Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

um almoço de sonho num comboio do século xix ao longo do rio douro

IMG_9993.jpg

Se é fã de alta gastronomia e do livro ou do filme “Crime no Expresso do Oriente” este programa é a sua cara. Depois do sucesso da primeira edição, “Vila Joya no Douro”, que juntou no ano passado o mítico comboio presidencial português e o chef do restaurante do luxuoso hotel algarvio, Dieter Koshina, chega agora, durante o mês de maio, um programa mais variado e abrangente.

AJC_4005.jpg

 

o que fazer no dia dos namorados: 5 programas originais para fugir ao jantarinho do costume

12491803_1132475050109703_5585097812382126342_o.jp

Essa data fundamental no calendário internacional está a chegar e nós não a podemos deixar passar em branco. Primeiro conselho: fuja dos restaurantes como o Diabo da cruz. O dia 14 de fevereiro é sinónimo de restaurantes a abarrotar, ementas fixas, serviço péssimo, corações nas mesas, decorações kitsch, namorados a olhar para os telemóveis, enfim, um filme de terror. Por isso, ou prepara um tête-à-tête em casa, fazendo uma receita especial que encontre no blog deste seu casal amigo, ou se quiser mesmo surpreender o amor da sua vida, a paixão dos seus dias, a luz dos seus olhos, espreite uma destas sugestões. Ainda vai a tempo de ganhar alguns pontos na sua relação…

 

10 razões que fazem do porto o melhor destino europeu de 2017 (agora não se esqueça de votar)

the-yeatman-outdoor-pool_13830048404f1555c260593.j

Já ganhou em 2012 e 2014, e prepara-se para arrasar mais uma vez. A cidade do Porto está nomeada, pela terceira vez, para o prémio Melhor Destino Europeu. É, aliás, a única cidade portuguesa a integrar o leque de 20 finalistas este ano.

Há milhares de razões que fazem do Porto uma das cidades mais deslumbrantes do mundo. Mas só para começo de conversa dou-lhe aqui 10 razões que nos fazem voltar lá sempre que podemos. 10 motivos que, por si só, já justificavam a vitória no Porto nesta votação. Agora, se ainda por cima, juntar todos os outros, então não consigo perceber porque é que não ganhámos já.

 

um restaurante especializado em mozzarellas?! é o novo puro 4050, no porto

15894344_912341882201784_8109827330341432008_n.jpg

A primeira coisa que vê quando chega ao novo Puro 4050, no Porto, é o pão. Não é que a porta da entrada esteja enfeitada com uma coroa de papo-secos, é que a sala está inundada por um irresistível cheiro a pão quente, acabado de tostar, que lhe permite visualizar, de olhos fechados, cada migalha a estalar na sua boca ao mínimo contacto com os dentes.

Eu sei, posso estar a precisar urgentemente de tratamento psiquiátrico – é o que a minha querida Mulher Mistério não se cansa de me repetir – mas é mais forte do que eu. Passados alguns dias, ainda sonho com aquele cheirinho a pão quente a estalar-me na boca. E esse é o melhor resumo do Puro 4050. Inaugurado no Porto, no Verão passado, este não é bem um restaurante clássico.

Captura de ecrã 2017-01-19, às 15.35.48.png

Dos mesmos donos do fantástico Cantina 32 – de que falei aqui –, o Puro 4050 tem a ementa dividida em duas grandes partes: petiscos italianos, quase todos com mozzarella, e meia dúzia de pratos mais a sério: carnes, massas e risottos. Como nós fomos lá almoçar em modo Família Mistério – que é o mesmo que dizer muitas bocas com ainda mais vontade de comer – optámos essencialmente pelos petiscos de mozzarella. E é aí que entra o pão: quente, tostado ou em forma de focaccia, é fundamental para acompanhar os petiscos. Mas já lá vamos. Antes é preciso falar de...

 

10 novos restaurantes que temos mesmo de experimentar em 2017

14939539_1221708187888782_4433250787559154918_o.jp

É a minha mais inflexível resolução de Ano Novo. No primeiro domingo do ano, a Família Mistério reúne-se no mais cerimonioso conselho familiar para debater o assunto mais importante do ano: quais as prioridades para os próximos 12 meses. Como já pode seguramente desconfiar, cá em casa as prioridades são os mais urgentes restaurantes a visitar. Aqueles que nos deixam de Oceano Atlântico na boca só de ler a primeira breve descrição. E em 2017 há maravilhosos motivos para nos fazer pegar já nos talheres. Estas são as nossas prioridades para o Ano Novo.

 

as melhores panquecas de 2016 estão no porto, num brunch que custa 6 euros

11074926_877642455633560_5442719963160359938_o.jpg

Aviso prévio: este texto não é recomendado a cardíacos. Primeiro, por causa das panquecas. Umas panquecas que juntam banana, Nutella e mel não são propriamente o mais aconselhável para quem sofre do coração. Nem outras que juntam morango, chantilly e um topping de chocolate. Ou ainda mais umas com caramelo, bolachas Oreo e frutos silvestres. Ou até com maçã, mel e canela. Enfim, a escolha é grande, o coração é pequeno.

