Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

será que este é o restaurante com a melhor vista de lisboa?

11703108_524344034379789_981083679001987912_n.jpg

Estou orgulhoso de mim mesmo (já que mais ninguém está, pelo menos resta-me o auto-orgulho): consegui resistir estoicamente a mais um ano sem jantar fora no Dia dos Namorados. É verdade: sou um ferveroso adepto do não-jantar de Dia dos Namorados. Não aguento aquele ambiente de noivas de Santo António em que todos os empregados dos restaurantes olham para si a contabilizar quantas vezes é que dá a mão durante a refeição.

E por isso é que estou aqui hoje com uma maravilhosa sugestão para o jantar de Dia Seguinte ao Dia dos Namorados. Ou quinta-feira seguinte. Ou fim-de-semana seguinte. É indiferente a data. O importante é aproveitar aquela que é uma das mais deslumbrantes vistas de Lisboa para um jantar romântico e sossegado sem balões cor-de-rosa pendurados nos tectos nem corações de papel espalhados pelas mesas.

 

o aperitivo mais popular de 2016: pão no forno recheado com queijo e corações de alcachofras

Acabou. Ao sexto dia consecutivo de chuva, tenho de tomar uma atitude drástica para me proteger do mau tempo. Das duas uma: ou compro um guarda-chuva ou faço este divinal aperitivo de queijo para o jantar. Confesso que ainda ponderei muito bem entre as duas hipóteses. Reconheço até que estive com um guarda-chuva na mão. Mas optei pelo queijo. Entre uma cabeça seca e um estômago cheio, privilegio sempre o estômago – até porque a cabeça encharcada seca rapidamente.

E foi assim que hoje caí nos braços desta divinal receita do blog Tastes Better From Scratch. Ainda por cima, foi o aperitivo para molhar (uns chips de batata doce ou umas tostas) mais popular do Pinterest no ano passado, com um total de 232 mil partilhas.

Tudo o que vou precisar é de um pão, sour cream (natas azedas), maionese (eu vou substituir por iogurte grego), queijo creme, parmesão ralado, alho picado, corações de alcachofras de lata ou de frasco e endro fresco. Para saber as quantidades certas de cada ingrediente, consulte aqui a receita original.

2c9a9d9dd5372602144cba8542b101ad871699e3.jpeg

 

 

uma entrada mais ou menos light digna de uma soirée em downton abbey

Hoje tenho a sogra a jantar cá em casa e estou decidida a impressioná-la. Vou buscar o meu melhor serviço e fazer-lhe uma entrada digna de ser servida à família Crawley. Como não tenho a Mrs. Patmore para me preparar o almoço, temos de ser nós a ir para a cozinha e dividir tarefas. Eu fiquei com a entrada e Ele (o grande, o glorioso, o magnífico e único chef da Mansão Mistério) com o prato principal.

A sogra traz a sobremesa, o que é simpático da parte dela. Como sou um desastre natural dentro de qualquer cozinha, andei à procura de receitas boas e, claro, muito fáceis. E encontrei no fantástico blog Drizzle and Dip, que eu adoro, a receita ideal para abrir as hostilidades com a sogra: tostas de carpaccio com maionese de alho e parmesão. Juro que até eu consigo fazer esta receita e, se não fosse o pão, e a maionese de alho, e o parmesão, até que era uma entrada light. 

17975095_sRpZu.jpeg

 

um restaurante especializado em mozzarellas?! é o novo puro 4050, no porto

15894344_912341882201784_8109827330341432008_n.jpg

A primeira coisa que vê quando chega ao novo Puro 4050, no Porto, é o pão. Não é que a porta da entrada esteja enfeitada com uma coroa de papo-secos, é que a sala está inundada por um irresistível cheiro a pão quente, acabado de tostar, que lhe permite visualizar, de olhos fechados, cada migalha a estalar na sua boca ao mínimo contacto com os dentes.

Eu sei, posso estar a precisar urgentemente de tratamento psiquiátrico – é o que a minha querida Mulher Mistério não se cansa de me repetir – mas é mais forte do que eu. Passados alguns dias, ainda sonho com aquele cheirinho a pão quente a estalar-me na boca. E esse é o melhor resumo do Puro 4050. Inaugurado no Porto, no Verão passado, este não é bem um restaurante clássico.

Captura de ecrã 2017-01-19, às 15.35.48.png

Dos mesmos donos do fantástico Cantina 32 – de que falei aqui –, o Puro 4050 tem a ementa dividida em duas grandes partes: petiscos italianos, quase todos com mozzarella, e meia dúzia de pratos mais a sério: carnes, massas e risottos. Como nós fomos lá almoçar em modo Família Mistério – que é o mesmo que dizer muitas bocas com ainda mais vontade de comer – optámos essencialmente pelos petiscos de mozzarella. E é aí que entra o pão: quente, tostado ou em forma de focaccia, é fundamental para acompanhar os petiscos. Mas já lá vamos. Antes é preciso falar de...

