Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

novidade! novidade! o novo restaurante de diogo noronha abre já para a semana com peixe, marisco e comida biológica

Chama-se Pesca e é a grande novidade do dia. Na próxima terça-feira, dia 26 de Setembro, o chef Diogo Noronha, ex-Rio Maravilha e ex-Casa de Pasto, vai abrir o seu novo restaurante no Príncipe Real, em Lisboa. Para já, sabe-se que a ementa vai andar à volta do peixe e do marisco cozinhados de forma criativa. A acompanhar, haverá ingredientes biológicos: cogumelos, couves, batata doce, espinafres selvagens ou beringelas, por exemplo.

Há meses que Diogo Noronha está a trabalhar na nova carta e, na sua página de Instagram, tem revelado algumas experiências que fez, como este tentador prato.

1.png

 

 

nomalism: o novo restaurante vegetariano de lisboa tem óptimo ambiente e comida deliciosa

12027713_1675053902730947_6838784710061167484_n.jp

À minha esquerda, um grupo de oito mulheres conversava animadamente. Atrás de mim, três mulheres almoçavam sozinhas ao balcão enquanto liam uma revista. À minha direita, duas mulheres discutiam filhos e dietas. À minha frente, a minha querida Mulher Mistério olhava para a lista como se estivesse a olhar para um livro em sânscrito. E no centro disto tudo, eu, o único homem em todo o restaurante. Senti-me o José Figueiras perdido no meio da plateia do Ai, Os Homens (só não levei vestidos os calções da Música no Coração, mas faltou pouco).

De facto, foi a minha primeira experiência num restaurante só com mulheres e uma das poucas que tive em restaurantes vegetarianos. No entanto, não resisti aos variadíssimos elogios que ouvi do novo Nomalism, um bistrô escondido num pátio discreto de Campo de Ourique, em Lisboa. 

 

novidade! novidade! abriu uma nova mercearia biológica gourmet no centro de lisboa

12118976_1703819516506525_1883010449552173237_n.jp

Estou há 24 horas com um queixo à Cavaco Silva. Não por causa da situação política do país, mas por causa da situação biológica de Lisboa. E, quando falo de situação biológica, falo do Biomercado, o novíssimo supermercado que abriu no início deste mês, na Avenida Duque d'Ávila. Além de ter uma imagem muito mais cuidada do que o Brio – decoração sóbria e elegante, com enormes áreas de ardósia e informações escritas por cima –, tem outras vantagens.

 

 

organic caffe, o novo restaurante de comida saudável (e com uma simpática esplanada para estes dias de calor)

11390241_1100881123274916_1046453220222811365_n.jp

Entrar no Organic Caffe, o novo restaurante do Banyan Tree Spa, no Hotel Palácio, no Estoril, é como entrar numa comunidade hippie dos anos 70. Não há homens de cabelo comprido nem cigarros de erva a circular de mão em mão. Mas aqui tudo transmite calma e tranquilidade. Os empregados parece que deslizam silenciosamente, sempre com um sorriso de felicidade e boa onda na cara; o ambiente é silencioso e zen; e a decoração mistura fotografias claras e bem iluminadas com cores alegres e plantas verdes.  

 

 

um restaurante perfeito para o verão: comida leve, saudável e biológica na mercearia do chiado

11151045_768029719962683_2228033186753487822_n.jpg

Preciso da sua ajuda para tentar perceber a última conversa profunda que tive com a minha querida Mulher Mistério. Foi sobre comida, claro, e ocorreu no último sábado – de 1998. Não, estou a exagerar, foi há umas semanas. A minha prezada Ela chegou a casa e, com um ar grave, anunciou:

– Descobri o restaurante ideal para ti.

– Qual?

– A Mercearia, no Chiado.

– E será que posso saber porque é que é o restaurante ideal para mim?

– Porque tem produtos como cogumelos reishi, proteína de cânhamo ou açúcar de coco...

– E porque é que isso é ideal para mim?

– Porque são alimentos que aumentam a longevidade!

– Não estou a perceber...

– Não te sentes velho?

– Não.

– Mas nós sentimos-te. Se calhar um cogumelozinho reishi ajudava...

Na verdade, acho que já não preciso da sua ajuda para perceber esta conversa – penso que é suficientemente clara. A verdade é que, qual velho precoce, lá fui a correr até à Mercearia, o fantástico restaurante de comida saudável do Chiado, em Lisboa. E não me arrependo: já me sinto 11 anos e quatro meses mais novo do que a minha querida Mulher Mistério, o que nem está muito longe da realidade.

 

 

quer um pequeno-almoço delicioso e saudável? os fantásticos croissants integrais com cereais da quinoa

image.jpg

Em que momento da nossa existência enquanto civilização moderna é que o pequeno-almoço foi substituído pelo brunch? Peço desculpa, mas essa mudança civilizacional passou-me completamente ao lado. Por alma de quem é que já ninguém fala de pequenos-almoços? Parece que os consumidores de pequenos-almoços se transformaram em estranhos seres alienígenas que continuam a viver no tempo do comboio a carvão. Pois eu devo confessar que adoro brunches, mas também sou vidrado em simples pequenos-almoços: combinações despretensiosas de pão e galão, leite e sandocha, bolo e chá. E foi exactamente isso que provei na semana passada, na Quinoa, aquela que é para mim a melhor padaria biológica do Chiado, em Lisboa.

 

 

novidade! novidade! já fomos almoçar ao novo restaurante onde tudo é biológico (até o gin e o café!)

DSC07150.jpg

Alerta geral à população! Aeeeeeeeeeehhhhhhhhhhhhh! (Isto era suposto ser a onomatopeia da sirene dos bombeiros que antigamente tocava ao meio-dia, mas acho que não resultou muito bem): o bairro de Santos, em Lisboa, está a transformar-se na nova zona cool da cidade. O sucesso do Cais do Sodré está a ser levado como uma brisa marítima para o bairro do lado: há lojas com pinta, restaurantes com estilo e novidades a abrirem todos os dias (ok, todos os dias, todos os dias, é capaz de ser exagero, mas lá que há muitas coisas novas, lá isso há...). E não estou a falar só da Av. 24 de Julho, onde estreou recentemente o Popolo. Estou a falar das entranhas mais profundas do bairro. Aquelas ruelas cheias de armazéns e graffiti, onde agora estão a abrir espaços simpáticos e originais.

E foi exactamente a um desses novos recintos lúdico-gastronómicos que este vosso fraterno casal se dirigiu há poucos dias para refeiçoar tranquilamente: fomos ao Pachamama, um restaurante totalmente biológico, que também é padaria – e também totalmente biológica.