Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

champanhe de ananás e coco para fingir que estamos a passar o ano nos trópicos

2016 foi um ano de loucos. Começámos o blog em dezembro de 2013 por graça. Rapidamente se transformou num prazer e num vício. Tirando o pequeno pormenor de que trabalhamos os dois e temos uma mini-equipa de futsal de filhos, diria que esta aventura tornou-nos a vida ainda mais caótica do que já era (saudades de um serão a ver séries…). Mas não estamos nem um pouco arrependidos. Estamos radiantes com o feedback dos maravilhosos leitores que temos e com o crescimento impensável do blog.

Só este ano – que ainda nem sequer acabou – tivemos 13 milhões de visualizações. Além disso, juntámos mais de 8,8 milhões de visitas e mais de 4 milhões de utilizadores. Só em pageviews foi um crescimento de quase 80% em comparação com 2015. Como se isto não bastasse, lançámos um livro que já vai na terceira edição e os nossos vídeos tiveram mais de 11 milhões de visualizações em 2016. E já temos novos projectos que surgirão em 2017.

Por isso, só temos razões para comemorar. E como é que se celebra neste blog? Em grande, claro. Como não deu para viajarmos neste final de ano, vamos brindar como se estivéssemos nos trópicos: com um delicioso cocktail de champanhe, coco e ananás, que descobri no fantástico blog Pineapple and Coconut e que se prepara em cinco minutos.

11631120533_542a828e69_b.jpg

 

a maneira mais eficaz de gelar uma garrafa de champanhe em cinco minutos

wood-light-flowers-hotel-large.jpg

Agora chegou o momento Professor Karamba do dia. Encoste-se um pouco mais ao computador que eu estou prestes a adivinhar como é que vai ser o seu jantar de logo à noite. Está preparado? Então, aqui vai. Por volta das 23h30, alguém vai perguntar: 

– Onde é que está o champanhe?

E alguém vai responder:

– Está ali. Só não está é gelado.

 

ceia de ano novo: quais os melhores vinhos para acompanhar cada queijo

Tive dois grandes desgostos que marcaram profundamente a minha vida. O primeiro foi ver, aos 6 anos, O Campeão morrer à frente do filho. O segundo foi descobrir, aos 26, que os queijos não se comem apenas com vinho tinto. Não é fácil aguentar desilusões desta dimensão sem me tornar de um dia para o outro na versão masculina da Pomba Gira. Mas eu resisti. E é por isso que, todos os anos, dedico uma boa parte da minha passagem de ano a homenagear os queijos e os vinhos.

No entanto, para tudo sair perfeito é preciso encontrar o vinho ideal para cada queijo. E, se no Natal, encontrei um fantástico guia para combinar os vinhos com os pratos natalícios, agora descobri um magnífico dicionário para decidir que vinho deve acompanhar cada tipo de queijo. O trabalho de casa foi feito de forma irrepreensível e ultra-completa pelo site Fix.

Só tem de procurar o queijo que vai servir e ver quais as castas de vinho que mais se adequam. As castas e os queijos portugueses foram acrescentados por nós.

wine-cheese-pairings.jpg

 

 

um copo ao fim da tarde e um empregado que não sorri

1394442_203450719834531_818071474_n.jpg

Por que azar do destino é que é tão difícil encontrar um sítio em Lisboa onde se possa beber um copo ao fim da tarde? E porque é que, quando encontramos, somos sempre olhados de lado pelos empregados que lá estão? No outro dia, percebi de repente que eram 18h e eu estava no centro de Lisboa, com tempo livre enquanto esperava pela minha querida Ela para jantar. E como, para mim, tempo livre é tempo blogosférico, consultei imediatamente a minha poderosa base de dados, qual Edward Snowden da restauração, à procura de um sítio agradável para beber um copo. Foi assim que encontrei a simpática Champanheria do Largo, um restaurante/bar de petiscos, com vários champanhes, espumantes e cocktails, e, melhor de tudo, aberto das 12h às 24h.

 

 

o post que se segue não é aconselhável a menores de 18 anos

O famoso restaurante 34, em Londres, resolveu fazer uma homenagem erótica à top model britânica Kate Moss. Para celebrar os 25 anos de carreira da modelo, o restaurante criou uma taça de champanhe inspirada no peito esquerdo de Kate Moss. E por que não no direito?, perguntam os adultos mais difíceis de convencer. Porque a lenda diz que a primeira taça de champanhe do Mundo foi inspirada na maminha esquerda de Maria Antonieta. E as tradições são para manter.