Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

sugestão para o feriado: comer umas amêijoas mesmo em cima da lagoa de óbidos

Se escolhe um restaurante pelo nome, dê meia volta e regresse rapidamente para a página do Facebook de onde veio. Se prefere escolher um restaurante pela comida, meta-se no carro e acelere em alta velocidade até à Lagoa de Óbidos (esclarecimento para os senhores da Prevenção Rodoviária: a "alta velocidade" é uma força de expressão, sempre abaixo do limite estabelecido pela lei do Estado português).

De facto, Covão dos Musaranhos não é o nome mais apetitoso do Mundo. Mas as amêijoas que aqui se servem são. E o lingueirão também. E os búzios. E as enguias. E os caracóis. E o melhor é seguirmos em frente.

 

O ambiente 

O espaço é do mais simples que existe: uma barraca de madeira, com uma decoração básica e uma única grande vantagem – uma fabulosa vista para a lagoa. De resto, este é um restaurante de petiscos. Sem mordomias nem luxos. Apenas com uma boa comida. Faça tudo para evitar sentar-se no interior. Por isso, telefone antes e reserve mesa na esplanada, com a melhor vista possível para a lagoa.

A ementa 

Para mim, há dois sítios onde se servem as melhores amêijoas de Portugal. O primeiro está na ilha de São Jorge, nos Açores, onde cada concha de cada amêijoa apanhada na Fajã do Santo Cristo está quase ao nível do diâmetro da carapaça de um caranguejo.

Depois, vem o Covão dos Musaranhos. Originárias da lagoa mesmo ali à frente, as amêijoas são grandes e maravilhosas. Há alguns anos, já ali as comi acabadas de trazer da lagoa em baldes de plástico. Agora o método é ligeiramente mais sofisticado, mas o sabor não mudou muito.

Se optar apenas por petiscos, vale a pena provar também o lingueirão à Bulhão Pato (da lagoa) e a deliciosa salada de búzios. Se depois de tudo isto ainda tiver fome, tem sempre umas óptimas sardinhas e as típicas enguias fritas, também apanhadas na lagoa. Mas aquilo que é mesmo muito, muito, muito bom são os petiscos.

 

O serviço 

É simpático, caseiro e familiar. Mas não espere grandes velocidades. Este é um espaço para se sentar e ir petiscando, enquanto passa uma tarde a olhar para a lagoa com os miúdos a correrem pela zona.

As crianças 

Apesar de demorar – nós chegámos às 13h30 e levantámo-nos quase às quatro e meia – foi o sítio ideal para a nossa pequena equipa de futsal. A cerca de 100 metros, eles encontraram umas pranchas de paddle para alugarem e darem um passeio diferente pela lagoa. Apesar de parecer difícil, acredite que até a Joana Vasconcelos se consegue equilibrar ali em cima. A seguir ao almoço, estivemos os seis mais de uma hora a passear nas pranchas, entre remadas e mergulhos.

O ideal é ir de manhã até Óbidos, dar um passeio de bicicleta à volta da lagoa, almoçar uns petiscos e depois experimentar as pranchas de paddle. É um programa único. E, se quiser ficar a dormir ali ao lado, tem na zona um dos hotéis de charme mais deslumbrantes do País. Veja aqui a crítica e comece a fazer já as malas.

O bom 

As amêijoas e o lingueirão

O mau 

O interior

O óptimo 

A vista da esplanada para a lagoa

 

Bons petiscos para si onde quer que esteja,

Ele

 

6 comentários

Comentar post