Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

a renovada rua das flores, um passeio imperdível em plena baixa do porto

Rua_das_flores_ALG-_4_.jpg

Descobrimos a Rua das Flores por acaso. Mergulhada no GPS do meu telemóvel à procura do restaurante LSD, no Largo de São Domingos, quando levantei a cabeça fiquei encantada. Senti-me uma autêntica turista numa cidade que até conheço relativamente bem. Depois de longos meses de obras de requalificação, a Rua das Flores tem uma nova cara e muita animação. No final do épico almoço no LSD, decidimos abater as calorias num passeio à descoberta dos encantos desta rua tão pitoresca.
Ainda no Largo de São Domingos, já a entrar na Rua das Flores, a Taberna do Largo é um convite a entrar. Anuncia à porta vinhos e petiscos e, de facto, aqui encontra vinhos, queijos, enchidos e muitos outros produtos regionais portugueses. Pode entrar, sentar-se e provar ou comprar e levar para casa.

taberna do largo.jpg

À direita, uma loja de decoração e artesanato chamou-nos a atenção. O sugestivo nome “Memórias” explica o conceito. Ideal para encontrar presentes de Natal originais, muitos deles feitos à mão.

memórias.jpg

memórias2.jpg

Na porta ao lado, fica o Museu de Marionetas do Porto. Um programa muito giro para ir com as crianças. São três andares de um mundo encantado de bonecos puxados por fios e não só, onde se revive a história e os momentos marcantes do Teatro de Marionetas no Porto.

museu.jpg

v7-museumarionetas5-6671 visão.jpg

Uns passos em frente e deparamo-nos com a Livraria Chaminé da Mota, um alfarrabista com uma imensa coleção de livros sobre a Primeira Guerra Mundial e onde Ele se perdeu durante horas, para meu desespero (sim, Ele tem outros interesses para além da gastronomia, bastante mais maçadores, na minha modesta opinião).

livraria chamine da mota.gif

Abandonei-o no meio do pó dos livros antes de começar a espirrar e, em boa hora, porque foi o meu prodigioso faro que me levou a atravessar a rua e entrar na maravilhosa Mercearia das Flores. Um espaço muito giro, bem arranjado onde se pode comprar ou degustar conservas, biscoitos, azeites, vinhos, cervejas artesanais e toda uma panóplia de produtos regionais e biológicos. Uma excelente ideia muito ao estilo do Vira-Latas, da Ericeira.

mercearia das flores1.jpg

Mercearia%2009.jpg

Já a Ele cheirou-lhe a vinho, claro, e entrou no Vinofino, onde se pode petiscar e beber ou comprar bons vinhos. E, se quiser, ainda lhe entregam as compras em casa.

vino fino.jpg

Nessa altura, já estava eu embasbacada a olhar para um homem a fazer bolas de sabão gigantes no meio da rua. Até que... novamente o meu faro colocou-me em alerta máximo. Desta vez, cheirou-me a chocolate. Não era para menos: estava diante da Chocolataria das Flores, onde se podem provar chocolates e biscoitos artesanais acompanhados de um aconchegante chocolate quente. Que delícia de lugar!

chocolataria das flores.jpg

chocolataria1.jpg

No número 221, a Ourivesaria Aliança reabriu com um novo encanto: em baixo, tem uma casa de chá, no primeiro andar uma ourivesaria, e nos dois últimos recuperou-se o conceito de prêt-à-porter. Vale a pena entrar para espreitar os detalhes arquitetónicos do edifício, impecavelmente mantidos e restaurados.

get image alianca1.png

Mas a Rua das Flores continua a surpreender: mais uns passos, mais uma chocolataria, desta vez, a Equador, que também já visitámos no Chiado e é pura e simplesmente uma tentação. Só o cheiro a chocolate artesanal alimenta-nos por algumas horas.

chocolataria equador.jpg

Aliás, o fim ou o princípio da rua, depende por onde começa a andar, é um choque calórico: a Gelataria Farggi que, além dos gelados, tem também crepes, baguettes e saladas; a Nata Lisboa com os seus imperdíveis pastéis de nata; e, na porta ao lado, outro espaço com as irresistíveis bolas da praia.

farggi.jpg

Depois deste passeio, já me está a dar a fraqueza. Novo dilema: em qual das esplanadas me vou sentar?

 

Bons passeios,

Ela

6 comentários

Comentar post