Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

salmão al ajillo, o jantar ideal para quem adora alho

O meu querido Marido Mistério está fora de si com a vitória de Donald Trump nas presidenciais norte-americanas. Eu fico fora de mim só de olhar para aquela gravata gigantesca, quase a tocar no joelho, mas, apesar de tudo, resisto melhor ao choque. Por isso, resolvi procurar uma receita que o anime hoje ao jantar.

É claro que não é uma receita para eu fazer – que ainda estou a descobrir os segredos do ovo estrelado – mas é perfeita para o nosso querido mini-misterioso com pretensões a chef botar a mão na massa. O prato é um salmão no forno feito especialmente para todos os fãs de alho – e Ele é um ferveroso "alhólico". A ideia é do sempre essencial blog Gimme Some Oven.

E a receita é facílima: tudo o que o meu querido mini-misterioso vai precisar é de um lombo de salmão, manteiga, alho, ervas aromáticas secas, vinho branco, sumo de limão espremido no momento, sal, pimenta, salsa picada e cebolinho. Para saber as quantidades certas de cada ingrediente, veja a receita completa aqui.

Garlic-Lovers-Salmon-In-Foil-3.jpg

 

 

massa de alho com couve-flor assada para afugentar os pretendentes da nossa filha adolescente

Hoje a nossa filha adolescente convidou uns amigos para uma sessão de cinema cá em casa e pediu-me para fazer jantar para a malta toda. Para tentar dissuadi-la disse que ia fazer um prato vegetariano ao que ela me respondeu:

- Mãe, é indiferente, eles comem qualquer coisa. (Só não disse "dahh" porque me estava a dar graxa!)

O meu querido Ele (que começa a ficar enervado com estas sessões de cinema numa sala às escuras) lembrou-se de acrescentar um ingrediente inibidor de grandes proximidades: o alho. Não me dei ao trabalho de lhe explicar que nesta fase não há alho ou cebola que impeçam as hormonas de saltar, mas pus mãos à obra e decidi fazer esta ótima, civilizada e vegetariana receita do magnífico blog donna hay.

roasted_cauliflower_olive_garlic_pasta.jpg

 

nove minutos + uma panela = uma massa deliciosa: será que esta é a receita mais simples do mundo?

Está visto: o homem voltou de férias e com ele voltaram os exageros. É isso que está a pensar neste momento, não é? Calculei. É por isso que cá em casa me chamam Maya, o Vidente Mistério. Pois, devo dizer-lhe que, se não é a receita mais simples do mundo, é pelo menos uma das mais famosas em toda a Internet.

O fenómeno viral à volta desta deliciosa massa feita em nove minutos, com todos os ingredientes colocados ao mesmo tempo dentro de uma panela nasceu em 2011 quando a chef e apresentadora americana Nora Singley visitou a pequena aldeia piscatória de Peschici, a norte de Puglia, em Itália. Foi aí que Nora conheceu Mateo Martella, o chef de um modesto restaurante, que lhe contou a forma rápida e deliciosa como a sua mãe cozinhava a pasta: primeiro usava uma frigideira, depois colocava todos os ingredientes lá para dentro ao mesmo tempo, juntamente com uma pequena quantidade de água. Quando a água evaporava, a massa estava pronta. Mateo foi para a cozinha e preparou a massa em poucos minutos. "Estava perfeita", contou Nora à revista Slate. E com uma consistência incrível al dente.

Há dois anos, Nora publicou a receita na revista Martha Stewart Living e esta tornou-se rapidamente um fenómeno universal, com milhões de partilhas na Internet. Hoje, existem centenas de variações para fazer esta pasta al dente. Mas eu não abdico da original. São nove minutos, meus senhores!

14592305158_5a4471ba3e_b.jpg

 

 

sopa de feijão branco, pastinaca, alecrim e alho tostado (tão boa quanto difícil de pronunciar)

Pas… quê? Pastinaca? Importa-se de repetir? Sou de facto uma ignorante culinária (mas só nesta área, que fique bem claro, porque de resto sou muitíssimo culta. Se me perguntarem aqui e agora qual a capital do Burkina Faso, digo-vos já de cor e salteado que é Ouagadougou, ou o nome do… OK admito, já não vivo sem o Google).

Por isso quando descobri esta receita, fui até ao meu querido e inseparável Google e descobri tudo o que precisava de saber sobre a pastinaca ou cherovia (venha o Diabo e escolha, irra! Que raio de nomes!). É nada mais, nada menos do que uma raiz que se usa como hortaliça, da família da cenoura, mas maior, mais pálida e muito mais saborosa. Em Portugal, é cultivada na região da Serra da Estrela e pode encomendar à Ecoseiva. Além da pastinaca, esta receita deste fantástico blog inclui ainda feijão branco e alho tostado no forno. Além de lhe dar um toque gourmet, é mil vezes mais fácil de preparar, porque não tem nem que cortar o alho nem de lhe retirar a pele. É uma sopa fácil e super chique. Boa para um jantar, ótima para um almoço no escritório e excelente para beber à lareira, com uma manta e um bom livro.

Birdseye-Bright-1-.jpg

 

pão de alho com alecrim e tomilho, um petisco perfeito para um dia de frio

Fim de semana de frio e o que é que apetece? Estar à lareira, claro. A fazer o quê? A comer, evidentemente. E a beber, óbvio. E hoje o que é que me apetece? Uma das minhas entradas preferidas. Costumo pedir muitas vezes nos restaurantes mas é facílima de se fazer em casa: senhoras e senhores, apresento-vos o… pão de alho. Esta receita que descobri no delicioso site Sunday Suppers leva alecrim e tomilho e é isto mesmo que eu vou fazer e depois, comer à lareira.

2L0A0730.jpg

 

 

como descascar uma cabeça de alho inteira em menos de 10 segundos

Eu sei que um bom chef tem de estar disposto a sujar as mãos e, mais importante ainda, tem de ter um certo prazer em deitar-se na cama à noite com as mãos a cheirarem a alho ou a refogado. Pois bem, meus amigos, tenho de lhes confessar alguma coisa que vem das profundezas mais sombrias da minha alma: odeio mãos al ajillo – aquele cheiro que não sai nem à 37ª lavagem de mãos em modo anti-gripe A, aquele pesadelo que nos acompanha durante dias e dias sem fim. Não gosto. E confesso que muitas vezes usei a minha autoridade paternal para obrigar as crianças cá de casa a descascarem alho ou cebola.

Agora, finalmente, encontrei a solução que vai resolver os meus problemas de vez. E perante o cepticismo habitual contra dicas fáceis e simples, atiro apenas com um nome: Saveur. A Saveur é a melhor revista de gastronomia do mundo. Por isso, quando vejo um conselho da Saveur, benzo-me com a mesma convicção com que um acólito segura no missal. E este conselho não vem apenas da Saveur, vem do editor executivo de Comida da revista.