Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

o melhor boutique hotel de espanha fica em ibiza e só tem cinco quartos

13173985_10153565280808045_4032129121642626912_n.j

Minha querida e amada Mulher Mistério, as férias deste ano estão decididas. Como estou sempre a receber queixas de que não há surpresas, este Verão é para aqui que vamos passar uns dias os dois – sem Crianças Mistério, sem blogue, sem computador e sem telemóveis.

 

 

a melhor ideia dos últimos tempos: um frigorífico solidário colocado no meio da rua

55ccfe581700006e00567788.jpeg

A ideia é simples e prática: em vez de deitar fora a comida que lhe sobrou em casa, deixa-a num frigorífico instalado no meio da rua. Quem precisa só tem de abrir a porta e servir-se. O projecto foi lançado no passado dia 30 de Abril pela Associação de Voluntários de Galdakao, um pequeno município perto de Bilbao, no País Basco, Espanha, e está a tornar-se um sucesso: recebe centenas de quilos de comida por mês e nada sobra. 

A grande diferença entre o frigorífico solidário e outros projectos de ajuda alimentar é a facilidade de todo o processo e o anonimato com que a recolha pode ser feita. Aqui não há intermediários nem redes de distribuição. Em vez de levar o saco do lixo até ao contentor, só tem de levar a comida até ao frigorífico. Por questões de segurança alimentar, só não pode colocar ovos, carne ou peixe crus. Tudo o resto é permitido. A comida feita em casa deve ter apenas uma etiqueta com a data em que foi confeccionada. 

Ao longo do dia, os voluntários da associação passam pelo frigorífico para retirar os alimentos que já tenham passado o prazo de validade. Segundo o site de notícias espanhol Deia, nas primeiras cinco semanas não tiveram de retirar nada lá de dentro: toda a comida colocada foi aproveitada. E o Guardian adianta que, ao fim de sete semanas, tinham sido recolhidos entre 200 e 300 quilos de comida numa população com apenas 29 mil habitantes.

 

 

o novo restaurante espanhol na marina de cascais

Já não tenho espaço vago no estômago para acompanhar o ritmo a que abrem novos restaurantes em Portugal. Estou a transformar-me numa pequena bola ambulante com esta sofreguidão com que pego logo no telefone mal tropeço no nome de um novo espaço.

Desta vez foi em Cascais. Meti-me no carro, fiz os 30 quilómetros de auto-estrada a salivar e estacionei na Marina de Cascais. Missão: conhecer o novo restaurante espanhol que abriu em Agosto.

 

 

onde brindar ao novo rei felipe de espanha? no novo restaurante el tomate de lisboa

Estava o príncipe Felipe (peço desculpa, o Rei Felipe VI – tenho alguma alergia a reis espanhóis chamados Felipe) a dar aquele beijo apaixonado à sua Letizia e eu a pensar: onde é que posso brindar à sucessão em Espanha, sentado à mesa, esta noite? Afinal de contas, este Felipe parece ser mais pacífico do que os outros Felipes e quem nos levou Olivença até foi um Carlos. 

Pus-me à procura de um sítio para jantar em encontrei o novíssimo El Tomate, no Príncipe Real, em Lisboa. Tudo batia certo: um restaurante espanhol, numa praça de um príncipe que se tornaria Rei. Está decidido: é lá que quero ir jantar esta noite. O novo El Tomate, aberto há dois meses em Lisboa e há cerca de um ano no Mercado do Bom Sucesso, no Porto, serve sopas, saladas, tostas, bruschettas e um prometedor "naco de vitela de primeira qualidade", garantem os donos, feito na chapa e acompanhado com três molhos numa tábua de madeira.

Isto já me chegava para deslocar estas pernas de Cristiano Ronaldo em sprint até ao Príncipe Real. Mas, nesta fase da dieta, a poucos dias do Verão, Ela precisa de argumentos mais fortes. À falta de site na Internet e perante uma página de Facebook que teve a última actualização no dia 22 de Janeiro (alô, El Tomate, estamos no ano da graça de 2014, dá para actualizarem o Facebook, por favor?!) resolvi, então, ligar para lá. Atendeu-me um simpático senhor, com pronúncia do Norte que me explicou por alto o que podia comer ali: 

- Esta bem apessoada tosta de alheira;

- Um simpático gaspacho;

- Esta charmosa sopa;

- Uma bem descrita tosta de queijo chèvre, cogumelos e vinho do porto;

- Uma adequada salada de salmão fresco;

- Uma tentadora salada de rosbife;

- Ou uns petiscos da moda, como os pimentos padrón ou os choquinhos com molho tártaro.

É claro que tudo isto é recomendado à consignação: ainda não lá fomos, por isso o elogio pode ser devolvido a qualquer momento, mas lá que à distância parece bem, lá isso parece.

