Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

como cozer o arroz reduzindo as calorias para metade

Dietistas deste mundo, uni-vos! Tenho uma notícia que vai alegrar todas essas barrigas ocas que andam por aí aos caídos desde o dia 1 de Janeiro. A ciência descobriu a fórmula que vai revolucionar o mundo das dietas: como comer arroz sem engordar. Ok, se calhar é exagero: como comer arroz engordando pouco. Ou talvez, em bom rigor, como comer arroz engordando menos.

stone-pot-1402065_960_720.jpg

 

a maneira mais justa de dividir uma pizza, segundo os cientistas

vegetables-italian-pizza-restaurant-large.jpg

Há que reconhecer isto com alguma frontalidade: não estamos a atravessar uma fase fácil para a Humanidade. Parece que o Homo Sapiens acabou de entrar na Idade do Armário – e tudo o que sai daquela cabeça é altamente dispensável. A última grande descoberta vem de dois matemáticos da Universidade de Liverpool, no Reino Unido, que consideraram que a melhor maneira de ocupar o seu tempo era a descobrir a técnica ideal para dividir uma pizza.

Sim, são sete páginas de uma profundíssima investigação científica publicadas na biblioteca da Universidade de Cornell e na New Scientist. São muitas horas de reflexão, são profundíssimas discussões, são variadíssimos gráficos e diagramas. E para quê? Para encontrar a melhor forma de dividir uma pizza – e acabar com as discussões dos seus filhos em casa.

Primeira conclusão: cortar a pizza em triângulos funciona se quiser quatro fatias iguais. Se pretender, por exemplo, seis fatias iguais, a técnica do triângulo já não resulta.

 

 

o segredo para conservar os morangos no frigorífico sem os deixar apodrecer

O post que se segue pode conter linguagem ou informações susceptíveis de ferir a sensibilidade dos leitores. Não pelo mesmo motivo que levou a Assunção Cristas a mudar de canal ao primeiro segundo do Império dos Sentidos, mas porque aquilo que me preparo para dizer pode chocar qualquer pessoa que goste de fruta.

Sabe qual é a melhor forma de guardar os morangos no frigorífico sem os deixar apodrecer de bolor ao fim de 48 horas? Não sabe? Calculei... A fórmula milagrosa e chocante consiste em mergulhar a fruta em água quente durante pouco tempo. Na verdade não é água quente, é água a 52º C. E na verdade também não é durante pouco tempo, é durante uns rigorosíssimos 30 segundos.

Agora que já passou por essa sensações de choque que é ver os frutos vermelhos a cozer em água quente, o melhor é dar algumas explicações. A técnica foi inventada por Harold McGee, um cientista alimentar que testou várias temperaturas e vários períodos de tempo antes de chegar à fórmula da felicidade da frutaria. As conclusões foram reveladas ao mundo num artigo publicado por McGee no jornal americano The New York Times. E foram testadas por vários blogs e sites de notícias, como o respeitadíssimo The Kitchn. O resultado foi sempre o mesmo: a técnica da água quente conserva os frutos vermelhos durante mais tempo.

shutterstock_129155660.jpg

 

 

os 5 alimentos que ninguém devia comer (nunca!)

Não basta estar de dieta, como a minha querida Mulher Mistério. É preciso estar atento a cada migalha que coloca na boca. Eu sei que este título pode ser um bocadinho definitivo demais, mas quando temos um artigo da Mother Nature Network a garantir isso, então é capaz de ser melhor pensar duas vezes. E é nesta fase que V. Exa. pergunta: o que raio é que é a Mother Nature Network? Mais conhecida por MNN, é um grupo de media dedicado exclusivamente ao meio ambiente. Fundado pelo teclista dos Rolling Stones, Chuck Leavell, tem como sócios a CNN e o Discovery. E, neste texto, selecciona os alimentos que deviam ser banidos das nossas cozinhas.

cereal-avoid_0.jpg

1. O adoçante engorda 

Parece gralha, não é? Pode parecer, mas não é. Um estudo científico recente conclui que os adoçantes artificiais podem levar ao aumento de peso e até ao aumento da glicemia no sangue, causando obesidade e diabetes tipo II. O problema está no facto de o adoçante alterar a forma como o corpo destrói a glucose. O estudo analisou o impacto do alimento no organismo de pessoas que não estão habituadas a tomá-lo.

 

os cinco alimentos mais viciantes e os cinco menos viciantes (segundo o último estudo científico)

n-SUGAR-FOOD-large570.jpg

É oficial: a Família Mistério foi mobilizada pela "Generala" cá de casa para trabalhos forçados em prol da sua dieta. Agora é preciso descobrir deliciosas receitas light e todas as dicas úteis para a minha Querida Ela voltar a sentir-se uma verdadeira Dakota Johnson dentro de um vestidinho Saint Laurent encarnado (já agora, o que é que aconteceu ao Yves? Foi banido da marca?).

