Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

brownies sem farinha, uma receita só para verdadeiros viciados em chocolate

Os brownies de chocolate estão para as tardes de domingo assim como os geeks estão para a Web Summit. E então se forem sem farinha fazem a felicidade da ala dietética desta família. Na verdade, eu próprio estou a tornar-me um fã fervoroso desta moda. Não propriamente por emagrecer, mas porque os brownies ficam muito mais densos e com um reforçado sabor a chocolate. Não vai sentir aquelas migalhas da farinha, parece quase que está a comer deliciosos blocos de chocolate. 

Este fantástica receita do site Food52 substitui a farinha refinada por farinha de arroz. Mas também pode usar amido de milho que fica igualmente delicioso. E é isso mesmo que eu vou fazer hoje.

Além do amido de milho, tudo o que vou precisar é de manteiga sem sal, cacau em pó, café em pó, pepitas de chocolate semi-amargo (também pode usar tabletes partidas), extracto de baunilha, ovos, nozes pecan tostadas e picadas, açúcar e flor de sal. Para saber as quantidades certas de cada ingrediente, consulte a receita original aqui.

brownies.jpg

 

 

o melhor brunch saudável de lisboa está aqui! todos os dias! e por 13 euros!

15085586_358841281135347_4298935896495157096_n.jpg

Senhoras e senhores, meninas e meninos, tenho o prazer de lhes apresentar o Nicolau. Apesar de ter nome de gente e focinho de cão, é o novo e mais do que irresistível café de Lisboa. O Nicolau é a mascote do café aberto com o mesmo nome na baixa da cidade, no Verão passado, e está pomposamente exposto na sala, através de um quadro muitíssimo menos arrepiante do que o novo busto do Cristiano Ronaldo.

 

batido de chocolate, avelã e café para começar a semana cheia de saúde

É segunda-feira e estou a precisar de muita energia para começar a semana. Demorei horas para me levantar da cama, dias para deslocar o meu corpinho de anjo da Victoria’s Secret até à casa-de-banho e séculos para lavar os dentes… Está a ser uma manhã díficil por isso preciso de uma receita que me transforme num Speedy Gonzalez em segundos. E foi precisamente o espetacular blog The First Mess que me salvou a manhã com esta receita divinal: tem chocolate, tem avelãs e tem café. Tudo o que preciso para, como dizia a minha mãe, arrebitar.

O que vale é que tinha todos os ingredientes em casa: uma banana madura congelada e cortada em rodelas, leite de amêndoa, gelo, avelãs tostadas, café expresso (frio), tâmaras sem caroço e ensopadas, cacau em pó, extrato de baunilha, sal e pepitas de chocolate.

Se quiser saber as quantidades certas de cada ingrediente, para 1 a 2 pessoas, espreite aqui a receita original.

vegan-double-chocolate-hazelnut-espresso-shake-rec

 

 

as melhores panquecas de 2016 estão no porto, num brunch que custa 6 euros

11074926_877642455633560_5442719963160359938_o.jpg

Aviso prévio: este texto não é recomendado a cardíacos. Primeiro, por causa das panquecas. Umas panquecas que juntam banana, Nutella e mel não são propriamente o mais aconselhável para quem sofre do coração. Nem outras que juntam morango, chantilly e um topping de chocolate. Ou ainda mais umas com caramelo, bolachas Oreo e frutos silvestres. Ou até com maçã, mel e canela. Enfim, a escolha é grande, o coração é pequeno.

Em segundo lugar, o preço é impróprio para quem não esteja habituado a emoções extremas: pagar €6 por um brunch com panquecas, ovos mexidos com bacon, um latte e um sumo é de fazer palpitar qualquer coração mais fragilizado.

Finalmente, o serviço também o pode deixar à beira de uma taquicardia, mas isso por motivos menos honrosos: esperar 32 minutos por umas panquecas e uns ovos mexidos dá direito a entrar directamente para o top 3 dos melhores brunches em slow motion.

No entanto, eu sou capaz de esperar o tempo que for preciso para poder comer as maravilhosas panquecas do Diplomata, na Baixa do Porto. E agora que chegámos ao final de 2016, há que dedicar uns minutos a analisar este que é verdadeiramente um dos temas do ano.

 

o brunch com os ovos mexidos gelados do casinha boutique café

14079681_1162777520446271_9166172577367112484_n.jp

– Eu vou querer um galão escuro, se faz favor.

– Galão não temos. Temos meia de leite.

– Mas eu queria mais quantidade. Não pode servir num copo ou numa chávena maior do que essa?

– Posso fazer um latte que é servido num destes copos de cartão maiores.

– Fantástico! É isso mesmo que vou querer.

– Mas o latte leva mais leite e menos café.

– E não é possível fazer o latte com mais café e menos leite? 

– Com mais café é a meia de leite.

– Mas eu queria mais quantidade...

– ...de leite? Então é o latte.

– Não. Mais quantidade de tudo. Queria um copo ou uma chávena maior.

– Então é o latte. Mas leva menos café.