 

ano novo: 2 deliciosos aperitivos japoneses para ter uma festa de passagem de ano de olhos em bico

Quer entrar em 2017 a comer peixe? Temos uma solução para si. Prefere carne? Também estamos cá para acabar com as suas angústias. O importante é que entre no ano novo com o pé direito no chão e uma receita deliciosa na mão. E por isso hoje tenho aqui dois petiscos fantásticos dessa deusa da culinária que dá pelo nome de Martha Stewart. Sugestões para ir petiscando enquanto dá um pezinho de dança de boas-vindas a 2017.

 

Espargos Enrolados em Lombinhos de Vaca com Molho de Soja

ft_newyear06_ms_xl.jpg

O segredo deste petisco irresistível é encontrar um bom bife, sem gordura, e com cerca de meio centímetro de altura. Depois só precisa de espargos baby (eu costumo encontrar no El Corte Inglés; se não encontrar, procure os espargos verdes mais fininhos e use só as pontas cortadas ao meio), molho de soja, açúcar, cebolinho, sal e pimenta. Comece por cozer os espargos ligeiramente em água e sal. O tempo vai variar consoante a grossura dos espargos que utilizar, mas a ideia é que eles fiquem ainda ligeiramente consistentes ao trincar.

Depois prepare a carne. Se ela já estiver fininha e com a mesma espessura em todo o lado, óptimo. Se não, passe-lhe com um rolo da massa por cima para harmonizar a altura. Corte a carne em rectângulos com 5 por 10 cm e mergulhe-os numa mistura do molho de soja com o açúcar. Tempere com pimenta moída no momento e enrole a carne à volta de dois espargos baby e de um palito de cebolinho. Leve ao forno para tostar durante cerca de dois minutos (também pode grelhar numa frigideira) e já está. Vai ver o sucesso que esta delícia faz. Para saber as quantidades certas de cada ingrediente, consulte a receita original aqui.

 

 

húmus de feijão branco com alcachofras e pinhões, o meu presente de natal para as tias mistério

O húmus está para a minha vida assim como o incenso estava para a vida do Belchior. Eu sei... quem ofereceu incenso foi o Gaspar... mas eu também não gosto de fazer o húmus tradicional, por isso vejo-me mais como o Belchior que queria mesmo era ter oferecido incenso e teve de dar ouro. Mas o melhor é parar com as analogias natalícias e passar às realidades culinárias.

Este ano, eu vou distribuir frascos de húmus por toda a Família Mistério. Em vez de dar o habitual par de meias às tias, aos tios e aos primos mistério, vou disseminar frascos de húmus por toda a família. Adoro comer húmus como entrada. Adoro espalhar húmus por cima de tostas fininhas. Adoro mergulhar chips de batata doce em húmus. E adoro ainda mais variar as receitas. Foi por isso que fiquei encantado com esta maravilhosa criação do blog Heartbeet Kitchen: um húmus de feijão branco com alcachofras e pinhões. Quem é que resiste a esta delícia? Ainda por cima, é mais fácil de fazer do que descobrir um novo administrador da Caixa Geral de Depósitos a cada mês que passa.

Para fazer esta maravilha, só vou precisar de feijão branco de lata, alho sem a parte do meio, molho tahini, azeite, um pouco da água de conserva retirada da lata de feijão, sumo de limão espremido, flor de sal e pimenta preta moída no momento. Para o topping, tenho de ter de salsa, pinhões tostados, especiarias a gosto e corações de alcachofras. Para saber as quantidades certas de cada ingrediente, consulte a receita original aqui.

white-bean-hummus-3.jpg

 

croquetes com crosta de amendoim, picapau, amêijoas e gambas ao sal: onde comer os melhores petiscos

O mundo parou na semana passada para conhecer as novas estrelas Michelin do país. Nós paramos hoje para conhecer os melhores petiscos para acompanhar uma cervejinha bem gelada. As estrelas Michelin são uma maravilha, mas fim-de-semana alargado que se preze exige um bom petisco com uma imperial ao lado. E quando falamos de petiscos não podemos evidentemente deixar de falar de croquetes, de picapau, de amêijoas ou de gambas. Daqueles petiscos que nos deixam a boca a aguar como se fosse as cataratas do Niagara.

 

Os Croquetes com Crosta de Amendoim, da Tasca da Esquina, em Lisboa

Tasca da Esquina - Croquetes 2.jpg

Se um croquete satisfaz muita gente, um croquete com crosta de amendoim satisfaz muito mais. Esta divinal criação do mundo da croqueteria é uma invenção da fantástica Tasca da Esquina, em Lisboa, e é também uma das 73 fabulosas receitas do primeiro livro do Casal Mistério (que encontra aqui).

