Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

um brunch com ovos mexidos, croissant e um delicioso salame com frutos secos só por €6,80? bem-vindo ao brick café

1012400_585465974892565_9122848844667453504_n (1).

Acenar-me com uma factura de €6,80 é o mesmo que pôr uma câmara de televisão à frente do Donald Trump – fico fora de mim com tanto entusiasmo. E então se essa factura for para pagar um brunch com uns fabulosos cubos de salame recheados com bolacha e frutos secos, estou pronto para me atirar de cabeça das Cataratas do Niagara (é pena o Trump não alinhar nesta aventura, também...).

Como já pode ter percebido, isto tudo é uma deixa mal conseguida para lhe falar do brunch do Brick Café, em Lisboa, uma das mais felizes e românticas relações qualidade-preço que a cidade já viu.

 

10 coffee shops a que tenho de ir antes de ficar velha e não poder beber cafeína

Agora que chegou o Outono, só me apetece... um café. Muitos cafés, toneladas de cafés. Por isso, fui à procura de inspiração por esse mundo fora e decidi fazer uma seleção dos melhores coffee shops do mundo retirada de uma imensa lista feita pelo Buzz Feed

 

Kaffeine, Londres, Reino Unido 

O café do Kaffeine é basicamente uma viagem a outro mundo. Faça um jejum de café antes de vir aqui porque o Kaffeine oferece o "coffee flight" que inclui: um shot de expresso, um shot de capuccino e uma infusão a que eles chamam "cold-brew cascara refresher": uma espécie de chá gelado, feito com um grão de café, que tem um misto de aroma de pêssego, alperce e cereja e um ligeiro travo a bergamota. Os funcionários do Kaffeine têm, pelo menos, três anos de formação antes de serem colocados atrás do balcão, e isso vê-se pela forma como o café é servido. É arte, meus senhores. 

 

 

novidade! novidade! os melhores éclaires do porto chegam a lisboa já no dia 16

1796464_545188632246703_1941333505_n.jpg

Já está confirmada a data desse grande evento gastronómico da capital: a abertura da primeira loja da Leitaria da Quinta do Paço em Lisboa. Vai ser da próxima sexta-feira a uma semana, na Avenida João XXI, perto da Avenida de Roma.

A nova pastelaria vai funcionar numa antiga padaria dos anos 50 que manterá a traça original e que terá uma cozinha própria onde serão preparados os deliciosos éclaires recheados com chantilly que nos deixaram de queixo caído quando os experimentámos pela primeira vez (veja aqui mais detalhes sobre estes bolos divinais).

 

 

o melhor bolo de praia deste verão: a fabulosa bola de berlim de alfarroba

20160719_123028-cópia 2.jpg

É uma das grandes invenções do Universo. A alfarroba está para mim tal como o arroz está para os chineses. Se tudo levasse alfarroba, o mundo seria um lugar melhor. Eu poderia ser feliz a comer spaghetti de alfarroba, risotto de alfarroba, bolo-rei de alfarroba, arroz doce de alfarroba. Mas isso é ainda um sonho. A realidade, por enquanto, é a mais recente criação da doçaria algarvia: a bola de Berlim de alfarroba.

Em vez da esquálida e desinteressante farinha de trigo, esta maravilhosa bola de Berlim leva uma discreta e delicada farinha de alfarroba. No meio, tem um equilibrado e suave creme de pasteleiro. E por cima leva uma finíssima camada de açúcar quase em pó. Esta combinação resulta na promoção da bola de Berlim à Liga dos Campeões dos bolos de praia. Primeiro, porque a alfarroba lhe dá um toque levemente amargo e aveludado que faz lembrar o cacau. Depois, porque a bola de Berlim fica menos gordurosa e enjoativa. E finalmente porque se torna bastante mais saudável.

 

 

quer uma óptima sugestão de pequeno-almoço para o fim-de-semana? os deliciosos croissants caramelizados da tartine, no chiado

11390471_829214273840408_3827761156538231121_n.jpg

Há coisas difíceis de perceber: como é que uma pastelaria que faz uns croissants que conseguem entrar directamente para uma finalíssima da doçaria nacional, taco-a-taco, com os do Careca, no Restelo, decide escolher o nome de Tartine? Vamos lá esclarecer um ponto: uma tartine é uma fatia de pão tostado com bons ingredientes por cima, um croissant é um tratado de prazer, um manifesto de bom gosto, uma convenção de satisfação. Especialmente se forem como estes.