Nesta fase da conversa, já tinha o batimento cardíaco ao nível da pulsação do Jorge Jesus em dia de derby. Ainda pensei que o facto de o empregado ser parecido com o Borat pudesse indiciar que eu estava a ser a estrela do próximo programa de apanhados da CMTV. Mas não. Estava simplesmente a pedir um brunch na Casinha Boutique Café, na Avenida da Boavista, no Porto.

 

a melhor terapia contra a gripe: brownie de chocolate e café com whisky

Só há uma coisa pior do que estar com gripe: dormir ao lado de alguém com gripe. Desde que a minha querida Mulher Mistério, essa autodenominada fortaleza imune a doenças, gripou, que não consigo ter uma noite seguida sem espirros, tossidelas e fungadelas. Cada vez que acordo de manhã, tenho a sensação de que durmi ao lado de uma sanfona. Não é fácil. E por isso preciso de um remédio poderoso para me curar de cinco penosas noites em claro.

A solução para hoje chegou através do fantástico blog Love and Olive Oil. São uns deliciosos brownies de chocolate, café e nozes pecan carregados de whisky. Na verdade, não são bem "carregados", mas eu acho que vou carregar.

Tudo o que vou precisar é de farinha, fermento, cacau em pó, café instantâneo em pó, sal fino, manteiga sem sal cortada em cubos, chocolate com 75% de cacau, açúcar, ovos, whisky (são só três colheres de sopa, mas eu acho que preciso, pelo menos, de duplicar a dose para conseguir dormir), pepitas de chocolate, nozes pecan picadas e flor de sal para espalhar por cima. Para saber as quantidades certas de cada ingrediente, veja a receita original aqui.

bourbon-pecan-brownies-600x900.jpg

 

um brunch com ovos mexidos, croissant e um delicioso salame com frutos secos só por €6,80? bem-vindo ao brick café

1012400_585465974892565_9122848844667453504_n (1).

Acenar-me com uma factura de €6,80 é o mesmo que pôr uma câmara de televisão à frente do Donald Trump – fico fora de mim com tanto entusiasmo. E então se essa factura for para pagar um brunch com uns fabulosos cubos de salame recheados com bolacha e frutos secos, estou pronto para me atirar de cabeça das Cataratas do Niagara (é pena o Trump não alinhar nesta aventura, também...).

Como já pode ter percebido, isto tudo é uma deixa mal conseguida para lhe falar do brunch do Brick Café, em Lisboa, uma das mais felizes e românticas relações qualidade-preço que a cidade já viu.

 

café num cone de gelado forrado a chocolate? ui! quero tanto!

É provavelmente o café mais famoso do Instagram. O hashtag #coffeeinacone já tem mais de um milhão de fotografias só naquela rede social. A ideia nasceu num café sul-africano, em Joanesburgo, o The Grind Coffee Company, e rapidamente se tornou um fenómeno na Internet. E não é para menos: um café quente num cone de bolacha forrado a chocolate? É uma entrada direta para o paraíso.

12803022_227193140966327_2290476220629284907_n.jpg

 

10 coffee shops a que tenho de ir antes de ficar velha e não poder beber cafeína

Agora que chegou o Outono, só me apetece... um café. Muitos cafés, toneladas de cafés. Por isso, fui à procura de inspiração por esse mundo fora e decidi fazer uma seleção dos melhores coffee shops do mundo retirada de uma imensa lista feita pelo Buzz Feed

 

Kaffeine, Londres, Reino Unido 

O café do Kaffeine é basicamente uma viagem a outro mundo. Faça um jejum de café antes de vir aqui porque o Kaffeine oferece o "coffee flight" que inclui: um shot de expresso, um shot de capuccino e uma infusão a que eles chamam "cold-brew cascara refresher": uma espécie de chá gelado, feito com um grão de café, que tem um misto de aroma de pêssego, alperce e cereja e um ligeiro travo a bergamota. Os funcionários do Kaffeine têm, pelo menos, três anos de formação antes de serem colocados atrás do balcão, e isso vê-se pela forma como o café é servido. É arte, meus senhores. 

 

 

café com calma, um dos sítios com mais charme no novo bairro da moda de lisboa

1782070_538908552933128_2162019166720067733_n.jpg

As mesas são velhas, as cadeiras rangem, os bancos são desconfortáveis – mas este sítio é maravilhoso. E até confortável. Entrar no Café com Calma, no coração de Marvila, um dos bairros mais típicos e castiços de Lisboa, é como entrar na cozinha da minha trisavó no pleno apogeu da Mocidade Portuguesa. Não propriamente por os empregados marcharem de braço esticado, mas porque aqui parece que está nos bastidores da série Conta-me como Foi.

 

 

a nova loucura do momento: chegaram as tostas arco-íris

Sem nome.tiff

Já não sei o que pensar sobre as novas tendências culinárias internacionais. Ou melhor, sei muito bem o que pensar, não posso é dizê-lo num blog nacional. A última loucura do momento que está a deixar a Internet em total euforia são estas tostas arco-íris que levam quatro tipos diferentes de queijo: o azul tem sabor a lavanda, o verde a manjericão, o encarnado sabe a tomate e o amarelo – ao menos esse – é uma mistura de queijos tradicionais – emmental, mozzarella, cheddar e gruyère. 

