Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

será que este é o melhor gelado de lisboa?

10389595_935034053194750_295847162330191598_n.jpg

Está oficialmente aberta a época do gelado. Com estes 30 graus à sombra das seis da tarde, já não sei o que fazer para tentar arrefecer este meu corpinho de Adónis. Ou melhor, até sei – o problema é a tirania dietética da minha querida Mulher Mistério que, depois de ter sobrevivido à dieta das modelos da Victoria's Secret, acha-se uma top model em potência.

Por mim, refrescava-me com gelados ao pequeno-almoço, ao almoço, ao lanche, à ceia e ao jantar. E especialmente depois de ter provado os divinais gelados artesanais da Davvero, no Cais do Sodré.

 

11781795_985862431445245_3877324574804014008_n.jpg

Os gelados

Eu sou um fã obcecado pelo Santini. Durante toda a minha tenrinha juventude, adormecia a sonhar com o gelado de meloa e acordava a pensar no gelado de avelã. E nunca percebi muito bem porque é que aquela geladaria inigualável, no centro de Cascais, fechava durante metade do ano. Até lá ter voltado há pouco tempo para encontrar o meu querido gelado de meloa com uma textura meio-farinhenta meio-empapada e um sabor mais próximo de um chá de meloa do que de uma peça de fruta gelada.

Hoje o Santini pode estar aberto todo o ano, pode fechar à meia-noite e pode ter-se expandido triunfalmente pelo país, mas o gelado de meloa que eu provei das duas últimas vezes que lá fui não tinha nada a ver com o que comia antigamente. E, mais ainda, quando o comparei com o fantástico gelado de meloa da Davvero, no Cais do Sodré, em Lisboa, inaugurada há menos de dois anos pelo ex-sócio da Nannarella

11222520_972807042750784_3540692756554747505_n.jpg

Os gelados desta loja da Davvero (foi a primeira, mas já abriram outras em Belém, Almada e Olhão – vamos ver se conseguem manter a qualidade) são preparados numa cozinha separada da sala principal por uma parede de vidro. A fruta vem supostamente todos os dias do Mercado da Ribeira, ali ao lado, e os frutos secos chegam de Itália. A verdade é que o gelado de meloa consegue misturar uma textura cremosa com um sabor único da fruta – parece mesmo que está a comer uma meloa em creme gelado. Não há ali ponta de açúcar a mais nem qualquer toque enjoativo de natas misturadas. Tudo está equilibrado e delicioso.

O de clementina também é fantástico, fresco e muito próximo do sabor original da fruta. E este é, para mim, o segredo para um bom gelado: conseguir criar um sabor o mais aproximado possível da fruta – sem açúcar nem água a mais. Também adorei o de avelã e ainda não tive coragem de experimentar os sabores mais excêntricos: wasabi, abacate ou beterraba.

13765869_1187468451284641_4721875977577374689_o.jp

Outra enorme vantagem são os preços. O mini-cone do Santini custa €1,60 mas só leva um sabor; o mini-cone da Davvero custa €1,75 mas leva dois sabores bem servidos – é quase um gelado normal num cone anão. De resto, a Davvero é comparativamente mais barata: por exemplo, uma caixa com 2 litros de gelado custa €30, enquanto a caixa de 2 litros do Santini, no Mercado da Ribeira, custa €44.

A única área em que a Davvero perde claramente é na bolacha dos cones. O Santini consegue ter uma bolacha única em Portugal: fininha, crocante e suave, desfaz-se em pequenas migalhas na boca, que nunca perdem a crocância (que bela palavra, não é?) mesmo quando mastigadas. Já as bolachas normais da Davvero (há também opções vegan, sem glúten e com chocolate) têm ar a mais no interior e não conseguem ser nem crocantes nem estaladiças – depois da segunda dentada, e quando entram em contacto com o gelado, ficam moles, transformando-se quase num clone da papa Nestum. Eu sei que vêm de Itália, eu sei que é assim que se serve lá, mas a mim não me convencem.

18423851_1493892233975593_561320206389582072_n.jpg

O ambiente

A geladaria fica na praça de São Paulo, no Cais do Sodré, e não é muito grande, o que faz com que as filas saiam até à rua nas horas de ponta. Se conseguir resistir a esperar na rua debaixo deste calor, vai encontrar uma sala simples com cubos de madeira desnivelados que dão uma imagem engraçada do espaço. Ao fundo, há umas latas de gelado empilhadas, que servem de decoração.

16649426_1409889672375850_6662524128626883451_n.jp

O serviço

Depois de chegar ao balcão, é rápido e eficaz; antes de chegar lá, é um martírio de calor – a não ser que aproveite a desidratação para compensar as calorias que vai ingerir.

 

O bom

Os preços

O mau

A bolacha dos cones

O óptimo

Os gelados de fruta

 

Um óptimo gelado para si onde quer que o calor esteja,

Ele

 

fotos: gelato davvero

 

Nota: Todas as despesas das visitas efetuadas pelo Casal Mistério a restaurantes, bares e hotéis são 100% suportadas pelo próprio Casal Mistério. Só assim é possível fazer uma crítica absolutamente isenta e imparcial. 

_________________________

Gelato Davvero
Praça de São Paulo, 1 – Lisboa
Das 12h às 20h; de quinta a sábado, até às 00h
Fecha à segunda
T: 216 053 054

5 comentários

Comentar post