Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

vem aí a segunda brunchcon, a maior feira de brunches do mundo

03bc12164c98d329c74a0fc9339e1eebb75ce61b.jpeg

De certeza que já ouviu falar na ComicCon, não já? Pois bem, agora chegou a BrunchCon, uma feira totalmente dedicada aos brunches. A primeira edição decorreu em Agosto, em Los Angeles, e foi um sucesso tão grande que o evento já se está a expandir para nove outras cidades. Em Março, chega já a segunda edição, em Nova Iorque.

 

 

está aí a chegar o dia nacional do gin tónico com descontos em 100 bares por todo o país

IMG_2254.JPG

Há dois dias fundamentais na vida de qualquer bom pai de família: o Dia do Pai e o Dia Nacional do Gin Tónico. E se o Dia do Pai já passou a 19 de Março, o Dia Nacional do Gin Tónico está aí a chegar a 25 de Junho. Sim, é verdade, é já deste sábado a uma semana e devia ser, com toda a segurança, decretado feriado nacional, com o Parlamento engalanado e o país entornado. 

À falta de feriado, temos, no entanto, algumas boas notícias. Em primeiro lugar, vai haver descontos em cerca de 100 bares por todo o país, o que é sempre motivo para lançar uns foguetes e abrir umas garrafas. Da Gin House ao Gin Signature ou ao Yeatman, no Porto; do Red Frog ao Tabik ou ao Pharmacia, em Lisboa; passando por Cascais, Faro, Óbidos, Vila do Conde ou Aveiro, vai haver cocktails especiais, receitas e – mais importante de tudo – promoções. 

 

 

os pratos que tem mesmo de provar na edição deste ano do peixe em lisboa

prato1.jpg

Estou dividido. Não sei se comemore ou se organize uma marcha fúnebre. Não, não estou a falar da chuvada que me ensopou a mim enquanto salvava as colheitas de trigo em Alverca do Ribatejo. Não. Estou a falar do Peixe em Lisboa, que vai começar amanhã. O conceito é maravilhoso, os restaurantes são assombrosos, os pratos são um portento. No meio de tanta notícia boa, só há um ligeiríssimo detalhe: a minha experiência no Peixe em Lisboa, no ano passado, foi tão traumatizante quanto ter assistido a um episódio inteiro da Violeta sem me poder levantar da cadeira. Como pode confirmar aqui, houve fila de 40 minutos, sala às escuras e este meu bonito corpinho sentado no chão. No entanto, houve também comida fantástica e os melhores chefs do país. 

E agora? O que é que eu faço? Vou ou fico? Convenço a minha querida Mulher Mistério a ir para a fila ou sacrifico-me qual Cristo salvador? Arrisco-me a levar com uma cadeira na testa no meio da confusão ou prescindo das gambas do Algarve em ceviche do José Avillez? Eu sei, a minha vida não é fácil, pois não?

Mas, enquanto me debato com esta sangrenta batalha interior, decidi fazer o trabalho por si e escolher os melhores pratos disponíveis na edição deste ano. Aqueles pratos que não pode mesmo perder. Veja lá se não são tentadores...

 

 

o caos do peixe em lisboa (e os seus fantásticos pratos)

Porque é que eu me fui meter nisto?

Esta foi a pergunta que ontem não me saiu da cabeça. Começou logo mal cheguei e encontrei uma fila que vinha até à rua. Pensei que fosse uma coisa rápida para entrar. Mas 40 minutos depois, quando finalmente alcancei à bilheteira, percebi que não. É mesmo um pesadelo. Por isso, primeiro conselho: compre os bilhetes de entrada para o Peixe em Lisboa através da Internet. Se bem que agora já é um conselho um bocadinho datado: num exemplo de franca modernidade, só é possível comprar os bilhetes online até às 18h do dia 31 de Março. A partir das 18h01, é fila consigo – neste caso, comigo.

Quando finalmente consegui entrar, confirmou-se tudo o que eu temia: C-A-O-S. Mesas cheias, cadeiras ocupadas, pessoas sentadas no chão, cotoveladas e discussões para conseguir um espaço encostado à parede. E é aqui que chega o segundo conselho: vá às 19h, sente-se numa mesa e leve um guarda-costas, porque há quem não aceite bem que você possa estar a guardar um lugar para alguém que foi buscar a comida. A organização optou por uma decoração fashion e confortável, com cadeirões tentadores e cadeiras almofadadas. Mas não chega. É preciso colocar também uns balcões onde as pessoas possam comer em pé e mais cadeiras espalhadas pela área. O espaço é muito cool, mas muito pouco prático.

