Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

sobreiras country hotel, um refúgio de charme a apenas uma hora de lisboa a partir de €85

JM_FAT_Sobreiras_056.jpg

Quando falámos no blog da abertura do Sobreiras Country Hotel, em Grândola, fiquei a contar os dias para conseguir vir aqui passar um fim-de-semana. Só pelas fotografias, este hotel tinha tudo para me deixar rendida porque é basicamente a minha cara: a original e minimalista arquitetura, o branco dos quartos, a piscina infinita sobre a tranquila paisagem alentejana… tudo se conjugava para uns dias de sonho. E de facto, a profecia cumpriu-se. Ou quase…

 

JM_FAT_Sobreiras_036.jpg

O hotel

Chegámos já de noite, depois do jantar, como de costume: Ele a guiar, eu a dormir ao lado, de boca aberta encostada à janela (a idade começa a não perdoar). Mas, quando abri os olhos, fiquei logo rendida: a iluminação da fachada do hotel é de uma simplicidade e de um bom gosto que me pôs em sentido.

Os 24 quartos alinhados – só interrompidos pelo edifício que alberga a receção, as salas de estar e de jantar – pareciam milimetricamente desenhados no meio do silêncio da paisagem alentejana.

JM_FAT_Sobreiras_033.jpg

Na receção, indicaram-nos o nosso quarto, que tal como os restantes (duplos e suites) e os outros espaços do hotel, é moderno e contemporâneo. Os quartos parecem pequenas casinhas geminadas, sendo que cada uma tem o seu teto em bico. Um detalhe arquitetónico que lhes dá graça e que ganha destaque nas respetivas varandas com vista para o campo e para os sobreiros que povoam a propriedade, nas traseiras de cada um.

JM_FAT_Sobreiras_237.jpg

Só é pena que os quartos da ponta tenham à frente três enormes silos de metal que armazenam maquinaria e que estragam a paisagem. Há ainda uma casa com capacidade para 16 pessoas e piscina biológica, ideal para grupos grandes. 

JM_FAT_Sobreiras_083.jpg

O nosso quarto

O nosso quarto era exatamente o que vê na fotografia: lindo, todo em branco, com uma cama superconfortável, com ótimos lençóis e édredons, espaçoso, muito clean e minimalista… talvez até demais, por isso, pecava por ser pouco funcional. Por exemplo, no primeiro dia pedimos o pequeno-almoço no quarto e não tínhamos uma mesa e duas cadeiras para nos sentarmos, por isso, olhámos em volta à procura de uma solução: a poltrona branca ao fundo da cama tinha uma mesa baixa onde só cabia um dos tabuleiros e a varanda com dois cadeirões não tinha mesa para pousar os tabuleiros (além de não ter sombra, o que no verão alentejano é, no mínimo, abrasador): só um tronco (muito giro, por sinal) que serve de apoio com dois cinzeiros.

JM_FAT_Sobreiras_105.jpg

Aliás, os troncos de árvore são também as originais mesinhas de cabeceira. Lá está: originais, giras mas pouco práticas (só cabia o meu livro com o telemóvel por cima). Optámos por pousar os tabuleiros em cima da cama o que, na verdade, é um programa tão romântico quanto desconfortável.

Outro problema é a luz de manhã: os blinders não chegam ao chão, por isso o sol acordou o meu querido Marido Mistério às 8h da madrugada. Já eu dormi ferrada – com sol ou sem sol, durmo em qualquer sítio.

JM_FAT_Sobreiras_119.jpg

Tirando estes dois detalhes, o quarto é fantástico: espaçoso, arejado e com um chão, de cortiça, muitíssimo confortável: é daqueles pisos macios em que apetece andar descalço. Além disso, tem imensa arrumação: o armário do quarto é grande e tem boas gavetas – só a secretária é que é demasiado pequena (mas também quem é que precisa de uma secretária num hotel? Ele, claro).

JM_FAT_Sobreiras_093.jpg

A casa de banho, também ela toda em branco, é funcional mas tem um drama: não tem porta, o que significa que quem estiver no quarto partilha todos os detalhes que o outro está a fazer na casa de banho. Tem dois lavatórios (um pormenor que faz a diferença) e um ótimo duche: grande e com pressão.

JM_FAT_Sobreiras_098.jpg

As toalhas (brancas, what else?) são boas e confortáveis e há um simpático toalheiro elétrico sempre ligado, mesmo no verão, para aquecer os lençóis de banho, o que é uma maravilha. As amenities incluem um sabonete, uma touca de banho e um gel para cabelo e corpo tamanho familiar da marca portuguesa Nova Saboaria, mas tem outros extras a pedido.

Dormimos mais de uma noite no Sobreiras, e desconfio que tivemos uma empregada diferente a arrumar-nos o quarto em cada dia: no primeiro, dobraram-nos os pijamas, no dia seguinte, já não tivemos a mesma sorte mas, para compensar, trocaram os lençóis.

JM_FAT_Sobreiras_134.jpg

O pequeno-almoço

É bom mas não é fantástico: tem croissants, pão alentejano, sumo de laranja natural ótimo e fresco, queijo fresco em barra, rolinhos de queijo flamengo, fiambre normal e de frango, doce caseiro, mel, fruta fresca, e ovos mexidos... frios infelizmente. É certo que chegámos já em cima das 10 da manhã (sim, aqui o deadline para o pequeno-almoço é às 10h, mesmo ao fim-de-semana!) e estava ligeiramente caótico: sem pratos nem copos, tivemos de invadir a cozinha para pedir o que faltava. Mas o serviço foi sempre muito simpático e atencioso.

JM_FAT_Sobreiras_124.jpg

JM_FAT_Sobreiras_060.jpg

O que fazer?

O Sobreiras Country Hotel é o sítio ideal para praticar o meu desporto favorito: fazer absolutamente NADA. Foi tão bom. Consegui convencer o meu querido Marido Mistério a passar o dia na piscina a ler. Como Ele tinha que trabalhar, não refilou muito. A piscina tem uma vista deslumbrante para a paisagem tipicamente alentejana, e o som da água da piscina a cair embalou-me pela tarde fora.

JM_FAT_Sobreiras_165.jpgJM_FAT_Sobreiras_208.jpg

Almoçámos na esplanada do restaurante, mesmo em frente à piscina. O hotel só serve jantares mas disponibiliza uma ementa de sanduíches e saladas durante o dia. Pedimos uma salada de atum com feijão-frade que não era nada de especial: estava seca e tinha mais alface do que feijão-frade.

JM_FAT_Sobreiras_217.jpg

JM_FAT_Sobreiras_223.jpg

No dia seguinte, rumámos para a praia Aberta Nova: eu para apanhar sol, Ele para comer a sua salada de polvo preferida. Foi o melhor que fizemos: a piscina do hotel tinha sido tomada de assalto por uma família numerosa, com três gerações, que entre conversas, gargalhadas e gritos das crianças tornou um local tranquilo num corredor do Colombo em domingo de inverno.

 

O bom

O quarto

O mau

A luz matinal no quarto e o horário do pequeno-almoço até às 10h

O ótimo

A arquitetura, a decoração e a piscina

 

Ah, se quiser reservar um fim-de-semana em outubro, são apenas €85, por noite, em quarto duplo! Aproveite!

 

Boa viagem, 

Ela

 

fotos: sobreiras 

3 comentários

Comentar post