Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

vai uma limonada de gengibre para resistir ao mau tempo?

Com que então estávamos convencidos de que era Primavera, hã? Se 15 graus de temperatura máxima em Lisboa e 13 no Porto forem Primavera para si, então está com sorte. Se preferir calor e céu sem nuvens, temos pena, interrompemos a Primavera por uns instantes e retomamos a emissão dentro de momentos.

É para agradar a toda a gente (quem está feliz com este tempo e quem não está) que falo desta magnífica limonada de gengibre, descoberta no fabuloso (já que não posso elogiar o tempo, gasto todos os adjectivos aqui) blog Love and Olive Oil. É fresca para os poucos minutos de sol e picante para tratar a sinusite causada pela chuva e pelas nuvens. Além de tudo, é fácil de fazer, o que agrada a toda a gente.

Eu, que nem sou grande fã de gengibre (o responsável pela parte picante da limonada), adorei.

 

uma receita saudável e fácil para um dia de chuva como este: lombo de salmão curado caseiro

Vamos lá aqui esclarecer um ponto importante na nossa relação: não gosto de chuva. Por isso, já sabe: em dias de chuva, sou um ser humano ainda mais insuportável do que em dias de sol (se é que isso é possível...). Isto para avisar que não tem de me aturar. Pode perfeitamente mudar para um blog inglês que eles lá adoram este tempo que, ainda por cima, faz tão bem à relva.

O pior da chuva nem é o facto de encharcarmos os pés cada vez que corremos para não nos molharmos, ou ficarmos como o Homem da Atlântida cada vez que um carro passa por cima de uma poça ao nosso lado. Não. O grande drama destes dias de chuva é que o universo se une para nos empurrar para pratos que eu abomino, como guisados, jardineiras, pezinhos de coentrada e outras especialidades que conseguem ter mais de 100 calorias por cada três gramas de peso. É como se ainda vivêssemos na idade das cavernas e precisássemos da gordura para nos aquecer. 

(Estou a ser ligeiramente insuportável com esta conversa, não estou? Eu avisei...)

Mas neste fim-de-semana, dedicado ao nosso grande amigo Joaquim, eu arranjei uma solução para ultrapassar esta minha depressão pluviosa. Fui procurar um prato saudável e indicado para dias de chuva. A solução vem da Suécia e a magnífica receita é do não menos magnífico site Saveur.

recipe_gravlax_408x703.jpg

 

 

5 receitas deliciosas de chocolate quente para aquecer os dias gelados que estão aí

IMG_5239-3-0.jpg

A Serra da Estrela desceu até nós. As temperaturas caíram 5 a 6 graus, o vento deu cabo das árvores e a chuva inundou as estradas. Mas antes que comecem a dizer que o Casal Mistério vai abrir uma estação meteorológica, vou já passar para os finalmentes: nós temos a solução para a massa de frio polar. Não é um cachecol de lã; são cinco deliciosas receitas de chocolate quente. E quando digo deliciosas estou a dizer, por exemplo, chocolate quente de Nutella. É isso mesmo: prepare-se que este post vai aquecer. 

 

 

gin bombay sapphire com coentros, zimbro e limão

É de mim ou hoje vi uns raios de sol no céu? Não tenho bem a certeza se foi mesmo assim, porque a última vez que os vi já foi há tantos meses que tenho medo de me ter esquecido da sensação que se sente. De qualquer forma, mesmo com a dúvida no ar (em vez de nuvens no ar), acho que não deixa de ser motivo para comemorações. E comemorações cá em casa são com um copo de gin.

Na falta dos ingredientes para seguir a receita oficial de um Bombay Sapphire, segui a receita improvisada. E não ficou nada mal.

Primeiro refresquei o copo com umas pedras de gelo a girar. Depois deitei um raminho de coentros, uma tira de casca de limão e quatro bagas de zimbro, ligeiramente espremidas para libertarem os aromas. Com a colher torcida, misturei tudo com um cálice de gin Bombay Sapphire. A seguir, deitei uma garrafa de tónica Fever Tree Indian Light através da colher torcida, para não perder o gás, coloquei mais umas pedras de gelo e mexi duas ou três vezes.

Há meses que estava a hesitar misturar coentros no gin, porque me parecia demasiado exótico. Mas, com um pouco de sol, o exotismo nunca é demais. E não foi.


Ingredientes

- 1 cálice de gin Bombay Sapphire

- 1 garrafa de tónica Fever Tree Indian Light

- 1 raminho de coentros

- 1 tira de casca de limão

- 4 bagas de zimbro

 

Um bom dia de sol para si, onde quer que esteja,

Ele