E foi nesta fase da noite, quando estava sentado a comer no chão ao lado de uma senhora de 70 anos e julguei que mais nada podia acontecer, que a luz se apagou e a decoração virou escuridão. 

Mas porque é que eu me fui meter nisto?

De facto, só há uma razão para levar alguém para o Peixe em Lisboa com a mesma disponibilidade com que um kamikaze vai para um voo picado: a comida. No meio de todo aquele Mercado da Ribeira com decoração sofisticada, a comida é divinal. Comecei, em pé, a tentar equilibrar um copo de vinho numa mão e uma sopa de santola do Nobre na outra. Foi complicado, mas foi óptimo. Passei depois para dez minutos à espera de uma ceviche de robalo com leite de tigre do Arola. Sentei-me no chão e juntei-lhe um bacalhau a baixa temperatura com emulsão de queijo da Serra e poejo do Assinatura. É desconfortável, mas é uma delícia. A ceviche podia ser um bocadinho maior, mas é uma surpresa fantástica para uma noite de calor. E o bacalhau desfaz-se em lascas como se fosse um robalo do mar – a mistura com o queijo da Serra resulta na perfeição e a quantidade dá para a refeição de uma pessoa.

Passámos então para umas vieiras marinadas com abacate (excelentes!) e para um bacalhau à brás com azeitonas explosivas do José Avillez. O bacalhau estava com os ovos molhados e as azeitonas moleculares parecem balões que rebentam na boca e libertam o sabor da azeitona líquido. É uma experiência única que faz esquecer o frio do chão nas suas pernas. Acabámos com umas chips do Claro! (picantes, muito fininhas e hiperestaladiças) e com um falso oreo de muxama de atum e hortelã da ribeira do Arola – é uma sanduíche de bolachas doces com o creme salgado da muxama de atum no meio: maravilhoso! 

É claro que, apesar de ter vontade, eu não comi tudo isto sozinho: éramos seis e as crianças comem como adultos (ainda pediram duas doses de sushi). Mas prepare-se porque o Peixe em Lisboa é uma experiência cara e desconfortável. É preciso gostar muito de comida para jantar ali.

Para acompanhar, percebi que os copos de vinho de 1,5 euros são o JP e o BSE, que eu dispenso, muito obrigado. Mas descobri um vinho branco fantástico por 3 euros o copo e que está com uma óptima promoção na venda das garrafas. Chama-se Pasmados e é um vinho excepcional, que mistura um paladar ligeiramente frutado com o sabor da madeira. Depois de ter bebido dois copos por 6 euros, realizei que, na compra de duas garrafas, pagava 5 euros por cada – é um preço que vale mesmo a pena!

Agora a pergunta: está preparado para uma batalha campal ao jantar?

 

Boa batalha para si, onde quer que esteja,

Ele 

os melhores pratos do peixe em lisboa (é já amanhã)

Chove, está frio, torci um pé e encontrei o Mário Lino na rua – uma semana para esquecer, pergunta vossa excelência com toda a pertinência. Não, respondo eu com toda a ousadia: esta é uma semana para mais tarde recordar. E não estou a falar da minha experiência traumática com o Mario Lino (não sei se se lembram do Lino e Pino, Pino e Lino?) que analisarei noutro dia, estou a falar do Peixe em Lisboa, que começa amanhã e que terá até ao dia 13 de Abril excelentes chefs, óptimos restaurantes e bons preços.

Poderá fazer workshops, ouvir conferência, participar em provas de vinhos e alimentos ou simplesmente comer. E é para isso que nós estamos aqui. Por 15 euros, tem direito a uma entrada, uma degustação de um prato de 5 euros, uma bebida de 1,5 euros e um copo para prova. Se for durante a semana, até às 15h, tem direito a mais coisas e se for em grupo ou na segunda-feira, dia 7, tem ainda mais. Tudo o resto é pago à parte. Todos os detalhes estão aqui. Para já, nós fizemos a nossa selecção dos pratos que nos parecem supimpas. Ou, como diria o Mário Lino, ninguém quer construir um aeroporto num deserto (não sei o que é que isto tem a ver com o Peixe em Lisboa, mas é sempre bom recordar frases inteligentes). Ora veja lá se não é de ir até ao Pátio da Galé, no Terreiro do Paço:

