Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

limonada de mirtilos e hortelã... ou, se preferir, caipiroska de mirtilos e hortelã... ou, porque não, gin com mirtilos e hortelã

Novidade! Novidade! A minha querida Mulher Mistério perdeu exatamente, concretamente, precisamente... 1 kg. Ela está tão feliz que decidi preparar-lhe uma surpresa: uma maravilhosa limonada de mirtilos com hortelã, que descobri no fantástico Joy the Baker, seguramente um dos melhores blogs de comida e bebida que existem. Esta receita vem no The Lemonade Cookbook (que pode comprar aqui) e é maravilhosamente simples.

 

 

o spot ideal para beber um copo ao fim da tarde no algarve (já viu bem esta vista deslumbrante?!)

Captura de ecrã 2015-07-24, às 18.37.06.png

Um jovem alto e espadaúdo sai da praia ao fim do dia (sim, estou a falar de mim...) e tudo o que quer é beber um gin tónico decente enquanto olha abazurdido para uma paisagem deslumbrante. Assim mesmo, sem sequer vestir uns calções: fato de banho molhado, pés envolvidos numa densa camada de areia, gin tónico de um lado, vista deslumbrante do outro. Que mais é que um jovem alto e espadaúdo (peço desculpa por repetir este detalhe, mas é importante reterem esta informação a meu respeito) pode querer para ser feliz?

Só mesmo estar perto do Guarita Terrace. O bar, no topo da Praia Verde, foi remodelado este ano e tem uma das vistas mais inacreditáveis do Algarve. Sentado aqui, vê o enorme areal até quase ao início da ria Formosa, uma parte do pinhal da Praia Verde e o mar a perder de vista. Só é pena que aqui o sol se ponha em terra, mas o fim do dia ganha uma cor única.

 

 

a varanda do bar do grande real villa itália em cascais, a nossa última extravagância

Foi provavelmente a não reunião mais cara das nossas vidas. Tínhamos combinado um encontro de trabalho para o fim da tarde em Cascais e sugerimos o Grande Real Villa Itália. A reunião foi entretanto adiada mas nós nunca perdemos uma oportunidade de beber um cocktail ao fim da tarde, sobretudo, numa varanda como esta.

001rest.jpg

Olhámos um para o outro. E pensámos em uníssono:

- Bem, já que aqui estamos... E se nos reuníssemos os dois em torno de uma caipiroska e de uns aperitivos?

Antes do outro responder, já estávamos sentados. Ele, eu e uma gaivota super atrevida que nos fez companhia ao longo de uma tensa hora, em cima da varanda, a uns perigosíssimos centímetros de mim. Ele, sempre muito amigo dos animais, achava graça, falava "gaivotês" e fez ali uma amiga para a vida. Eu, que tenho uma relação de imenso "respeito" pelos animais, afogava os meus nervos num copo de caipiroska.

 

 

vieiras com molho de caipiroska, a nossa forma de celebrar o carnaval

IMG_0229.JPG

Nunca tive muita paciência para o Carnaval. Aquelas imagens de adultos mascarados de bebés, homens mascarados de mulheres, mulheres descascadas como se estivessem no Sambódromo do Rio de Janeiro com 30º C, mas infelizmente estão nas ruas de Torres Vedras ou em Loulé com 8º C, são sinceramente, para mim, a visão do demo. Mas cada um sabe de si e diverte-se como quer. E cá em casa nós divertimo-nos a comer, claro. Como a troika não nos deixa ir ao Brasil, onde aí sim, se brinca à séria ao Carnaval, decidi celebrar este não-feriado com muito estilo. Como? Com uma entrada chique, super light, com sabor a Brasil, que descobri aqui. Senhoras e senhores, apresento-vos: vieiras com molho de caipiroska. Atenção: quando comprar vieiras, opte por frescas em vez de congeladas. Procure as mais carnudas e brancas. E não se esqueça de trazer as conchas que pode usá-las e reutilizá-las.

