Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

os divinais crocantes de salmão do sushic no mercado de algés (o quê, já foram ao mercado de algés?! ah, pois é! e contamos tudo aqui)

Já fomos ao mercado de Algés! Confesso que cada vez gosto mais desta ideia de reabilitarem os mercados e criarem food courts. Fui recentemente com uma amiga minha e os meus olhos saltaram de órbitras quando vislumbrei a palavra Sushic. Acelerei o passo e debrucei-me por cima do balcão, tal era a expectativa.

- Não me diga que este é o mesmo Sushic de Almada!

- Digo, digo!

- Que maravilha! Fico já aqui!

A minha amiga ainda olhou em redor mas perante a minha excitação, nem tentou sugerir outra coisa. E por ali ficámos. Ainda bem. Mal olhei para a lista, fixei-me no crocante de salmão. Perguntei o que era e o senhor apontou-me para um tabuleiro que já estava pronto. Quando vi que era um cone com uma bolacha muito fininha, tipo massa filo, recheado de salmão, não hesitei.

- É isso mesmo.

10957534_469658629882837_7169771168098341523_n (1)

Mas antes, deixem-me cumprir as regras que o meu querido Marido Mistério impõe no que toca a críticas de restaurantes. Falemos do... 

 

... ambiente

11698973_468352443346789_8000436177419483321_o.jpg

O mercado de Algés é bem mais pequeno do que o mercado da Ribeira e do que o de Campo de Ourique, mas ganha em charme e encanto. O espaço está lindamente bem aproveitado, sobretudo a zona das esplanadas que rodeia o edifício. E, na minha modestíssima opinião, tem uma vantagem em relação ao de Campo de Ourique: está mais bem dividido. Enquanto no de Campo de Ourique as bancas dos feirantes confundem-se com os balcões do food court, aqui há uma divisão claríssima: de um lado está a zona do mercado propriamente dito, do outro está a zona da restauração. Acredito que há quem pense que o de Campo de Ourique tem mais charme, mas sinceramente prefiro esta solução. É bastante menos confuso. A decoração é moderna, em tons de branco, com mesas altas e cadeiras em madeira clara.

11010540_468352483346785_6676153248947720024_o.jpg

A ementa

Voltando ao balcão do Sushic. Pedi 1 crocante de salmão (€3,50) – erro, devia ter pedido 2 –, uma tempura de ostras (€8) e um ceviche de peixe branco (€8,50). Já a minha amiga pediu um combinado de fusão de 11 peças (€14). O combinado era bom, saboroso, mas pouco surpreendente, sobretudo quando a assinatura é do Sushic. É óbvio que não estou à espera que me sirvam os requintados pratos do restaurante de Almada num balcão de take away no mercado de Algés.

11231320_484158511766182_904244910342105625_n.jpg

Mas confesso que esperava mais criatividade e originalidade, sobretudo quando o combinado é supostamente de fusão. As 11 peças consistiam em:

  • 3 sashimi de salmão (normal)
  • 2 sushis com alga por fora e com tempura de camarão por cima (acima da média)
  • 2 sushis com alga por fora e morangos por cima (bom, mas pouco original)
  • 2 niguiris de salmão com cebola frita (não adoro niguiris mas adorei a cebola frita)
  • 1 rolo de sushi de atum com mais atum por cima (banal)
  • 1 rolo de sushi de salmão com mais salmão por cima (banal)

Agora o meu crocante de salmão era simplesmente divinal. Tão bom! O cone de bolacha é pura e simplesmente delicioso. A massa é fininha e adocicada e o contraste com o salmão é do outro mundo. Adorei. É mesmo imperdível. Para a próxima, peço o de atum. Não. Peço 2 de cada.

11952674_488057981376235_7865851811520076974_o.jpg

Já a original tempura de ostras sabia mais à massa do que propriamente a ostras. Era uma espécie de patanisca com um ligeiríssimo e discretíssimo sabor a ostra, o que presumo que não seja o pretendido. Por fim, o ceviche de peixe branco, que vem servido numa simpática lata, era bom mas também não era perfeito: tinha um sabor demasiado intenso a gengibre, o que definitivamente não adoro.

 

O serviço

No Sushic foram simpáticos e eficientes, mas num take away não há muito a dizer. Aqui funciona o sistema de pagers para chamar os clientes ao balcão quando os tabuleiros estão prontos, o que é uma vantagem. Podemos ir calmamente buscar as bebidas e procurar uma mesa sem stress. O pager começou a vibrar cinco minutos depois de estarmos sentados à mesa.

Conclusão: vale a pena ir ao Sushic do mercado de Algés? Claro que sim, mas para experimentar os incríveis e originais cones crocantes.

 

O bom

A decoração do novo Mercado de Algés

O mau

A tempura de ostras

O ótimo

Os crocantes de salmão

 

Um ótimo almoço para si,

Ela

 

fotos: mercado de algés

2 comentários

Comentar post