Pratos de €4

- Falso “oreo” de muxama de atum e hortelã da ribeira (Arola)


Pratos de €5 

- Cornucópia com tártaro de salmão e maçã (Assinatura)

- Choco frito com maionese de wasabi (Bica do Sapato)

- Gaspacho de cereja e tosta com cavala fumada e creme de requeijão (José Avillez)

- Sopa de santola (O Nobre)

- Caranguejo frito com creme de abacate e lima (Ribamar)

- Bahn Mi – pão vietnamita com ceviche e ervas aromáticas (Umai)

- Prego de skrei (Tasca da Esquina)

 

Pratos de €6
- Espetada de camarão com espuma de alho (Assinatura)


Pratos de €7 
- “Cornetto” de sapateira com caril e iogurte (José Avillez)

- Tártaro de gambas e ouriços-do-mar (Ribamar)


Pratos de €8
- Ceviche de robalo com leite de tigre (Arola)

- Bacalhau a baixa temperatura com emulsão de queijo da serra e poejo (Assinatura)

- Hambúrguer de espadarte em pão de brioche, aioli de ervas finas e caril (Bica do Sapato)

- Lombo de robalo selvagem e milhos de ameijoas (O Nobre)

- Vieiras coradas com espuma de caril indiano (Umai)


Sobremesas de €4

- Figos turcos com nutella e erva doce (Claro!)

- Triffle de brownie e espuma de Moscatel de Setúbal JMF (Umai)


Sobremesas de €5

- Gelado de manteiga de amendoim, mousse de chocolate e molho de caramelo (Avenue)

- Cornetto caseiro com gelado de pimento e framboesa com mousse de hortelã da ribeira, poejo e sardinha doce de Trancoso (Bica do Sapato)

- Pudim Abade de Priscos (Tasca da Esquina)

 

Se nada disto lhe agrada, veja a lista completa de todos os restaurantes aqui.

 

E boa pescaria para si, onde quer que esteja,

Ele

o jantar mais louco do mundo vai estar em lisboa

Está habituado a reservar uma mesa num restaurante onde tem uma ideia da ementa, pegar no carro calmamente, chegar a um sítio com várias mesas, sentar-se no lugar que marcou e escolher o que realmente lhe apetece comer, não é? Pois, mas não é de nada disso que vamos falar agora. Agora vamos falar de jantar no meio de uma cena da série The Killing, sentado numa garagem, com seringas em cima da mesa e assassinatos à sua volta. Agora vamos falar de comer dentro de uma igreja, junto ao altar, com erva a circular e cinzeiros a servirem de pratos. Agora vamos falar de uma experiência radicalmente diferente e que chegou a Portugal este ano.

Chama-se Silver.Spoon e é uma empresa dinamarquesa que organiza experiências temáticas ao jantar nos sítios mais inesperados, com o ambiente mais surpreendente. O primeiro jantar em Portugal foi em Janeiro. O próximo será em Abril, em Lisboa e no Porto, e pouco mais se sabe sobre o que vai acontecer. A organização só diz que o tema será o "okupa", o movimento underground que nasceu nos anos 60 para lutar contra o sistema capitalista. A Silver.Spoon vai ocupar um prédio abandonado, montar um cenário relacionado com o tema (música, performances, objectos e artigos de decoração) e preparar um jantar de cinco pratos também ligados ao movimento.

Quando montou a recriação da série The Killing, havia contornos de cadáveres desenhados no chão, luvas de CSI para os convidados usarem durante a refeição e câmaras a filmarem as cenas. Tudo foi montado para parecer que você está dentro da série a viver essa experiência. Mas tudo é um mistério até ao dia do evento.

Se quiser participar nesta iniciativa, em Lisboa (dias 15 e 16 de Abril) ou no Porto (dias 18 ou 19 de Abril), tem de se inscrever no site da Silver.Spoon e esperar que o seu nome seja escolhido (há vários candidatos para um número de vagas limitado). Se for seleccionado, será contactado por e-mail. Terá de pagar 80 euros por pessoa e esperar. Na véspera do jantar, é informado do local exacto onde será a experiência e das instruções que deverá seguir para lá chegar. Terá de estar no local secreto às 19h15, quando será servido um welcome drink; às 20h começa o jantar. Não são tolerados atrasos. 

