Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

tarte folhada de alcachofra, brie e molho pesto, uma receita tão fácil que até eu consigo fazer

Hoje vou fazer uma surpresa ao meu querido Marido Mistério. Ele tem trabalhado tanto que merece uma folga na cozinha, pobre alma. Eu também tenho trabalhado muito mas a verdade é que quando chegamos a casa, é Ele que põe o avental. Claro que eu ponho a mesa com a ajuda dos miúdos, arrumo a cozinha, tempero a salada, faço coisas importantíssimas. Mas que culpa tenho eu que Ele tenha a mania que é o Rei do Fogão?

De qualquer maneira, como sou uma alma magnânima, hoje vou fazer esta maravilha facílima e deliciosa que descobri no ótimo blog da Donna Hay. Só porque é fácil. E deliciosa. E irresistível. Eu sei. Estou a repetir-me. É da fome.

Só preciso de 5 ingredientes: massa folhada, queijo Brie partido em pedaços, alcachofras marinadas, um ovo ligeiramente batido e molho pesto. E, claro, sal e pimenta preta moída para temperar.

Se quiser saber as quantidades certas de cada ingrediente, para 4 pessoas, espreite aqui a receita original.

artichoke_pesto_brie_tart.jpg

 

 

o aperitivo mais popular de 2016: pão no forno recheado com queijo e corações de alcachofras

Acabou. Ao sexto dia consecutivo de chuva, tenho de tomar uma atitude drástica para me proteger do mau tempo. Das duas uma: ou compro um guarda-chuva ou faço este divinal aperitivo de queijo para o jantar. Confesso que ainda ponderei muito bem entre as duas hipóteses. Reconheço até que estive com um guarda-chuva na mão. Mas optei pelo queijo. Entre uma cabeça seca e um estômago cheio, privilegio sempre o estômago – até porque a cabeça encharcada seca rapidamente.

E foi assim que hoje caí nos braços desta divinal receita do blog Tastes Better From Scratch. Ainda por cima, foi o aperitivo para molhar (uns chips de batata doce ou umas tostas) mais popular do Pinterest no ano passado, com um total de 232 mil partilhas.

Tudo o que vou precisar é de um pão, sour cream (natas azedas), maionese (eu vou substituir por iogurte grego), queijo creme, parmesão ralado, alho picado, corações de alcachofras de lata ou de frasco e endro fresco. Para saber as quantidades certas de cada ingrediente, consulte aqui a receita original.

2c9a9d9dd5372602144cba8542b101ad871699e3.jpeg

 

 

folhado de queijo feta e alcachofra para começar o ano em grande

Eu sei que a noite foi de excessos mas tenho muita pena porque hoje ainda é dia de festa. Hoje ainda temos o jantar de Ano Novo. Hoje, mais do que nunca, a dieta só começa amanhã. E hoje é feriado, dia 1 de janeiro. Por isso, são muitos os motivos para continuar a comer e bem! E o que fazer com os restos de queijo da noite da passagem do ano? Um delicioso folhado de queijo e alcachofra, pois claro. Acertou em cheio! A receita é do infalível blog Bon Appétit e é tão fácil que demora apenas 15 minutos a preparar. Depois é só ir ao forno. Só precisa de natas, queijo feta, sal e pimenta, massa folhada, farinha, corações de alcachofras cortadas em metades, azeite e um ovo. Se quiser saber as doses certas destes ingredientes para 6 pessoas, espreite aqui a receita original.

artichoke-and-feta-tarts-940x600.jpg

 

 

alcachofras recheadas com queijo de cabra, uma entrada genial ou um almoço especial

Cá em casa somos todos fãs de alcachofras. Crianças incluídas. Comemos, muitas vezes, como entrada, cozidas com manteiga derretida ou com azeite e vinagre balsâmico. Quando descobri esta receita do blog a cookbook obsession entrei numa espécie de transe, por isso, não passa deste fim-de-semana. Temos mesmo de experimentar. Alcachofras com queijo de cabra? Como é que Ele, o meu querido Marido Mistério e Senhor e Mestre da nossa imensa cozinha, não se lembrou disto antes? Mas que entrada genial! E não pode ser mais fácil. Só precisa de 2 latas de corações de alcachofras, um queijo de cabra, parmesão ralado, salsa e cebolinho. Espreite aqui a lista completa dos ingredientes e respetivas doses.