 

 

o bar do peixe no meco

Peço desculpa por actualizar o blog apenas a esta hora, mas a culpa é da CMTV. Depois de ontem ter esperado uma hora à frente da televisão para ouvir a primeira entrevista com o Dux do Meco, depois de ter sido coagido a ver três vezes a mesma peça repetida sobre a reconstituição da noite do acidente no CM Jornal, depois de ter percebido que afinal a primeira entrevista com o Dux era a repetição incansável da frase "Neste momento apenas falo com as autoridades", depois de ter visto o José Carlos Castro amuado no ar porque provavelmente achou exagerada a expressão "primeira entrevista" para ouvir alguém dizer que não falava, depois de ter percebido que o Dux afinal era mais inteligente do que as jornalistas que o perseguem na rua, depois de ter desperdiçado metade da minha Noite dos Namorados com o Meco, o Dux e a CMTV, hoje de manhã tomei uma decisão importante na minha vida: fui almoçar ao Bar do Peixe, na praia do Meco.

Acordei cedo (por volta das 11h, para um sábado não está mal), meti a equipa de futsal na camioneta e atravessei a Ponte 25 de Abril com um sorriso na cara. Meia hora depois, estava no Meco, sentado à mesa de frente para o mar. E foi aí que percebi a falta que o sol me tem andado a fazer - a mim e ao José Carlos Castro. É que um bocadinho de luz natural depois de duas semanas como estas é melhor do que um Guronsan depois de uma noite no Lux. 

 

 

O ambiente

É provavelmente um dos restaurantes mais bem localizados nos arredores de Lisboa. Mesmo em frente ao mar, com uma esplanada enorme sobre a areia e com uma gigante parede de vidro a separar a sala interior da praia, tem vista para um dos melhores cenários, onde o sol gigante se põe em cima do mar. Um pouco barulhento, confuso e com música alta de noite, é sempre melhor escolher a esplanada quando puder. Mas o interior é clean e simples. É uma mistura da sofisticação dos restaurantes de praia da Comporta com a descontracção do ambiente do Meco. E tem duas enormes vantagens em relação à Comporta: é mais perto de Lisboa e não está constantemente a ouvir a senhora da mesa ao lado a repetir "Olá querida, 'tá boa?" para cada pessoa que passa.

 

 

O serviço

Há duas estações do ano no Bar do Peixe: a estação Cheia de Gente e a estação Assim-Assim. Na primeira, o serviço é mais caótico e demorado. Falham alguns detalhes, mas há sempre um enorme esforço para que tudo corra bem. Na segunda, o serviço é rápido, eficiente e especializado - os empregados sabem responder às suas perguntas sobre a comida e sabem sugerir aquilo que deve pedir. Em qualquer uma das duas estações, não há empregados mal-encarados nem a fazerem um frete. Se não o atendem melhor, é porque não conseguem. No entanto, o que realmente interessa aqui não é o serviço, é...

 

 

...A Ementa

Os petiscos

Este é um dos poucos restaurantes que tem lapas. Grelhadas com manteiga e alho, são uma especialidade nos Açores e na Madeira e um verdadeiro desperdício no continente. Existem aos milhares nas rochas das praias ao longo de toda a costa, mas raramente são apanhadas e distribuídas pelos restaurantes. No Bar do Peixe, costuma haver - e é um petisco maravilhoso e surpreendente, que mistura o sabor a mar com o da manteiga e alho. Para além das lapas, vale a pena experimentar as amêijoas (boas, mas piores do que as lapas) e os perceves (óptimos, mas piores do que os da praia da Adraga). Tudo isto vem acompanhado com pão torrado com manteiga - uma maravilha perfeita para quem está de dieta (como deve calcular, não é o meu caso...).

 

 

O peixe

É fresco e muitíssimo bem grelhado. Pescado na zona, é um peixe que se separa em lascas brancas, brilhantes e compactas. Nós comemos um robalo com quase um quilo, escalado e cozinhado no ponto - húmido e com a quantidade ideal de sal. Não é fácil grelhar um peixe de um quilo e este estava perfeito - chamuscado por fora e suculento por dentro.

 

 

As bebidas

É fundamental falar disto antes de nos despedirmos. Se puder não ter de guiar a seguir ao almoço, é o ideal. Porque aqui bebe algumas das melhores caipiroskas do mercado. Não são doces demais nem ácidas de menos - são perfeitas e com gelo picado. Se conseguir, prove também a sangria branca ou de espumante. Sempre ajuda a ver a CMTV com outros olhos.

 

O óptimo

O peixe e as lapas

O bom

As caipiroskas e as sangrias

O mau

O barulho

 

Um bom dia de sol para si, especialmente se estiver junto à praia,

Ele