Em segundo lugar, o preço é impróprio para quem não esteja habituado a emoções extremas: pagar €6 por um brunch com panquecas, ovos mexidos com bacon, um latte e um sumo é de fazer palpitar qualquer coração mais fragilizado.

Finalmente, o serviço também o pode deixar à beira de uma taquicardia, mas isso por motivos menos honrosos: esperar 32 minutos por umas panquecas e uns ovos mexidos dá direito a entrar directamente para o top 3 dos melhores brunches em slow motion.

No entanto, eu sou capaz de esperar o tempo que for preciso para poder comer as maravilhosas panquecas do Diplomata, na Baixa do Porto. E agora que chegámos ao final de 2016, há que dedicar uns minutos a analisar este que é verdadeiramente um dos temas do ano.

 

o brunch com os ovos mexidos gelados do casinha boutique café

14079681_1162777520446271_9166172577367112484_n.jp

– Eu vou querer um galão escuro, se faz favor.

– Galão não temos. Temos meia de leite.

– Mas eu queria mais quantidade. Não pode servir num copo ou numa chávena maior do que essa?

– Posso fazer um latte que é servido num destes copos de cartão maiores.

– Fantástico! É isso mesmo que vou querer.

– Mas o latte leva mais leite e menos café.

– E não é possível fazer o latte com mais café e menos leite? 

– Com mais café é a meia de leite.

– Mas eu queria mais quantidade...

– ...de leite? Então é o latte.

– Não. Mais quantidade de tudo. Queria um copo ou uma chávena maior.

– Então é o latte. Mas leva menos café.

Nesta fase da conversa, já tinha o batimento cardíaco ao nível da pulsação do Jorge Jesus em dia de derby. Ainda pensei que o facto de o empregado ser parecido com o Borat pudesse indiciar que eu estava a ser a estrela do próximo programa de apanhados da CMTV. Mas não. Estava simplesmente a pedir um brunch na Casinha Boutique Café, na Avenida da Boavista, no Porto.

 

o novíssimo armazém luxury housing, um dos hotéis mais espetaculares do porto

14102718_1165105830198112_3918103782261299733_n.jp

Meu querido e prezado Marido Mistério, eu sei que às vezes te falta a imaginação para fazeres uma surpresa a esta sofrida e esforçada mulher que tanto te atura no limite das suas forças. Estou segura de que, se surgisse uma oportunidade, uma ideia, um novo destino, tu estarias permanentemente a marcar viagens surpresa, a oferecer presentes, a chegar a casa com ramos de flores na mão.

 

 

wish, um dos novos melhores restaurantes para jantar no porto (e não, não tem só sushi)

13501745_1231881730155343_3376957023167467784_n.jp

Tenho de fazer uma confissão séria e genuína: não sei bem por onde começar. Estou aqui sentado à frente do computador, triste e nostálgico, a pensar se comece por falar do pudim abade de priscos caramelizado que vem acompanhado por uma bola de gelado de Queijo da Serra deliciosa e por uma telha de amêndoa crocante. Ou se fale dos finíssimos raviolis de pato desfiado, com molho de foie gras e uma redução de Vinho do Porto por cima. Ou se descreva o carpaccio de veado, com um molho de queijo creme e raiz de rábano e umas bolachas de queijo crocantes. Ou se refira o deslumbrante sushi com manteiga de amendoim. Ou os cogumelos com trufas. Ou o sashimi de vieiras. Ou o paté de atum. Ou...

 

o restaurante com os petiscos mais surpreendentes do porto (como a flor eléctrica que lhe deixa a boca dormente e provoca uma explosão de sabores)

12049625_1713463788884158_1108327523691820493_n.jp

Não sei bem porquê, mas depois de ver o Éder aniquilar as esperanças francesas, num gélido Stade de France, no domingo, achei que o Cruel era o melhor restaurante para se jantar esta semana.

Este novo restaurante da baixa do Porto, aberto há menos de um ano, é um sítio fantástico para comemorar com os amigos um feito futebolístico histórico. Não só por causa do magnífico nome (que, ainda por cima, se escreve da mesma forma em português e em francês), nem sequer por ter uma ementa perfeita para dividir uns petiscos deliciosos, nem ainda por ter o mesmo chef do fantástico Cantina 32 (pode conhecer aqui o melhor cheesecake da cidade), mas, acima de tudo, por causa da flor eléctrica.

