Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

abriu o restaurante de sonho de todos os homens deste mundo: a hamburgueria da guerra das estrelas!

11401086_116792021988578_6505361714454397127_n.jpg

Tenho de confessar: este post foi escrito à revelia da minha querida Mulher Mistério. Tal como qualquer outro casal moderno, nesta casa eu não estou autorizado a fazer nada sem aprovação superior da minha estimada Ela. É a vida. Mas, neste caso, foi a única forma de levar até si esta espectacular novidade do mundo desenvolvido, culto, inteligente e cinéfilo: abriu uma hamburgueria totalmente inspirada na saga da Guerra das Estrelas.

 

 

restaurante cobra mais 30% aos homens do que às mulheres

Bife-ancho-grelhado-com-alho-e-legumes-chamuscados

Conhece o restaurante Ramona, no Brasil? Não conhece? Pois, devia conhecer. E não digo isto por o Ramona se autointitular, de uma forma ligeiramente nova-rica, um "restaurante sofisticado" ou de "cozinha fina". Nem por ter o nome da música que estava a tocar quando o Titanic se afundou. Não senhor. Digo isto porque, na semana passada, o Ramona alterou a sua ementa.

Pronto, o Homem perdeu a cabeça!

Calma, não se precipite já na ofensa gratuita. Ouça a história até ao fim. 

O Ramona (adoro o nome) alterou a ementa para aumentar os preços cobrados aos homens. 

Só aos homens?

 

 

vieiras com molho de caipiroska, a nossa forma de celebrar o carnaval

IMG_0229.JPG

Nunca tive muita paciência para o Carnaval. Aquelas imagens de adultos mascarados de bebés, homens mascarados de mulheres, mulheres descascadas como se estivessem no Sambódromo do Rio de Janeiro com 30º C, mas infelizmente estão nas ruas de Torres Vedras ou em Loulé com 8º C, são sinceramente, para mim, a visão do demo. Mas cada um sabe de si e diverte-se como quer. E cá em casa nós divertimo-nos a comer, claro. Como a troika não nos deixa ir ao Brasil, onde aí sim, se brinca à séria ao Carnaval, decidi celebrar este não-feriado com muito estilo. Como? Com uma entrada chique, super light, com sabor a Brasil, que descobri aqui. Senhoras e senhores, apresento-vos: vieiras com molho de caipiroska. Atenção: quando comprar vieiras, opte por frescas em vez de congeladas. Procure as mais carnudas e brancas. E não se esqueça de trazer as conchas que pode usá-las e reutilizá-las.

 

 

4 formas de fazer esquecer os 4 golos da alemanha

Perdemos. De uma forma quatro vezes pior do que tínhamos imaginado. É mau. Mas não é o fim. Há sempre uma maneira de reagir a uma derrota como esta. Ou, neste caso, quatro maneiras – que, como não podia deixar de ser, são quatro cocktails extravagantes. Veja qual o cocktail que melhor se adapta a si e prepare-se para o próximo jogo.

Margarita de meloa (não tem nada a ver com grande melão)

Muita atenção: não estamos a falar de melão para evitar as graçolas idiotas com a derrota desta noite. É meloa cantaloupe – e é uma boa forma de afogar as mágoas. Além da meloa, esta margarita leva licor de laranja, sumo de lima, sal e tequilla. Veja a receita completa aqui.

 

Margarita de mirtilo assado e manjericão (escura como o luto)

Estamos de luto depois de uma derrota como esta. E por isso queremos uma margarita escura como o nosso estado de espírito. Mirtilos, manjericão, lima, tequilla, sal e Grand Marnier. A receita completa está aqui.

 

Margarita de agave (light para desintoxicar)

Depois de uma tarde como esta, não queremos açúcar, queremos uma bebida light para limpar o corpo e a alma. Esta margarita trendy leva sal, lima, tequilla e xarope de agave. Quer os detalhes da receita? Vá aqui.

 

Margarita de chá verde (para dar novas energias)

Não desanime, homem (e mulher também)! Um jogo não é um Mundial. Recupere as forças com esta margarita de chá verde. Leva apenas tequilla, licor de chá verde, Triple Sec e sumo de lima. Para saber a receita vá aqui.

 

Agora anime-se, guarde a bandeira e espere calmamente por domingo. Vamos comer os americanos com ketchup e mostarda.

 

Uma boa reviravolta para si onde quer que esteja,

Ele

 

uma viagem diferente pelo rio de janeiro

É o melhor retrato do Brasil. Dois meses antes do início do Mundial, os fotógrafos italianos Edoardo Delille e Gabriele Galimberti percorreram o Rio de Janeiro à procura das fotografias que melhor representam o País. As imagens foram tiradas em estúdio, na rua ou através de uma câmara de alta definição que subiu a mais de 30 metros de altitude. O resultado é uma magnífica série de imagens que vão dos banhos de sol na praia às águas de côco no calçadão. E nas quais há três coisas sempre presentes: feijão, praia e futebol. Ah, também há muitos Carochas. Ou Fuscas, como preferir. 

Um bom Mundial para si onde quer que esteja,

Ele

 

a melhor chef do mundo é brasileira

Foi arquitecta (o que quer dizer que tem bom gosto), foi modelo (o que quer dizer que é bonita) e foi eleita a melhor chef do Mundo (o que quer dizer que sabe cozinhar) – que mais é que um homem pode querer? Não estamos a falar da mulher perfeita – até porque Ela não autorizaria –, estamos a falar de Helena Rizzo, a chef do Maní, um dos melhores, mais bonitos e mais criativos restaurantes de São Paulo, no Brasil (como, aliás, pode ver pelo espectacular site).

A eleição de Helena foi anunciada esta terça-feira pela revista Restaurant Week que, em Abril, irá anunciar a lista dos 50 melhores restaurantes do Mundo em 2014. No ano passado, o espanhol El Celler de Can Roca, de Girona, ganhou a eleição, considerada a mais prestigiada a nível internacional. 

Helena, que trabalhou também na cozinha do El Celler, é a primeira brasileira a vencer o prémio, depois de Anne-Sophie Pic, do Maison Pic de França, e de Elena Arzak, do Arzak, o três estrelas Michelin de San Sebastián. Helena recria pratos sofisticados e elegantes baseados em alimentos tipicamente brasileiros. Uma das suas mais famosas criações são as mandiocas assadas com espuma de tucupi (o sumo da raiz da mandioca brava), leite de coco e azeite de trufas brancas.

E depois de escrever tudo isto, só tenho uma pergunta a fazer: porque é que Ela nunca me convidou para jantar no Maní?

 

 

Parabéns à Helena, onde quer que ela esteja,

Ele