Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

leia as cartas que as crianças escreviam ao pai natal há 100 anos

Dia de chuva, de frio e de luzes de Natal na rua dá-me para isto. Transformo-me num verdadeiro Charles Dickens e sou assolado por uma onda revivalista e comovente. Hoje, passei a minha manhã a ler as mais espectaculares cartas escritas pelas crianças ao Pai Natal no início do século XX.

Há pedidos por uma salamandra porque está frio em casa, por um irmão para poder brincar e até há quem sonhe com a noite em que o Pai Natal lhe traz um palhaço montado em cima de um burro.

O fabuloso trabalho é da página de Twitter Tweets of Old que foi pesquisar os jornais do início do século passado e os está a transformar em tweets. Nesta época do Natal, resolveu fazer um especial com as cartas enviadas pelas crianças para o Pai Natal.

Os textos são cortados e editados para caberem em 140 caracteres, mas são sempre os textos originais escritos no início do século XX. Veja aqui a selecção dos melhores. E pode ir já buscar o lenço – o Charles Dickens não faria melhor.

American_Children_Give_British_Party-_Christmas_For_Evacuees,_Henley-on-thames,_Oxfordshire,_1941_D5698.jpg

 

 

as cartas de um pai para os filhos

Descobri, através do óptimo Às Nove no Meu Blog, um dos melhores blogs sobre pais e filhos e um dos maiores talentos da escrita na Internet. Vou já avisando que não tem nada a ver com restaurantes, com comida, com hotéis ou com viagens. Mas tem a ver com a vida. E fala dela de uma forma maravilhosa (de vez em quando, até com uma receitinha à mistura). O autor do blog chama-se Pedro Fonseca e é um ex-publicitário do Recife, no Brasil, que quis dedicar-se à escrita. Começou por lançar um projecto fantástico a que chamou Loja de Histórias e que era tão simples quanto isto: um site onde Pedrinho (é assim que é conhecido no Brasil) recebia uma fotografia enviada por qualquer pessoa, de qualquer parte do mundo. Só fazia duas exigências: não podia ser um auto-retrato e não podia vir acompanhada de nenhuma legenda. Com base nessa fotografia desconhecida, Pedrinho escrevia um texto. Ao longo de mais de um ano, publicou milhares de textos e tornou-se uma referência de elegância, bom gosto e sensibilidade na blogosfera.

Agora Pedrinho tem este novo projecto a que chamou Do Seu Pai. São cartas dirigidas aos seus três filhos (o mais velho tem 5 anos) para eles lerem no futuro e saberem como foi a sua infância com os pais. O blog é maravilhoso, as fotografias são óptimas e as cartas são escritas com uma simplicidade e uma profundidade desconcertantes. Vale a pena visitar. E ler. É aproveitar enquanto os miúdos não crescem.

Um abraço para o Pedrinho, onde quer que ele esteja,

Ele