 

está preparado para ouvir esta notícia? já fomos experimentar as novas queijadas de nutella, e as de oreo, e de abóbora, e de...

IMG_6089.jpg

Este texto seria bastante mais fácil de ler se tivesse cheiro! É uma limitação terrível alguém que escreve sobre comida não poder explicar com todo o detalhe o delicioso e desconcertante aroma a queijadas acabadas de fazer que se sente ao entrar na nova Queijadaria, em Lisboa. Lembra-se da papa Maizena ainda quente? Daquele cheirinho a massa e a creme acabados de cozinhar? Daquilo que o fazia correr os 50 metros barreiras cada vez que a sua avó ligava o lume? É isso tudo – e ainda misturado com o aroma a canela dos Pastéis de Belém e com um ligeiro toque a chocolate derretido com uma pitada de coco.

O ambiente ao balcão da Queijadaria, quando está a sair uma nova fornada, é capaz de lhe fazer dilatar as papilas gustativas ao nível da cratera de Vredefort. Eu tive a sorte de ir a esta nova pastelaria, aberta há cerca de duas semanas, com as queijadas ainda mornas e, por isso, muito mais deliciosas.

 

o melhor bolo-rei de lisboa, com mais de mil votos, é...

12118864_981100825280436_4416191807490528109_n.jpg

Vamos dizer isto com muito cuidado para não trasnformarmos o nosso bolo-rei numa nova Miss Colômbia: o vencedor é... a Confeitaria Nacional. Depois de uma semana de votação, a pastelaria de Lisboa ganhou a eleição do Casal Mistério com quase 70% dos votos dos leitores, contra 31,9% da Garrett, no Estoril.

Os dois finalistas foram encontrados através de uma prova-cega de cinco bolos-reis realizada pelo júri mais exigente do país: José Avillez, o único chef português com duas estrelas Michelin; e a Marta, que, como quase todas as crianças de 10 anos, odeia bolo-rei.

 

 

estômago meu, estômago meu, está aqui o melhor hambúrguer que o porto te deu?

10407166_788924764478767_1626901696819189121_n.jpg

Uma pessoa entra numa pastelaria para provar um bolo e acaba a comer um dos melhores hambúrgueres de sempre?! Este mundo está à beira do caos, mas, enquanto o El Niño não dá cabo de nós, o melhor é meter-se no carro e ir até à Foz, no Porto, petiscar numa das mais fantásticas esplanadas da cidade.

 

hoje é dia de brunch – e destes croissants divinais (e dos capuccinos e dos iogurtes e dos bolos do choupana caffe)

11209596_901638483213477_6208641941403558277_n.jpg

Olá, o meu nome é Ele e sou pastelariómano.

Pronto. Já assumi. Agora vou começar a desintoxicação.

Nas últimas semanas, fui tomado por uma forte dependência de pastelarias, bolos, pastéis, croissants, bolachas, biscoitos e tudo o que seja tão doce quanto calórico. E desde então a minha vida tem sido passada em cafés, lojas de bolos e casas de chá a aguar pelo próximo doce que vou devorar.

Há uns dias a coisa piorou bastante. Especialmente desde que resolvi ir lanchar ao Choupana Caffe. Agora, pense bem antes de continuar a ler este texto. Hoje é dia de brunch, de pequeno-almoço alargado e este sítio é a perdição do pequeno-almoço. Tem mesmo a certeza de que quer continuar?

  

 

está aberta a discussão: será que provei os melhores pastéis de nata de lisboa? (o melhor é voltar lá para confirmar...)

10363336_666293130124728_8559188593685118034_n.jpg

Um preto de cabeleira loira?! Um branco de carapinha?! Uma manteigaria que não faz manteiga?! Não venho aqui, a esta hora da manhã, para falar do saudoso restaurador Olex que tantos cabelos ressuscitou por esse país fora. Estou aqui para falar da manteigaria que não faz manteiga. Mas, em compensação, faz alguns dos melhores pastéis de nata que esta placa dentária já mastigou.

