_467052033497419_4834702906117304535_n.jpg

Os gins

Devo avisar que são duas páginas de ementa que correspondem a qualquer coisa como 120 gins, isto se eu conseguir fazer contas com mais clareza do que o ministro das Finanças. No meio desta loucura de gins, e sem conseguir disponibilizar os 52 minutos necessários para ler as descrições de todos eles, entreguei-me desamparado nos braços do empregado que me recomendou o fantástico gin Sul, servido com limão e hortelã e acompanhado com tónica Fever Tree Indian (€15). Ela, sempre obcecada pelo binómio gin-frutos silvestres, escolheu um óptimo Bloom servido com morangos e tónica 1724 (€10). Os nossos amigos preferiram cerveja. Cerveja?! Num bar de gin?! É verdade, nem todos somos perfeitos.

12509776_477565655779390_5631170760145924231_n.jpg

Os pratos

Este é um restaurante de petiscos. Não daqueles petiscos calóricos, como as lascas de batata ou os croquetes de alheira, senão eu já teria sido expulso de casa a pontapé. Este é um restaurante de petiscos saudáveis, como tártaros, marinados, vieiras, gyozas e outras loucuras do mundo da gastronomia anti-gordura. É claro que pode armar-se em dono da bola e pedir o tártaro só para si mas, apesar de beberem cerveja, os nossos amigos não chegaram a tanto. E, por isso, partilhámos tudo. 

Primeiro começámos por pedir uma tábua de queijos (€7,50) que foi claramente o menos interessante da noite. Apesar de vir acompanhada por um bom doce de abóbora e por umas fantásticas torradas aparadas em palitos, a variedade dos queijos não é muita. No entanto, como o objectivo era substituir o couvert, passou perfeitamente.

12309503_459995957536360_2607122741234109380_o.jpg

Os tártaros

A seguir, partimos em busca dos famosos tártaros. O de corvina com abacate (€12,50) é claramente melhor do que o de salmão com maçã verde (€8). Além de vir com um delicioso leite de açafroa (uma planta originária dos Açores e que, ainda por cima, segundo um estudo de uma universidade americana, ajuda a eliminar a gordura do corpo), tem os sabores suaves e equilibrados – e a corvina é um peixe maravilhoso. O de salmão, pelo contrário, estava ácido demais para o meu gosto, com um excesso de lima que ainda era potenciado pela acidez da maçã verde.

12239300_459995807536375_4508392724486624006_o.jpg

Os pratos principais

Na segunda ronda de petiscos, chegaram umas vieiras com creme de milho e pimenta rosa (€8). As vieiras vieram braseadas e mal passadas por dentro (Ela achou mal passadas demais, eu nem tanto) por cima de um óptimo creme doce e aveludado (talvez ligeiramente doce demais). Infelizmente a dose só traz duas vieiras, por isso alguém teve de abdicar da comida para não caírmos no ridículo de dividir duas coisas tão pequeninas. Entre cerimónias e mais um golinho de cerveja, os nossos amigos mostraram que são bastante mais bem educados do que nós, para alívio Dela que estava agarrada à sua vieira como se tivesse sido besuntada com Super Cola 3.

12304193_459996080869681_7053706612843324254_o.jpg

E finalmente, o momento alto da noite, o apogeu da refeição, o pináculo do banquete, o zingamocho do jantar (ok, esta já foi demais...). Estou evidentemente a falar dos raviolis de abóbora assada (€8). São umas finíssimas bolsas, quase transparentes e recheadas com um creme de abóbora assada que mistura um delicado sabor a assado com um toque doce viciante. Como se isto não bastasse, os raviolis vêm por cima de um molho aveludado e delicioso e são salpicadas com umas lascas de queijo com a grossura de uma folha de papel e umas amêndoas tostadas e crocantes ao trincar. As texturas dos raviolis, do recheio e do molho são perfeitas e o contraste entre o adocicado da abóbora e o salgado do queijo é magnífico.

12307316_459995894203033_7422029091953847004_o.jpg

É claro que isto não é suficiente para duas bocas misteriosas, mesmo com pretensões a estarem de dieta. E foi por isso que ainda aconchegámos o estômago com uns mini-hambúrgueres no pão (€8,80), acompanhados com chips de batata ágria e uma óptima salada de agrião. Mas primeiro, as batatas. Uns bons chips, fininhos, estaladiços e saborosos quase fazem sozinhos uma refeição. E a batata ágria, além de ser muitíssimo saborosa, é também provavelmente a melhor batata para fazer chips. Aqui vem com casca e com a quantidade ideal de sal, sem um pingo de gordura a mais.

Quanto aos hambúrgueres (dois por dose), trazem um fantástico escalope de fígado por cima, umas chalotas cortadas fininhas e um magnífico molho de Vinho do Porto.

12304364_459996110869678_2424038336382172360_o.jpg

A sobremesa

Para acabar a refeição em grande, tivemos de experimentar a mousse de chocolate (€4). Além de ser espessa e consistente, vem acompanhada de uma deliciosa bolacha de amêndoa e de umas amêndoas lascadas por cima.

12239689_455599821309307_1189227202465120626_n.jpg

O serviço

Primeiro, as coisas boas: simpáticos e atenciosos, os empregados são capazes de responder a quase todas as perguntas que lhes colocar – mais sobre os gins do que sobre a comida. Além disso, tiveram o cuidado de não trazer todos os pratos ao mesmo tempo, como acontece frequentemente nos restaurantes de petiscos obrigando-nos a comer como um aspirador da Hoover para não deixar a comida arrefecer. Aqui não: chegaram primeiro os tártaros, depois os raviolis e as vieiras e no fim os hambúrgueres.

No entanto, não foi propriamente a coisa mais rápida do mundo. Mesmo no início do jantar, quando o restaurante estava calmo e com pouca gente – antes de começarem a chegar os clientes para o bar –, os empregados desapareciam às vezes durante longos períodos de tempo, tornando-se difícil pedir. 

12313908_459998964202726_1403090890026563131_n.jpg

As crianças

Não tem menu infantil. De noite, não tem ambiente para miúdos. Ao almoço, é um sítio simpático para as crianças, com espaço, muita luz e um palacete inteiro para eles andarem a passear. E podem comer sempre os hambúrgueres.

 

Leia ainda:

 

O bom 

O ambiente, a decoração e o facto de ter restaurante e bar de gins no mesmo sítio

O mau

A demora do serviço

O óptimo

Os raviolis de abóbora assada

 

fotos: gin lovers; casal mistério

 

Nota: Todas as despesas das visitas efetuadas pelo Casal Mistério a restaurantes, bares e hotéis são 100% suportadas pelo próprio Casal Mistério. Só assim é possível fazer uma crítica absolutamente isenta e imparcial.