Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

o pequeno-almoço mais delicioso (e talvez mais calórico...) do planeta: panquecas de bolachas oreo

Juntar na mesma receita panquecas e bolachas Oreo é como juntar na mesma sala a Gisele Bundchen e a Sara Sampaio. Não é fácil lidar com esta combinação dos deuses, no entanto é um crime não tentar.

E neste fim-de-semana não há cá desculpas: a Mansão Mistério vai encher-se de calorias para celebrar aquela que é a receita de pequeno-almoço mais deliciosa do planeta – talvez até da galáxia, quem sabe do Universo? São panquecas de bolachas Oreo com cobertura de chantilly de bolachas Oreo. Antes de começar a pensar que eu estou a repetir-me por causa da idade avançada, deixe-me já esclarecer: as bolachas Oreo estão mesmo em dois sítios diferentes – na massa das panquecas e na cobertura de chantilly. A ideia genial é do maravilhoso blog Granbaby Cakes.

oreo-pancakes-cookies-and-cream-pancakes-1-683x102

 

 

prepare-se para uma notícia difícil: estes éclairs merecem uma estrela michelin e estão demasiado perto de si

11218168_804931909604686_2474625644258416994_n.jpg

Não há coisa que me dê mais prazer do que entrar num sítio em que tudo corre bem: os empregados são simpáticos, a comida é deliciosa, a decoração é elegante, o serviço é rápido e as pessoas têm um enorme orgulho no seu trabalho. Quer dizer... pensando bem, se calhar pode haver coisas que me dão mais prazer do que isto – mas o que interessa é que me dá imenso gozo ir a sítios bons. Pode haver quem ache que nós somos uma espécie de Vasco Pulido Valente da gastronomia, que temos um enorme gozo em encontrar defeitos em todo o sítio, que andamos na rua a espumar de raiva à procura de um prato com um grão de pó só para poder destilar um camião TIR carregado de ódio em cima de toda a gente... Mas não. Ela é um doce de criatura e eu sou uma criatura doce. Por isso é que gostamos de encontrar gente que faz um bom trabalho.

 

acha que sabe bater as claras em castelo? e qual é o movimento ideal para bater chantilly?

7616591062_1572514e25_h.jpg

Sempre que o G20 se senta à mesa para debater o futuro da Humanidade há infelizmente um tema crucial que é negligenciado. É lamentável, mas é um facto: desde 2008 já houve oito cimeiras dos principais líderes mundiais e nunca, mesmo nunca, se falou da fórmula científica para bater as claras em castelo perfeitas. Exactamente, é o tema que falta, ou como se diria em bom inglês: The Perfect Egg Whites in Castle, para perceberem melhor, seus negligentes!

Mas enquanto os chefes de Governo dos 20 países mais ricos do mundo discutiam a banca e a alta finança, havia alguém a estudar os temas realmente relevantes. E esse alguém chama-se America's Test Kitchen, uma organização que gere uma cozinha de 232 m2, nos arredores de Boston, onde são testadas as melhores fórmulas e receitas que a Humanidade já conheceu. Desta vez, a America's Test Kitchen analisou a forma ideal de bater claras em castelo, chantilly e molho vinagrete. Para isso, usou três técnicas diferentes: para a frente e para trás, looping e circular.

 

 

os melhores éclairs do mundo estão no porto – nós já os provámos e não há discussão!

5596_533364673429099_879552854_n.jpg

Eu não queria escrever este texto. Não queria. Nem publicar esta fotografia. Não queria. Definitivamente. Sei que não deve ser fácil estar aí sentado (ou sentada) à frente do computador enquanto eu estou sentado à frente deste éclair.

10344390_588195401279359_6217916121497586531_o.jpg

E deste.

10258459_592741364158096_5026050411578201921_o.jpg

E deste.

10624575_661190797313152_1494159536903913883_n.jpg

Mas o que é que eu vou fazer? A minha vida é assim. Parece que as coisas deliciosas se atravessam no meu caminho com a mesma facilidade com que a colmeia cai no meio da testa do Winnie The Pooh. É a atracção pelo abismo. Neste caso, o abismo calórico.

Na semana passada, tive a dura tarefa de ter de deslocar o meu estômago ao Porto em trabalho. E a ainda mais dura tarefa de ter de o alimentar várias vezes ao dia na cidade. Como podem imaginar isso para mim é um suplício inumano, especialmente porque o Porto é hoje um dos sítios onde melhor se come no país e arredores.

E foi lá que redescobri os maravilhosos éclairs da Leitaria da Quinta do Paço. (Como pode perceber, este post está prestes a tornar-se cada vez mais difícil de ler – esta é a sua última oportunidade de abandonar o blog antes de sofrer um ataque súbito de inveja.)

10532731_629317883833777_7723286699976767047_o.jpg

Em primeiro lugar, a massa. A massa destes éclairs é finíssima e muito pouco doce. Além disso, consegue ainda ser dura (quase estaladiça) por fora e suave (quase uma nuvem) por dentro. É uma mistura de sensações única que sente ao trincar.

Mas isso é só o início da experiência. Mal dá a primeira dentada, vai perceber que o recheio destes éclairs não tem nada a ver com o resto. Pelos lados do bolo vai sair directamente para a sua boca o maravilhoso chantilly. Feito artesanalmente na fábrica da pastelaria, é fresco, não muito doce e tão leve como a massa do éclair. É um aperitivo perfeito para o que virá a seguir: a cobertura.

1424482_501520376613529_1910840081_n.jpg

Só quando começa a mastigar, é que se vai aperceber do delicioso sabor da cobertura e da mistura fantástica desta com o chantilly e a massa. As hipóteses de cobertura são quase intermináveis e sempre maravilhosas. Há a tradicional cobertura de chocolate (normal, branco ou preto), uma fabulosa cobertura de frutos vermelhos, mais uma de maçã, nozes e canela, outra de banana (com mousse de chocolate por dentro em vez de chantilly), mais uma de limão, mais outra de caramelo artesanal e ainda manga, cereja (na época delas), café ou maracujá.

Para os mais ousados, há também os snéclairs: feitos com a massa do éclairs, mas salgados – com queijo stilton, tomate cherry, pasta de atum, abacate ou salmão fumado.

983581_565449190220647_1252647678_n.jpg

Eu, que sou ligeiramente conservador, optei por um de frutos vermelhos, que estava delicoso. Os frutos vermelhos cortam o doce do chantilly e a mistura faz lembrar um cheesecake bastante mais leve. Ela escolheu um de maçã, nozes e canela, também com chantilly por dentro. As nozes dão uma sensação de crumble e, apesar de ser mais doce, liga perfeitamete com esta altura do ano.

10175955_570627953036104_507711000_n.jpg

Agora é escolher o que é que quer fazer à sua vida: continuar aí sentado à frente do computador ou provar os éclairs da Leitaria da Quinta do Paço. Pode ir à baixa do Porto ou ao Mercado do Bom Sucesso. Só a Lisboa é que estes éclairs ainda não chegaram. Mas parece que é capaz de não faltar muito tempo para termos novidades.

483722_398263810272520_1713829793_n.jpg

Bons doces para si onde quer que esteja,

Ele

 

fotos: leitaria da quinta do paço