Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

vídeo dia da criança: miúdos de hoje provam os doces típicos dos anos 80

CS Crianças Doces.00_01_04_24.Still002.jpg

É um desafio arriscado, mas alguém tinha de o fazer. Como é que uma criança de hoje reage a umas Peta Zetas a estalarem-lhe na boca? Como é que olha para uma gemada? O que é que acha de uma sanduíche de bolachas Maria com manteiga? O que diz de umas bombocas?

Neste Dia da Criança, resolvemos fazer o teste e por isso juntámos quatro miúdos, entre os 3 e os 7 anos, para entrarem num DeLorean virtual e regressarem à época de ouro dos doces. A época dos caramelos que se colavam aos dentes como Super Cola 3, das Bombocas que só chegavam no Natal, do Tulicreme, do Capri-Sonne e das televisões com as emissões abruptamente interrompidas por uma ruidosa chuva cinzenta. Hoje temos tudo isso aqui, gravado num vídeo único para celebrar o Dia Mundial da Criança – da criança de hoje e da criança dos anos 80.

 

 

 

quais as comidas que estavam na moda em 1986

transferir.jpeg

Ontem, senti-me o Michael J. Fox a entrar no meu DeLorean a caminho de 1986. Ao meu lado, com o seu cabelo habitualmente desgrenhado, estava a minha querida e estimada Mulher Mistério em versão Dr. Emmett Brown (sim, estou a falar do cientista maluco do filme). Tudo isto porque passámos a noite a ver a nova maravilhosa série da RTP, da autoria do Nuno Markl (nada a ver com a Meghan Markle do Príncipe Harry).

A série é absolutamente imperdível para qualquer pessoa que tenha crescido naquela época, rodeada de camisolas de losângos, bicicletas Vilar, Barbies e Kalkitos. E para toda a gente que passou as tardes a fingir que estudava enquanto via o Tom Sawyer na televisão, que aprendeu a assobiar ao som do Verão Azul ou que teve verdadeiros ataques cardíacos cada vez que saía a Bota Botilde.

Mas mais do que as brincadeiras na rua e as famílias divididas pela campanha presidencial de 1986 (sim, essa eleição também dividiu esta família), a década de 80 foi aquela em que toda a nossa geração começou a perceber o encanto da comida. Não por causa de um qualquer carpaccio ou de uma salada de rúcula (porque coisas dessas não havia no nosso tempo), mas graças a verdadeiras revoluções gastronómicas como o Tulicreme, o gelado do Dedo, da Olá, ou a inesquecível embalagem de Capri-Sonne.

geladoodedoolaanos80enciclopediacromos1.png

E foi por isso mesmo que hoje decidi aqui relembrar o que era a alimentação de uma criança de 12 anos nos anos 80.

 

uma sobremesa light para o jantar do dia do pai: húmus de mousse de chocolate

Tenho uma confissão a fazer. E não pensem que é uma graçola qualquer. O assunto é sério. Não sei o que é que se passa comigo. Ando estranho. E esta noite aconteceu o inevitável: sonhei com o Júlio Isidro

Acha grave? Então prepare-se porque isto não acaba aqui. Quando estava a tomar o meu duche matinal (hoje foi dia de banho!), comecei inopinadamente a cantar o Umbadá. E acabei enrolado na toalha a dançar o É o Bicho. Por isso, antes que acabe a escrever este post no sotaque espanhol do Vasco Lourinho, tenho de fazer qualquer coisa urgente para liquidar esta crise de meia idade que se abateu sobre mim neste Dia do Pai. Preciso de um doce para me sentir jovem de novo a pedalar uma bicicleta enquanto assobio o Verão Azul.

O problema é que sempre que eu pronuncio a palavra doce nesta casa arregalam-se sobre mim dois gigantescos olhos verdes a quererem saltar das órbitas de raiva. É Ela. Essa Senhora agrilhoou-me a esse inferno que dá pelo nome de dieta. NÃO AGUENTO MAIS! Quero voltar a comer bolos com a mesma voracidade com que o Alf devorava gatos!

E foi no meio desta profunda depressão, originada pelo regresso do grande Júlio Isidro à televisão, que encontrei esta sobremesa do Popsugar: um húmus de mousse de chocolate ideal para o jantar da vasta Família Mistério que vamos ter esta noite cá em casa para comemorar o dia dos pais mais misteriosos do planeta. E ainda tem uma vantagem acrescida: como esta receita só tem 100 calorias e 5 gramas de açúcar por dose, penso que estará enquadrada nos rigorosos padrões de exigência da minha tirana Mulher Mistério.

560d00a05110f713_chocolate-hummus.jpg.xxxlarge_2x

Ingredientes

  • 1/4 de chávena de amêndoas cruas sem sal
  • 5 tâmaras sem caroço
  • 425 g de grão de bico de lata lavado
  • 1/4 de chávena de cacau amargo
  • 2 colheres de chá de xarope de ácer
  • 1 colher de chá de extracto de baunilha
  • 1/4 de colher de chá de canela em pó
  • 1/2 chávena de leite de soja com baunilha

 

Coloque as amêndoas num triturador ou na Bimby e ligue no máximo até se transformarem numa manteiga (deve demorar cerca de 5 minutos, dependendo do tipo de triturador que usar). Despeje o resto dos ingredientes e bata tudo até ficar com uma mousse aveludada. Sirva com uns palitos de fruta para ir molhando enquanto enumera todos os elogios que o seu pai tanto merece (no meu caso, são bastantes).

Há sobremesa mais deliciosa para um pai que quer voltar aos anos 80? E ainda por cima light, saudável, dietética, vegan e qualquer outra característica obrigatória de que Ela se lembre à última hora...

 

É Umbadá para todos os pais deste mundo onde quer que eles estejam (especialmente para o Tio Julião),

Ele

 

receita e foto: popsugar