A tosta foi criada por um café de Hong Kong que se apresenta como especialista em tostas de queijo. Chama-se Kala Toast e está a vender esta invenção, que poderia ter saído directamente do Feiticeiro de Oz, por pouco menos de 5 euros. O fenómeno é tão grande que as novas tostas até já se tornaram notícia em vários meios de comunicação internacionais, como o Huffington Post.

 

é a notícia mais aguardada da década: os melhores éclairs do mundo vão chegar a lisboa

Sem nome.tiff

Estou em choque! Estou em profunda agitação interior. Há umas horas que não consigo fechar a boca. Pelo menos, desde que soube da notícia mais animadora dos últimos meses: a Leitaria da Quinta do Paço vai abrir uma loja em Lisboa, na Avenida João XXI.

Só para contextualizar esta bomba atómica que vai destruir a dieta de muito boa gente: estamos a falar dos melhores éclairs que pode imaginar, feitos com um divinal chantilly preparado artesanalmente na fábrica da pastelaria, no Porto. Feita a contextualização, vamos aos detalhes. A New in Town anunciou hoje de manhã a notícia que até era capaz de pôr Cavaco Silva a sorrir: a famosa pastelaria do Porto vai abrir uma loja em Lisboa durante o mês de Julho. Segundo o site, o espaço vai ficar no número 53 da Avenida João XXI, terá capacidade para 30 pessoas e contará com uma fábrica no interior, onde serão preparados todos os dias os divinais éclairs e o mais divinal ainda chantilly.

 

o remédio ideal para uma segunda-feira de manhã: shot de café bombom, a receita que não precisa de receita

Segunda-feira. O pior dia da semana. E, para variar, já estou atrasada. Só tenho tempo para beber um café rápido mas preciso de ganhar forças para começar a semana e, mais importante, preciso de matar a fome e, de preferência, ficar minimamente cheia. Lembrei-me de uma receita fantástica que é tão fácil e rápida que, na verdade, nem precisa de receita, e que encontrei num dos meus blogs preferidos: What Should I Eat For Breakfast Today. Se gosta de café e, de preferência, doce, vai adorar esta dica (chamemos-lhe assim). Chama-se Café Bombom e é basicamente uma deliciosa mistura de café expresso com leite condensado na mesma proporção. Se achar que pode ficar demasiado doce para si, junte uma dose mais pequena de leite condensado.

cofe-with-condenced-milk-2.jpg 

 

quer uma óptima sugestão de pequeno-almoço para o fim-de-semana? os deliciosos croissants caramelizados da tartine, no chiado

11390471_829214273840408_3827761156538231121_n.jpg

Há coisas difíceis de perceber: como é que uma pastelaria que faz uns croissants que conseguem entrar directamente para uma finalíssima da doçaria nacional, taco-a-taco, com os do Careca, no Restelo, decide escolher o nome de Tartine? Vamos lá esclarecer um ponto: uma tartine é uma fatia de pão tostado com bons ingredientes por cima, um croissant é um tratado de prazer, um manifesto de bom gosto, uma convenção de satisfação. Especialmente se forem como estes.

 

alguém tem dúvidas de que este é o melhor bolo de bolacha do mundo? eu não!

20125466_gPlnq.jpeg

Não é de ânimo leve que se faz uma afirmação desta gravidade, por isso devo dizer que estive alguns meses a reflectir profundamente antes de me sentar à frente do computador. Mas hoje estou preparado para assumir publicamente as consequências daquilo que me preparo para afirmar: [pausa] [silêncio] [suspense] [pessoas a abandonarem o blog porque não têm paciência para estas hesitações] [Ela a protestar comigo] [e aqui vai] Encontrei o melhor bolo de bolacha do mundo. 

Ok, eu admito que possa não ter provado TODOS os bolos de bolacha do mundo, mas já experimentei bastantes e este fica num honroso e destacadíssimo primeiro lugar. A responsabilidade é do famoso restaurante Canastra do Fidalgo, na Costa Nova, em Ílhavo. E os motivos são difíceis de aceitar, especialmente para quem vive a 253,03 km de distância.

Esta obra de arte da doçaria portuguesa é feita com bolacha Maria mergulhada em café. Até aqui, tudo bem. O espectáculo começa depois. Em vez do tradicional e ligeiramente enjoativo creme de manteiga (que, ainda por cima, costuma ser feito com margarina), este bolo alterna as camadas de bolacha com outras camadas de um suave e viciante creme de leite condensado que consegue não ter nem um grama de açúcar a mais do que aquele que realmente merecia. Mas ainda falta a melhor parte: por cima, é colocado um fio do inigualável doce de ovos de Aveiro, o que atira este bolo para a estratosfera da confeitaria portuguesa. E como se isto tudo não bastasse, o bolo é finalmente salpicado com mais bolacha Maria esmagada para lhe dar um toque crocante que se sobrepõe à consistência suave do recheio.