Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

um presente inesperado

Há dias de sorte. Arrastei-me de casa num domingo à tarde porque deixei acabar as minhas cápsulas Nespresso. E como sabem, pelo meu post “era um clooney, perdão, um café com trufas de chocolate e coco”, eu não vivo sem os meus cinco cafés diários. Lá fui, aterrorizada com a ideia de um shopping atulhado de gente.

 

Pois bem: arranjei lugar à porta, fui direta à loja e apesar de estar cheia de gente, fui imediatamente atendida por uma simpática senhora de preto, que, com um sorriso de orelha a orelha, me pergunta:

- O seu número de membro ou o telemóvel, por favor…

Dei-lhe o meu telemóvel e o sorriso de orelha a orelha chegou aos olhos:

- Se a senhora quiser, se comprar 400 cápsulas, tem direito a uma máquina nova de graça.

Eu olhei imediatamente para trás. Não podia ser comigo. Além de não ter sorte nenhuma na vida, ainda não me habituei ao “senhora”. Não sei por que parva razão estou sempre à espera que me tratem por “menina”.

- Eu? – perguntei incrédula.

- Sim, a SENHORA! Mas tem é que levar as 400 cápsulas.

- Isso dá-me para três meses! Claro que quero!

E não é que me deram a escolher entre três modelos (dos mais baratos, claro, mas a cavalo dado não se olha o dente)? E lá voltei para casa com 400 cápsulas de café e esta magnífica máquina.

 


Podia ter sido melhor? Podia, claro. Se em vez da máquina, me oferecessem o George Clooney, é certo. Mas também depois teria muito que explicar quando chegasse a casa. Pensando bem, agora tenho que esclarecer o meu dileto marido mistério sobre as imensas vantagens de ter não uma mas duas máquinas Nespresso. Enquanto procuro argumentos, deixo-vos mais uma  fotografia inspiradora...

Ela

era um clooney, perdão, um café com trufas de chocolate e coco...

Confesso. Gosto muito de café mas sou fã de Nespresso. Mais grave. Sou viciada. Adoro todos os sabores (os mais antigos, os mais recentes, os exóticos, as edições limitadas, os que ainda hão de inventar, todos, sem exceção), a textura aveludada, a espuma, o design das máquinas, as lojas, a eficiência do serviço de entregas, os anúncios... sim, sobretudo os anúncios. Diria mesmo que na minha vida, há um A.N. e um D.N.

Antes do Nespresso, bebia dois cafés por dia, hoje (o período da minha vida que no futuro será estudado como D.N.) bebo, no mínimo, cinco:

 

- de manhã, começo sempre o dia com um capuccino Fortissio Lungo.

 

 

- a meio da manhã, tenho de recorrer a um Ristretto, para acordar definitivamente.

 

 

 

- a seguir ao almoço, vario entre o Indyra e o Capriccio, depende do nível de dormência que normalmente atinge o meu corpo por essa hora.

 

 

- a meio da tarde, marcha um Livanto bem cheio, para enganar a fome.

 

 

 

- a seguir ao jantar, durante a semana, opto por um Descafeinado, porque por essa altura já tenho os olhos mais abertos do que a Manuela Moura Guedes quando lia um pivot sobre José Sócrates. 

Ah, é verdade, já me esquecia de um pequeno pormenor: é o George Clooney que faz os anúncios da Nespresso. Who else?

 

 

 

 

 

OK. Admito (Ele que me perdoe). Todo este post foi um pretexto para encher o blog com fotografias do Clooney...

 

E já que não podemos ter o Clooney ao longo destes momentos do dia, faça como eu: acompanhe cada chávena de Nespresso com as deliciosas trufas de chocolate e coco ou com os inigualáveis bombons da Chocolataria Equador. Não conhece ainda? Não perca tempo! Depois do sucesso no Porto, já abriu em Lisboa, no Chiado. Mal puser um pé dentro da loja vai viver toda uma experiência sensorial do outro mundo. Até se vai esquecer que o Clooney existe... pelo menos até ao próximo Nespresso com trufas.

 

 

 

Por Ela