Herb-and-Goat-Cheese-Stuffed-Artichoke-Bottoms-1.j

 

alcachofras grelhadas com queijo da ilha, uma receita saudável para este verão

Cá em casa toda a gente é fã de alcachofras. É o que dá educar as crianças desde pequeninas a apreciar o que é bom. Todos, sem exceção, adoram alcachofras. Na maior parte das vezes, comemos cozidas com molho de manteiga ou com azeite e um fio de vinagre balsâmico. Mas esta fantástica receita que descobri no ótimo blog proud italian cook eleva a alcachofra a todo um outro patamar. Que maravilha! 

cooked1-2.jpg

 

mini quiches de espinafres e alcachofras, a química perfeita para o seu almoço

Quem se lembra da química que havia entre o Patrick Swayze e a Jennifer Grey em “Dirty Dancing”? Ou entre o Patrick Dempsey e a Ellen Pompeo na “Anatomia de Grey”? Ou melhor ainda, entre Kerry Washington e Tony Goldwyn em “Scandal”? OK, vou parar por aqui, juro que não vou falar da Ingrid Bergman e do Humphrey Bogart em “Casablanca”. É mais ou menos a mesma química que existe entre o espinafre e a alcachofra. Não há nada a fazer. Foram feitos um para o outro. E, para mim, estas mini quiches de espinafres e alcachofras, do fantástico blog Gimme Some Oven, foram amor à primeira vista. São fáceis, rápidas de fazer (demora no máximo 30 minutos) e deliciosas. E pode congelar as que sobrarem para futuros pequenos-almoços para aqueles dias em que está cheio de pressa.

Easy-Spinach-Artichoke-Quiche-Cups-2.jpg

 

 

risotto com alheira e coração de alcachofra para combater este tempo horrível

IMG_5397.JPG

Na segunda-feira, cheguei a casa, abri o frigorífico e dei de caras com duas alheiras de caça. Duas alheiras de caça abraçadinhas? No meu frigorífico? Mas eu não comprei alheira de caça nenhuma... Resolvi perguntar a Ela se sabia, porventura, o que é que se tinha passado:

– Foste tu que compraste estas duas alheiras?

– Alheiras? Não sei o que é isso. Eu comprei dois chouriços para pôr no arroz de pato...

Este é o nível de iliteracia gastronómica com que tenho de lidar.

– Ela, não são chouriços, são alheiras.

– É a mesma coisa...

Não, não é a mesma coisa. É como o Egas e o Becas – parecem iguais, mas não têm nada a ver um com o outro. No entanto, nem tudo correu mal. Uma alheira ficou destinada ao arroz de pato – e o casamento de penalty entre os dois revelou-se uma pequena maravilha da humanidade. A outra guardei-a para fazer este risotto no dia seguinte.

Por acaso tinha sobrado uma alcachofra gigante que tinha trazido no fim-de-semana da praça, por isso resolvi arriscar e misturei estas duas preciosidades com que sonho todos os dias à noite (sim, eu sonho muito – e quase sempre com comida).

IMG_5401.JPG

Ingredientes 

  • 1 alheira de caça
  • 1 alcachofra
  • 2 copos de arroz para risotto
  • 1 cebola
  • 1 dente de alho
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • 1 copo de Lambrusco rosé
  • Queijo da Ilha lascado

 

Quando se fala de risotto, muita gente pensa que é a coisa mais difícil do mundo. Olhe que não... Olhe que não... O mais importante é comer logo que acabar de o fazer. Se cumprir isso, está quase tudo feito.

Eu comecei por cortar o pé da alcachofra e colocá-la a cozer em água e sal. Quando espetei um garfo na parte de trás da alcachofra e percebi que estava mole (isto até parece mal), tirei-a da panela e guardei a água para o arroz, como um caldo de legumes. A seguir, tirei à mão as folhas da alcachofra e guardei-as para servir à parte; o coração – a parte do meio, que pode ser toda comida (ao contrário das folhas) – ficou para juntar ao risotto. 

Noutra panela, coloquei a cebola e o dente de alho picados com um pouco de azeite e refoguei em lume médio sem deixar dourar. Juntei a alheira sem pele, partida às fatias, e deixei cozinhar durante um ou dois minutos. Deitei o arroz lá para dentro e mexi mais um ou dois minutos. Depois, despejei o copo de Lambrusco e continuei a mexer. Só quando o vinho se evaporou totalmente é que acrescentei o caldo, até tapar o arroz, e o coração da alcachofra cortado aos bocadinhos. Fui mexendo frequentemente. À medida que o caldo se foi evaporando, fui tapando o arroz com mais caldo.

O risotto demora mais ou menos 20 minutos a cozer. Mas o ideal é ir provando a partir dos dez até ficar ao seu gosto (e assim sempre vai comendo qualquer coisa enquanto cozinha).

IMG_5416.JPG

Quando desliguei o lume, juntei a colher de sopa de manteiga e mexi. Depois polvilhei com o queijo da ilha ralado grosso ou lascado.

No prato, servi o risotto e ao lado coloquei as folhas de alcachofra. À medida que fomos comendo o risotto, fomos chupando as folhas. Que maravilha! E foi assim que acabou a minha deriva saudável.

 

Vivam as alheiras e os risottos, onde quer que eles estejam,

Ele

 

fotos: casal mistério (com a poderosa ajuda das duas crianças mistério mais velhas)