 

a incrível tarte de caramelo salgado do mercado dos bolos em algés

Desgracei-me toda no Mercado de Algés. Tentei, tentei mas não consegui resistir a uma incrível fatia de tarte de caramelo salgado que olhava para mim de uma das prateleiras do balcão do Mercado do Bolos, a suplicar: “Prova-me, prova-me”. E o pior é que eu provei mesmo. E não há descrição possível para a maravilha que é esta tarte.

1956942_1013162278702515_1933581611344118945_o.jpg

 

este texto não deve ser lido em circunstância alguma! por favor, resista: não se desgrace!

Captura de ecrã 2015-10-9, às 16.50.08.png

Hoje temos uma péssima notícia para dar. Há um furacão a aproximar-se perigosamente de Matosinhos. E não se chama Joaquim, chama-se Paço. Por isso, preparem-se, escondam-se em casa, prendam os vossos filhos às paredes, tranquem as portas, protejam as janelas e destruam as balanças. Esta tempestade vai acabar com o equilíbrio alimentar da região e vai destruir qualquer dieta que se esteja a vislumbrar no horizonte. 

 

 

o lanche irresistível para levar para a praia: as maravilhosas mini-madalenas de amêndoa e pistácio da eric kayser

1167607_707359695945145_361230108_o.jpg

Estou perdido. Irremediavelmente perdido. Desde que descobri as mini-madalenas da Eric Kayser, a minha vida mudou – e a minha barriga também. Acabaram-se os palitos de cenoura e os wraps saudáveis na praia. Agora, não consigo sair de casa sem um saquinho de papel com uma dúzia de bolos que vou devorando enquanto penso que, se calhar, devia ir andar um bocadinho a pé.

As mini-madalenas (ou financiers, no original) têm o tamanho ideal para não nos fazer sentir culpados. E são absolutamente viciantes. Feitos com uma mistura de farinha e amêndoa moída, têm um sabor delicioso e delicado. A textura é suave e macia. Mas o melhor é o interior dos bolos: cada vez que trinca (neste caso, em duas trincadelas vai tudo), encontra uma massa húmida e nada enjoativa, com um delicadíssimo travo a manteiga – não sei que manteiga é que é usada, mas adoraria descobrir.

 

 

não leia este texto! para o bem da sua dieta, não leia este texto!

11041723_830065413731672_8169231011036239859_n (1)

Não acredito! Aquilo que eu digo não vale nem uma linha de contenção?! É isso?!

É impressionante como me têm em tão pouca conta! Eu digo para não lerem este texto e já estão aí, de óculos na ponta do nariz e olhos semi-cerrados, a aspirarem cada palavra inútil que eu escrevo! (Não sei se já repararam, mas já vamos no quinto ponto de exclamação do dia, o que quer dizer que este é um texto sentido.)

Pois esta é a sua última oportunidade: ou carrega já no "eject" ou estamos a falar do total descalabro calórico. A escolha é sua. Quer mesmo continuar? Depois não se queixe...

 

 

e as melhores areias do país são... tchan, tchan, tchan...

IMG_5359.JPG

Ai, que vem aí polémica! Ok, podem não ser definitivamente as melhores areias do país, mas são, para já, as melhores areias que eu já provei nesta minha curta vida de pai de família a caminho da adolescência. E também os melhores queques. E ainda os melhores ouriços. Sim, senhor, estamos a falar da Ericeira, até onde eu fui arrastado no outro dia para levar um Filho Mistério a uma festa de anos. É verdade: fui até lá arrastado e voltei deslumbrado. Além de ser uma vila pitoresca e junto ao mar – duas coisas que qualquer ser humano empertigado, como eu, aprecia – tem óptimos sítios para comer – uma coisa que qualquer ser humano lambão, também como eu, não dispensa.

Primeiro descobri esta deliciosa mini-esplanada do Vira-Latas, depois esbarrei de frente com uma das melhores casas de bolos com que alguma vez sonhei nas minhas longas e intermináveis noites a salivar por comida. Chama-se Casa Gama e é um pequeno tesouro da doçaria regional (etah, grande expressão de profissional da crítica gastronómica!).

Já tinha lido algumas coisas sobre a Casa Gama, mas nunca pensei que fosse aquilo que encontrei.