A ementa para este jantar será:

Urban Fishing for Snacks

Missing Payments

Out of Gas

No Electricity

Broken

Stolen Sweets

Cada um destes misteriosos pratos é preparado com alimentos, uma apresentação e um ritual ligados ao respectivo nome. A comida é preparada em parceria com o Eleven Catering, a divisão de catering do restaurante Eleven. Mas é bastante mais interessante e original do que o restaurante. Está preparado para uma loucura destas?

 

Um abraço para todos os okupas, onde quer que eles estejam,

Ele

novidade! novidade! vá comer pratos internacionais com os melhores chefs ao campo pequeno

Juntar Paulo Morais, Bertílio Gomes, Alexandre Silva, Chakall e Kiko no mesmo sítio a cozinharem para si é um sonho. Juntar Paulo Morais, Bertílio Gomes, Alexandre Silva, Chakall, Kiko e mais cinco chefs no mesmo sítio a cozinharem para si e para mais uns milhares de pessoas é o evento Comidas do Mundo. Esta Arca de Noé dos chefs portugueses começa no próximo dia 20 de Fevereiro no Campo Pequeno e, durante cinco dias, vai ser a minha cantina. Aqui cada chef fará pratos inspirados num país diferente. E você só tem de comer. É bom, não é? Pelo menos, promete... 

 

Se, além de comer, ainda gostar de dançar, poderá rebolar-se ao som de DJs ou numa festa exclusiva no sábado à noite. A entrada custa dez euros e o evento está aberto entre as 12h30 e as 24h, excepto no dia da inauguração, em que só começa às 18h.

Agora, tente lá descobrir: já percebeu porque é que Lisboa é uma das cidades mais cool da Europa?

 

 

 

Um abraço para si, onde quer que esteja,

Ele

  

Lista dos chefs que já confirmaram:

 

Alexandre Silva (Bica do Sapato) - vai cozinhar pratos de Itália

António Alexandre (Lisbon Marriott Hotel) - vai cozinhar receitas da Alemanha

Bertílio Gomes (Chapitô à Mesa) - vai cozinhar pratos de Marrocos

Chakall (Volver) - vai cozinhar os sabores do Peru

Kiko (O Talho) - vai cozinhar pratos da Argentina

Luís Baena (ex-Manifesto) - vai fazer receitas da zona ibérica

Marlene Vieira (Avenue) e João Sá (Assinatura) - vão cozinhar pratos dos EUA

Paulo Morais (Umai) - vai trazer os sabores do Japão

Vítor Esteves (Pingo Doce) - vai cozinhar pratos da Dieta Mediterrânea

 

mercado do mar este fim de semana em cascais

 

É sexta-feira, você quer ir para a brincadeira e, apesar de no bolso não ter um tostão, quer ideias, não é isso? Pois claro, é exactamente para isso que nós estamos aqui, tal como o Boss AC está para os pós-adolescentes à procura de um emprego melhor - para o reconfortar. Meta-se no carrinho e faça-se à autoestrada. Vinte e cinco minutos depois, se partir de Lisboa, como nós, está no centro de Cascais, à frente do Mercado da Vila. Nós explicamos. Fascinados com o sucesso do Mercado de Campo de Ourique, os senhores da Câmara Municipal de Cascais quiseram também remodelar o mercado de Cascais. E têm uma coisa a seu favor: sobra-lhes na beleza e na amplitude do espaço aquilo que lhes falta na originalidade. Por isso, de vez em quando, (que todos os dias dá muito trabalho) organizam fins-de-semana temáticos no mercado. Não espere nada de muito sofisticado, nem a onda moderna e trendy de Campo de Ourique. Mas pode ser que um dia chegue lá. No Verão é agradável. No Inverno vamos experimentar.

Este fim-de-semana, de hoje a domingo, entre as 12h e as 23h, vai lá estar o Mercado do Mar. Haverá spots de restaurantes como o Moules&Gin e o Sushiway, haverá vinhos e produtos gourmet à venda e ainda sessões de "show cooking". Tudo à volta do peixe. Eu não estou à espera de nada muito tchan!, mas acho que vale a pena dar lá um salto para experimentar. Vá e depois diga-nos o que achou aqui nos comentários.

 

 

 

 

 

 

Bom fim-de-semana para si, onde quer que esteja,

Ele