Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

os dois melhores gins tónicos para beber no outono (e preparar-se para a mudança da hora que está aí)

Hoje muda a hora, mas nós cá em casa não vamos mudar de bebida: bebemos gin tónico no Verão, bebemos gin tónico no Outono e vamos continuar a beber gin tónico no Inverno. A única coisa que muda é a marca, porque há gins melhores para o calor e outros mais apropriados a estes dias de frio, chuva e aulas de José Sócrates sobre Justiça em Vila Velha de Ródão.

O jornal britânico The Guardian publicou há uns dias um texto sobre os melhores gins tónicos para o Outono. Primeiro, recomendou o fantástico Opihr, destilado com especiarias quentes e ligeiramente picantes. Depois, aconselhou o excêntrico Jinzu, lançado este ano em Inglaterra com uma forte inspiração japonesa: é cremoso como o sake e tem aromas de zimbro, flor de cerejeira e yuzu, um citrino japonês parecido com o limão.

É por isso que estamos aqui hoje com duas óptimas sugestões para beber estes deliciosos gins. Seja para brindar à hora de Inverno ou para esquecer que amanhã às seis da tarde já vai ser noite. Neura? É pegar no copo de gin que isso passa...

 

Gin Jinzu com Maçã Verde

MT_Jinzu-620x620.jpg

  • 50 ml de gin Jinzu
  • 200 ml de água tónica Fever Tree Premium Indian
  • 1 lâmina de maçã verde

 

Encha um copo de balão com grandes pedras de gelo e rode-as para refrescar. Coloque o gomo de maçã verde laminado dentro do copo, despeje o gin e mexa com a colher torcida. Finalmente, deite a água tónica lentamente pelas costas da colher e mergulhe-a cuidadosamente no copo para envolver tudo.

  

 

o melhor gin do mundo (e as quatro formas ideais de o servir)

432185_316061381785114_2046589851_n.jpg

Olhe, é um pássaro! É um avião! É uma garrafa de champanhe! Não, é o melhor gin do Mundo. Chama-se Old English e foi eleito em Março pelos prestigiados prémios World Gin Awards o mais saboroso gin do planeta. Desde então, que eu ando obcecado com este maravilhoso gin que é vendido dentro de uma garrafa de champanhe, com rolha de cortiça e tudo. A explicação é simples: nos séculos XVIII e XIX, a Inglaterra era o maior importador mundial de champanhe e também, juntamente com a Holanda, um dos dois únicos produtores de gin. Nessa época, os produtores de gin aproveitavam o excesso de garrafas de champanhe para colocarem lá dentro os seus gins e venderem-nos desta forma aos clientes. É por isso que o Old English vem dentro de uma garrafa de champanhe.

A receita deste gin é de 1783 e destila 11 botânicos no recipiente de cobre mais antigo usado ainda hoje em Inglaterra. Dez destes botânicos são conhecidos (zimbro, coentros, limão, laranja, angélica, cássia, alcaçuz, canela, lírio e noz-moscada), mas o último mantém-se secreto. Diz-se que existe uma pista no símbolo da marca que indicia qual é o ingrediente desconhecido. De facto, há uma silhueta triangular que parece uma semente de cardamomo, mas ninguém sabe ao certo se é essa a resposta.

O resultado é um gin maravilhoso que pode ser servido de várias formas. Aqui ficam quatro sugestões de quatro marcas prestigiadas: 

 

 

gelatina de gin tónico com lima, uma sobremesa irresistível (até para quem está de dieta)

Depois de a dieta marcial ter sido decretada cá em casa, reuni uma pequena força estilo resistência francesa para combater esta opressiva ditadura gastronómica. As crianças tratam de descobrir irresistíveis receitas de doces, eu fiquei responsável, entre outras coisas, por conseguir beber um gin tónico de vez em quando.

Como ainda estamos no início deste estado de sítio, achei melhor disfarçar o gin no meio de uma sobremesa light. E o que é que é mais popular entre todos os dietoólicos que por aí andam do que um copo de gelatina à sobremesa? Pois é, só que esta receita de gelatina do blog Heinstirred é na realidade um maravilhoso gin tónico, altamente recomendável para estes poderosos dias de calor. Com umas raspas de lima fica um verdadeiro cocktail. E então se servir em copos de vidro, o resultado é este.

Gin-98-2-s.jpg

 

gin g'vine com uvas e lima (o meu remédio para o adiamento do benfica-sporting)

 

Não! Socorro! Não quero acreditar! Por amor de Deus! Isto não é possível! (Se calhar, é melhor acabar com as exclamações para não dar cabo da tecla...) Depois de uma tarde a preparar os petiscos, depois de ter subscrito a Benfica TV, depois de me ter sentado à frente da televisão e depois de ter esperado, esperado, esperado para ver as equipas entrar em campo, só consegui ver o Estádio da Luz a cair. Não é que não seja um espectáculo emocionante, mas francamente não era disto que eu estava à espera. E quando sou surpreendido, só tenho uma saída: chama-se G'Vine Floraison e deve ser servido com uvas e lima (também fica bem com uvas e framboesas, mas infelizmente os frutos vermelhos tinham acabado ontem). Por isso, enquanto Bruno Carvalho e Luís Filipe Vieira acordavam o adiamento do Benfica-Sporting para terça-feira, eu relaxava - não com um Lexotan, mas com um gin tónico.

Com toda a tranquilidade - como diz o Paulo Bento - refresquei o copo, rodando três grandes pedras de gelo. Depois coloquei lá dentro duas uvas inteiras e uma casca de lima. Despejei um cálice de G'Vine Floraison e mexi tudo umas três ou quatro vezes. Finalmente, abri uma garrafa de água tónica Fever Tree Mediterranean e juntei com mais gelo. Sentei-me outra vez à frente da televisão, dei um gole e pensei: será que isto foi uma manobra da UEFA para testar a evacuação do Estádio da Luz antes da final da Liga dos Campeões? Quando acabei a bebida, já não tinha dúvidas.

 

Ingredientes

- 1 cálice de G'Vine Floraison

- 1 tónica Fever Tree Mediterranean

- 2 uvas verdes

- 1 casca de lima

 

 

Um abraço para a cobertura do Estádio da Luz, onde quer que ela esteja,

Ele