Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

qual é o melhor caldo-verde: o de jamie oliver ou o de maria de lourdes modesto?

É uma das melhores sopas para nos aquecer em dias de frio e de chuva como hoje. A incontornável Maria de Lourdes Modesto diz que é das sopas que mais conservam o calor e que é uma das suas duas preferidas, a par da açorda alentejana. Já o incontestável Jamie Oliver chama-lhe um dos mais tradicionais pratos portugueses, habitualmente servido em casamentos e festas de anos.

Resumindo: estes dois verdadeiros monstros da culinária adoram caldo-verde. Até aqui, tudo bem. O problema é que cada um faz esta delícia da "soparia" nacional à sua maneira. E se Maria de Lourdes Modesto gosta de seguir a receita típica do Norte, em particular de Marco de Canaveses; Jamie Oliver prefere juntar-lhe paprika e cebola. 

E foi assim que nasceu um dos mais relevantes duelos da sociedade moderna: quem faz o melhor caldo-verde? O ideal é comparar as duas receitas e decidir por si.

JM5WKND3-soep-caldo-verde.jpg

 

O caldo-verde de Jamie Oliver

Para 4 pessoas

  • 1 cebola grande
  • 2 dentes de alho
  • 700 g de batata
  • 300 g de couve galega
  • 1 chouriço
  • Azeite
  • Paprika

 

Comece por picar a cebola e o alho, cortar as batatas em cubos e o chouriço às rodelas e preparar a couve em tiras fininhas (também pode comprá-la já preparada para caldo-verde no supermercado). Aloure o alho e a cebola numa panela, em lume médio, com quatro colheres de sopa de azeite, durante cerca de cinco minutos. Junte as batatas, tempere com sal e cozinhe durante mais cinco minutos. Acrescente 1,25 litros de água e deixe ferver, em lume brando, durante cerca de 20 minutos.

Quando as batatas estiverem bem macias, esmague-as contra o líquido até fazer um puré suave. Coloque a couve na panela e deixe cozer durante mais cinco minutos.

Entretanto, frite as rodelas de chouriço, numa frigideira com uma colher de sopa de azeite e paprika a gosto por cima, durante três ou quatro minutos. Adicione o chouriço à sopa e sirva-a, em tijelas, com um fio de azeite e um pouco de pimenta preta moída no topo. Acompanhe com uma fatia de broa de milho.

Não fosse a paprika com o chouriço e até que a receita que o chef britânico publicou no seu site não estava mal de todo.

 

O caldo-verde de Maria de Lourdes Modesto

Para 4 pessoas

  • 500 g de batata
  • 3 dentes de alho
  • 1 chouriço de carne
  • Azeite
  • Couve galega cortada em caldo-verde

 

A primeira grande diferença está na batata. Não por ser uma batata de melhor qualidade, mas por ser uma batata de menor quantidade. Esta receita típica de Marco de Canaveses, que Maria de Lourdes Modesto publicou no seu livro Sabores com Histórias, leva quase menos 30% de batata do que a receita de Jamie Oliver. Depois não leva cebola e – claro! – não leva paprika.

Coza a batata com os dentes de alho, o chouriço de carne e azeite a gosto. Esmague a batata à mão de maneira a ficar ainda com uns grânulos. Acrescente a couve e deixe cozer o mínimo indispensável só para não saber a cru. E finalize com um fio de azeite.

No mesmo livro, Maria de Lourdes Modesto fala ainda de outras receitas: no Minho há quem acrescente uma tira de presunto e quatro rodelas de salpicão, quem coza as batatas com cebola e alho e depois os deite fora e quem frite primeiro o alho em azeite antes de o juntar; na região de Basto há quem substitua as batatas por feijão canarinho; e na Beira Alta engrossa-se a sopa com farinha de milho amarelo.

Eu cá prefiro o caldo verde mais leve e sem paprika – por isso, acho que voto na receita de Maria de Lourdes Modesto.

 

Um óptimo caldo-verde para si onde quer que a paprika esteja,

Ele

 

foto: jamie oliver

 

2 comentários

Comentar post