Os croquetes da Tasca da Esquina são um dos petiscos que fazem parte do couvert, juntamente com um bom pão saloio, um paté de salmão, espadarte e atum com um forte sabor a mar, umas azeitonas tenrinhas e temperadas com orégãos e um fantástico queijo de entorna que é aquele queijo pequenino alentejano muitíssimo saboroso e amanteigado.

Mas o que nos traz aqui hoje são os divinais croquetes. Feitos com um recheio hiperleve, que quase parece um creme, levam uma crosta de amendoim crocante que é qualquer coisa do outro planeta. O recheio leva chouriço, carne de vaca, vinho branco e uma pitada de colorau – tudo na medida certa, leve, desfiado e tão cremoso que quase se desfaz na boca. O exterior mistura o pão ralado com o amendoim picado, o que torna a crosta ainda mais crocante e saborosa. Com uma boa mostarda a acompanhar são irresistíveis.

 

 

os deliciosos petiscos e a looooonga espera para jantar no novo bairro do avillez em lisboa

14184529_10154084230878439_7400102626609647171_n.j

Duas horas é o tempo que um aluno do ensino secundário demora a fazer um exame nacional de Latim.

Duas horas é o tempo de duração de um jogo de curling (se tudo correr bem, claro!).

Em duas horas, é possível celebrar dois casamentos, dá para jogar uma partida e meia de râguebi, consegue-se ir de Lisboa ao Algarve de carro.

Em duas horas, pode embarcar num avião no Porto e sair em Paris para comprar uns deliciosos queijos num mercado francês.

Mas, em duas horas, eu e a minha querida Mulher Mistério não nos conseguimos sentar numa mesa para quatro pessoas, numa sexta-feira à noite, na Taberna, do Bairro do Avillez, em Lisboa. Em bom rigor, demorámos duas horas e quatro minutos desde que chegámos com um casal amigo até que nos sentámos no novíssimo restaurante da moda em Lisboa.

O novo espaço de José Avillez é um projecto claramente ambicioso demais para quem quer manter um serviço minimamente adequado ao século XXI. E esse é o maior problema do Bairro do Avillez – porque a nível da comida ou da decoração o restaurante é uma maravilha.

 

 

este é um dos pratos mais deliciosos que comemos na vida (e custa €7,50)

554720_418662444815000_291665490_n.jpg

Jantar na Taberna da Rua das Flores a um fim-de-semana é um programa que começa durante a tarde. Tal como outros restaurantes de Lisboa, esta taberna minúscula mesmo ao lado do Bairro Alto, não aceita reservas. Ou melhor, não aceita reservas por telefone. Se quiser mesa, tem de passar por lá no próprio dia e deixar o seu nome enquanto olha, olhos nos olhos, para o empregado. Depois vai beber um copo calmamente e volta à hora marcada.

Não sei exactamente porque é que existe ali esta aversão ao telefone, mas a verdade é que, com uns 15 minutos de atraso, o esquema funciona. E mesmo que não funcionasse eu faria o que fosse preciso para provar o divinal picadinho de carapau salpicado com uns minúsculos e estaladiços camarões krill. Mas já lá vamos. Antes, é preciso prepará-lo para a logística.

 

tem de ver este vídeo: palitos de pão com queijo derretido, um petisco estupidamente simples e incrivelmente delicoso

Pao07.jpg

Dia de futebol no estádio é dia de petiscos cá em casa. Mas não se prenda com a questão da bola. Esta maravilhosa e ultra-simples receita para picar também serve para acompanhar a novela, o The Voice ou as Tardes da Júlia. É indiferente. Só precisa de ter uma desculpa para juntar uns amigos em casa, à volta de uns copos de gin, de umas cervejas e de um pão destes.

O meu pretexto ontem foi o futebol. Já há uns anos que me apercebi de que Ela é ligeiramente mais hooligan do que eu no que toca à bola. Salta, grita, gesticula, ofende, mas, acima de tudo, come sempre que tem a televisão pintada de verde (é a cor da relva, não do clube...) à sua frente. Quando ontem me apercebi de que um pequeno grupo munido de cachecóis e bandeiras iria invadir a minha sala, para ver um jogo da Primeira Liga (vamos manter o mistério à volta do nome da equipa portuguesa...) tive de arranjar uma solução de recurso para alimentar esta mini-claque. E foi aí que me lembrei dos palitos de pão de queijo que vi, pela primeira vez, no blog Beantown Baker. Só fiz uma alteração: retirei os cogumelos para simplificar.

A receita é estupidamente fácil, parvamente deliciosa e idioticamente viciante. Não acredita? Então veja lá este vídeo de 30 segundos.