Como qualquer fiel seguidor, cumpri a minha missão com louvor e descobri aqui os cinco alimentos mais viciantes, aqueles de que Ela tem de fugir com a mesma velocidade com que o Forrest Gump corria pelo campo. As conclusões são de um estudo científico divulgado na semana passada e que, segundo a sua autora em declarações ao Huffington Post, analisou pela primeira vez a relação entre a forma como as pessoas consomem certos alimentos e as propriedades que estes têm. Mas, antes de transformar este blog no American Journal of Science, é melhor passar ao que interessa. E o que interessa é saber quais são os cinco alimentos mais viciantes da prateleira do supermercado e os cinco menos viciantes.

 

 

como fazer o gin tónico perfeito (segundo os cientistas)

Gin-Mares-research-into-how-to-make-the-perfect-gi

Porque é que os cientistas hão-de estar a estudar a vida em Marte se podem estar a descobrir qual a combinação perfeita para o seu gin tónico? Esta é a pergunta que nos devia apoquentar a todos, civilização moderna, num momento crítico para o futuro da humanidade como este. Eu não quero – nem pretendo – mudar o meu círculo eleitoral para Marte nos próximos anos. E, no entanto, quero – e até pretendo – beber um belo de um gin tónico perfeito para me alegrar o fim-de-semana. 

Foi neste comprimento de onda que o cientista escocês Stuart Bale decidiu dedicar-se ao estudo das bebidas e, mais recentemente, à investigação que a ciência reclamava há muito: qual a fórmula perfeita para fazer um gin tónico? Afincadamente, estudou 120 hipotéticas combinações de gins tónicos com botânicos e frutos diferentes. Analisou a quantidade perfeita de gin para a quantidade ideal de água tónica. Testou copos. E mediu pedras de gelo. O resultado foi anunciado em Setembro.

 

 

está de neura? quatro receitas que levantam o astral (segundo a ciência)

Vai trabalhar amanhã enquanto 90% dos seus amigos estão de papo para o ar na praia? Está de férias mas não aguenta mais ter de aturar os sogros que foram consigo? Está numa praia deserta, num tête-à-tête, mas este tempo miserável deu-lhe cabo das férias? Está simplesmente num dia-não em que a última coisa que lhe apetece é ler textos engraçaduchos em blogues de casais misteriosos? 

Leia, leia, que nós estamos aqui para ajudar. O site Huffington Post elegeu as 4 receitas ideais para levantar o humor depois de um dia-não. Não é por serem receitas simplesmente maravilhosas. É porque, além de maravilhosas, são feitas com os alimentos que carregam no botão da boa disposição dentro do seu cérebro. Duvida? Então veja lá.

Salada de quinoa com laranja e pistácio

Primeira evidência científica: os hidratos de carbono fazem o seu cérebro produzir serotonina, o que ajuda a regular as variações de humor. Segunda evidência: alguns hidratos de carbono, como a lasanha, aumentam a boa disposição imediatamente; outros, como a quinoa, demoram mais tempo a digerir e vão interagindo com o seu cérebro durante um período mais longo. Ou seja, a boa disposição pode durar dias. Se, além disso, juntar fruta, os cientistas garantem que se vai sentir mais calmo, mais feliz e mais enérgico. Veja a receita aqui


Hambúrguer de salmão 

Vantagem número um: comer com as mãos transmite-lhe uma sensação de calma e tranquilidade. Vantagem número dois: o salmão contém ómega 3, o que ajuda a melhorar a boa disposição além de ser bom para o cérebro e para o coração. É suficiente? Então o melhor é ver a receita aqui.


Salada de espinafres baby com espargos grelhados e vinagrete de tomate e estragão 

"Ah, e tal, eu estou de dieta, não vou comer hambúrgueres, mesmo que sejam de salmão". Como diria o Bart Simpson, "no problemo". Nós também descobrimos uma salada que lhe tira essa rabujice toda da cabeça. Siga esta receita, mas use os espinafres baby como base: são muito ricos em ácido fólico, uma vitamina B que, segundo os cientistas, ajuda a curar depressões. Os espargos e o tomate também contribuem para a boa disposição.

Mousse de chocolate e abacate 

E para sobremesa, claro está, chocolate, muito chocolate. Alguns estudos científicos explicam porque é que quase toda a gente gosta de chocolate e fica com outra cara quando come uma tablete inteira de seguida: o chocolate provoca no cérebro um efeito semelhante ao da marijuana. Além disso, esta receita tem café e abacate, dois outros maravilhosos alimentos para levantar o moral das tropas. 

Agora sente-se à mesa e vai ver se não se levanta mais animado.

 

Uma boa disposição para si onde quer que ela esteja,

Ele