E é aqui que temos de fazer uma pequena pausa: a flor eléctrica dá pelo nome de Sichuan e merece ser apresentada a todo e qualquer ser humano que goste de comer. Trata-se de uma flor comestível que, ao ser trincada, provoca uma dormência na boca, dando a sensação de quase paralesia. O que acontece é que ao provar os alimentos, depois de mastigar esta flor, os sabores vão explodir na sua boca, alterando radicalmente o paladar. A sensação é única e absolutamente imperdível. Mas, antes de continuarmos nesta senda restaurante-candomblé, convém falar um bocadinho do espaço.

 

a nossa seleção de restaurantes e bares para ver os jogos de portugal no euro

Confesso que prefiro ver os jogos da nossa seleção em casa, rodeada de petiscos e minis (e dos meus filhos agarrados aos telemóveis), para poder usufruir da minha liberdade de expressão em todo o seu esplendor: insultar o árbitro, dar táticas de sofá, deliciar-me com as pernas do Cristiano Ronaldo ou com o cabelo do Éder. Mas este post é uma espécie de serviço público em pleno Euro 2016. Depois de uma árdua pesquisa, aqui fica a minha seleção dos melhores sítios para ver o próximo jogo de Portugal. Não são 23 convocados, porque sempre fui muito criteriosa, mas escolhi oito restaurantes e bares em Lisboa, Cascais e no Porto. Se quiser conhecer o meu preferido de todos, veja aqui o nosso texto sobre o LovIt, em Cascais.

 

Pátio do Petisco, Cascais

pateo petisco1.jpg

Há lá melhor combinação do que petiscos e futebol? É um casamento abençoado pelos deuses. Aqui, tanto no restaurante com esplanada na Torre, como no Mercado da Vila, há, além de ecrãs gigantes com os jogos do Euro, lascas de batata, caracóis, saladas de ovas e de polvo, croquetes de alheira, ovos mexidos com farinheira e mil e um outros petiscos a acompanhar minis, imperiais e uma ótima sangria.

 

 

casa das laranjas, o hotel de charme onde consegue dormir por €85 no porto (e mais umas sugestões deliciosas para comer na cidade)

48987601.jpg.1024x0.jpg

Se gosta de ir para fora e sentir-se em casa, vai adorar a Casa das Laranjas, no Porto, um palacete antigo, de esquina, em tons de verde água e lindamente recuperado no meio das pequenas ruelas nas traseiras do Passeio Alegre, a dois minutos a pé do Largo da Igreja de São João Baptista. Só a cor da fachada já é um convite para entrar.

 

este é um dos melhores restaurantes do porto (e tem um dos melhores bolos de chocolate do país): chega para o fazer ler este texto?

13177246_1213513578661913_4681491030137366550_n.jp

Há alguma coisa melhor do que um restaurante onde se come maravilhosamente? Há! Um restaurante onde se come maravilhosamente por um preço simpático. E, neste caso, quando falamos de simpático não falamos de sorrisinhos na cara – falamos de sorrisinhos na carteira.

A Casa de Pasto da Palmeira, em plena Rua do Passeio Alegre, no Porto, é isso tudo: um restaurante com uma comida maravilhosa e surpreendente, com uma esplanada mesmo de frente para o Douro e com preços tão baixinhos como a perna esquerda do Marques Mendes. O culpado de tudo isto chama-se João Pupo Lameiras e, aos 30 anos, é já, para mim, um dos melhores chefs portugueses.

 

 

dois novos hotéis de charme em lisboa e no porto para os sortudos que vão fazer ponte

almalusa-baixa-amp-chiado-gallery5_-almalusa_baixa

São novos, são muito giros e não são caros. E o melhor de tudo? Sim, ainda há mais: ambos têm uma excelente localização. Se é daqueles que tem a sorte de fazer ponte este fim-de-semana, aqui ficam duas sugestões bem simpáticas e com muita pinta para aproveitar da melhor forma Lisboa ou o Porto.

 

mercearia do miguel, um recanto de charme escondido em frente ao douro para um almoço leve de verão

13174170_878179328959674_5886985518600458529_n.jpg

Convém começar este texto pelas evidências: chama-se Mercearia do Miguel porque, em primeiro lugar, é uma mercearia e, em segundo lugar, o dono chama-se... Nuno. Calma, não entre já em modo Indignação-Bruno-de-Carvalho. É claro que há um sócio. Que se chama: Teresa.

Na verdade, o Miguel foi o primeiro proprietário da mercearia fundada em 1958. Agora, Teresa e Nuno recuperaram o velho espaço e transformaram-no numa mercearia pequena e cheia de charme que também tem umas mesas para quem quer comer qualquer coisa leve: três na sala minúscula e mais três na esplanada microscópica. Mas é precisamente o facto de aqui tudo ser praticamente em miniatura que transforma a Mercearia do Miguel num sítio encantador e carregado de charme onde se pode petiscar alguns pratos simples feitos com o que está à venda: saladas, tostas, bruschettas, queijos, presuntos, enchidos ou uns deliciosos bolos caseiros que podiam perfeitamente ter sido feitos pela minha saudosa tia Zulmira.