Vamos fazer o seguinte negócio: se já lá foi, deixe-nos a sua opinião; se nós formos lá antes, deixamos aqui a crítica. Eu, por mim, ia lá hoje brindar ao príncipe Felipe (isto vai custar-me passar a chamar-lhe Rei), mas Ela diz que, se avisarmos quais são os sítios que vamos visitar, somos logo descobertos. Por isso ainda estamos a decidir. Por enquanto, fica a dica.

 

E viva la España, onde quer que ela esteja,

Ele

#somostodosmacacos e comemos bananas (saiba em que restaurantes)

Enquanto o mundo está a discutir se o gesto do Dani Alves foi genuíno ou uma campanha de marketing, nós estamos a comer – bananas, claro. Enquanto Neymar dizia no Instagram #somostodosmacacos, nós investigávamos. Enquanto você está a ler este post, nós já temos as nossas profundas conclusões para partilhar com o Mundo. #Somostodosmacacos. E requintados. Gostamos de comer bananas. Especialmente boas bananas. Aqui fica então a nossa homenagem a Dani Alves e a Neymar: os melhores sítios de Lisboa e Porto para comer bananas. Lamentamos, mas não tivemos tempo de procurar os restaurantes que servem bananas em Villarreal...

Começamos pelos pratos principais. No Assinatura, em Lisboa, pode provar um maravilhoso filete de peixe espada com banana. O chef António Gomes, do restaurante Típico, no Hotel Corinthia, em Lisboa, também já preparou um prato especial com banana para um Lisboa Restaurant Week no ano passado. Mas já não está na ementa. Só para deixar água na boca, aqui fica: era um filete de peixe espada e banana braseados, servidos com puré de cenoura perfumado com cardamomo e acompanhado com chips de batata doce. Talvez agora o prato volte à ementa.

Sobremesas temos em Lisboa e no Porto. Chakall tem este fantástico cheesecake de banana com chocolate quente e morangos frescos no Volver

E Pedro Lemos criou esta divinal Banana da Madeira no seu inconfundível restaurante do Porto. É feito com um brownie, uma redução de vinho da Madeira, caramelo, banana e uma mousse de banana. É servido com um sorvet de limão e bocadinhos de chocolate.

Se não tiver paciência para se enfiar num restaurante, tem sempre a hipótese Santini e passear-se pelas ruas da cidade com o fantástico gelado de banana da marca.

Ou optar por uma solução radical e enfiar-se no restaurante Meia Banana, em Vila Nova de Gaia, ou no Bananeiro, em Matosinhos. Se nada disto for suficiente para si, resta-nos sempre o José Cid. É carregar no play e ouvir bem alto...

 

 

...pode ser que alguém consiga ouvir em Espanha.

 

Um abraço ao Dani Alves e ao Neymar, onde quer que eles estejam,

Ele

conheça o restaurante mais caro do mundo (fica aqui ao lado, em ibiza)

Esqueça a definição de um jantar como a conhece. Este é todo um conceito original que mistura luz, som, tecnologia e gastronomia (de duas estrelas Michelin) num espetáculo único. Chama-se SubliMotion e infelizmente não é para qualquer um. São 20 pratos para um máximo de 12 pessoas, por 1500 euros por cabeça. Subiu direitinho para o primeiro lugar do top dos restaurantes mais caros do mundo.

É a concretização do sonho do conceituado chef espanhol Paco Roncero, depois de anos de pesquisa e investigação: um lugar onde a arte da culinária e a inovação tecnológica se juntam para criar “uma experiência sensorial e emocional sem precedentes”. Como? Vou tentar explicar: imagine um sistema de luz e som que projeta uma série de ambientes em 360º, ao mesmo tempo que controla a temperatura e a humidade da sala. Cada vez que um prato é servido, o ambiente em que os clientes estão inseridos muda radicalmente. Ou seja, você pode comer no gelo, debaixo de água, na praia ou no campo.

A própria mesa é interativa e inteligente e vai projetando imagens diferentes ao longo da refeição. Tudo isto chega a ser surreal e transcende a própria experiência gastronómica. Já para não falar da ementa que viaja do Polo Norte ao Polo Sul numa exploração incrível de sabores do mundo. Desde um aperitivo gelado que chega num iceberg a uma rosa que se desfaz na boca, tudo é surpreendente.

SubliMotion é sobretudo um espetáculo, de cerca de duas horas e meia, cuja fórmula é simples: 90% de gastronomia e 10% de emoção. E é esta loucura? Não muito longe daqui: em Ibiza, no primeiro Hard Rock Hotel a abrir na Europa, mais precisamente na Playa d´en Bossa. A inauguração está prevista para 18 de Maio de 2014. Que tal começarmos a juntar dinheiro, meu querido Marido Mistério? É, sem dúvida, mais um sítio para a nossa já imensa lista dos-locais-que-temos-de-ir-pelo-menos-uma-vez-na-vida.

Espreite o vídeo de apresentação do SubliMotion e vai perceber por que este restaurante já é o mais caro do mundo: 

 

 

Bom fim de semana,

Ela