 

  

novidade! novidade! o páteo do petisco vai abrir um novo restaurante junto à praia do guincho, em cascais

image.jpeg

Começou com um pequeno pátio no bairro da Torre, em Cascais, depois expandiu-se para o Mercado de Cascais, logo a seguir para o Palácio do Chiado, em Lisboa e, agora, vai chegar à Areia, perto da praia do Guincho.

O quarto espaço do Páteo do Petisco vai ocupar o lugar do antigo Rola na Areia, no Clube D. Carlos, ao lado do Parque de Campismo, perto do Guincho. Com uma simpática esplanada e um espaço agradável, ideal para as crianças correrem e brincarem, o novo restaurante vai chamar-se Páteo do Guincho e tem tudo para ser mais um sucesso.

 

a melhor salada de polvo do país está na costa alentejana, à frente de um pôr-do-sol único

20160911_151715 (1).jpg

Se eu fosse o Luís Pereira de Sousa, diria que este é um dos segredos mais bem guardados de Portugal. Mas como não digo, já tem menos um nome na bolsa de apostas para adivinhar a identidade deste seu pequeno Amigo Mistério. Seja como for, não estamos aqui hoje para falar de apresentadores de televisão dos anos 80 nem de bigodes farfalhudos à Zé Gato; estamos aqui, solenemente sentados à frente deste modesto computador, para falar da melhor e mais deliciosa salada de polvo do país. Que, por acaso, fica numa das melhores praias do país. Onde, por acaso, se vê um dos mais deslumbrantes pores-do-sol do país.

Agora que a expectativa está criada, posso finalmente fazer a revelação: estou a falar da salada de polvo do Bar dos Tigres, na praia Aberta Nova, em Melides, na costa alentejana. Mas o que é que pode tornar uma simples salada de polvo num fenómeno gastronómico tão relevante para a nação, pergunta muito avisadamente V. Exa.? O tomate descascado, respondo eu. Mas antes vamos a um breve intróito.

 

a receita que vai revolucionar a humanidade: batatas fritas douradas e estaladiças feitas no microondas

Há momentos na vida de uma pessoa em que percebemos claramente que estamos a fazer História. Foi o que me aconteceu quando atei sozinho os meus primeiros atacadores dos ténis, foi o que senti quando consegui dar quatro pedaladas seguidas numa bicicleta sem me atirar de cabeça para cima de um buxo de urtigas e foi o que se passou novamente este fim-de-semana na Mansão Mistério.

Não, não plantei a minha primeira árvore já depois dos 40 anos. Mas fiz as minhas primeiras batatas fritas no microondas, o que é quase a mesma sensação de homem realizado. Como é que eu fui capaz de passar tantos anos a cheirar a óleo e a suar do bigode à frente da fritadeira quando estava, mesmo aqui ao meu lado, esta fabulosa e facílima técnica do site The Kitchn que vai revolucionar a Humanidade?

Para fazer umas finíssimas e ultra-estaladiças batatas fritas, só vai precisar de seis minutos de microondas a rodar. E não há cá óleos nem rios de gordura a transbordarem para o seu prato. É tudo muito mais prático, muito mais higiénico e muito mais fácil. E melhor notícia ainda: pode fazer esta mesma técnica com uma mais deliciosa e mais saudável batata doce.

Tudo o que vai precisar para seguir a maravilhosa receita do The Kitchn é de batata (ou batata doce, como preferir), azeite e flor de sal.

267dc5d88ea63cb39ca68a6633ecdee55fc35fe6.jpeg

 

peitos de frango estaladiços com corn flakes no forno, o jantar ideal para o regresso às aulas das crianças

O ambiente culinário nesta casa anda de cortar à faca. Entre blog, trabalho, regresso de férias, contagem decrescente para o início das aulas e empregadas domésticas que não duram mais de 24 horas (a última mandou um sms a avisar que "não dava" para continuar, como se estivesse a acabar o seu último namoro de Verão), confesso que não tem sobrado muito tempo para grandes cozinhados.

E foi por isso com um enorme sorriso à Manuela Moura Guedes que encontrei esta fabulosa receita do blog Damn Delicious. E porque é que é fabulosa, pergunta muito pertinentemente Vossa Senhoria. Porque peitos de frango é aquilo que nunca falta em qualquer casa portuguesa. Porque, os corn flakes criam uma crosta estaladiça à volta do frango. E porque esta receita é facílima de fazer até para alguém como a minha querida Mulher Mistério.

Baked-Popcorn-ChickenIMG_0555edit.jpg

 

novidade! novidade! abre hoje o novo bairro do avillez com uma mercearia, uma taberna e um pátio (veja todas as fotos aqui)

Captura de ecrã 2016-08-10, às 11.48.08.png

Abre hoje à noite, quarta-feira, dia 10 de Agosto, o novo espaço de José Avillez, na Rua Nova da Trindade, em Lisboa. E tem um conceito totalmente inovador.