Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

um jantar leve de domingo para fazer em 15 minutos: crostini com uvas no forno, skyr e manjericão

Estamos naquele dia da semana em que o jantar é mais um brunch. Ao domingo, nunca me apetece fazer nada de muito complicado na cozinha. As crianças adoram comer uns ovos, ou umas papas de aveia, ou umas tostas, ou até mesmo só uns biscoitos acabadinhos de preparar.

Normalmente, comemos um bom brunch de manhã, um lanche tarde e depois ninguém tem muita fome para o jantar. Por isso, hoje tenho aqui uma receita fácil, rápida, leve, mas absolutamente surpreendente. A invenção é do fantástico site Food52 e junta umas tostas crocantes com um creme macio de skyr e umas divinais uvas assadas no forno. As uvas vão rebentar ligeiramente e largar um magnífico sumo que se vai misturar com o iogurte. 

Para fazer esta delícia, só vou precisar de pão (os autores da receita usaram baguete, mas eu vou fazer com o irresistível pão alentejano), iogurte skyr (eu prefiro natural, mas pode usar com sabor a baunilha), uvas pretas, azeite e manjericão fresco. Para saber as quantidades certas de cada ingrediente, consulte a receita original aqui.

ffd271a9-a4b2-4bf4-8af7-2a0a3dd64f82--2017-0921_icelandic-crostini-sponsored-post_bobbi-lin_3727.jpg

 

 

pizza de uvas e ricotta: será que o jamie oliver vai trazer esta receita para o seu novo restaurante de lisboa?

Não fique ansioso. Se ele não trouxer esta divinal pizza, pode sempre fazê-la em casa porque a receita tem tanto de deliciosa como de simples. E fica tão bem bem ao jantar como ao pequeno-almoço ou à sobremesa. A mistura das uvas meio caramelizadas com o queijo ricotta dá um toque doce e fresco à pizza. E depois ainda tem uns pinhões tostados por cima para me deixar ainda mais babado.

Melhor ainda: para fazer esta receita do Jamie Oliver, só precisa de 15 minutos e de sete ingredientes. Isto se comprar a massa da pizza já pronta. Em alternativa, pode sempre fazer a massa em casa, seguindo a receita dele aqui. Mas eu, à sexta-feira à noite, sou um fiel adepto do mínimo trabalho possível com o máximo de sabor garantido. Especialmente desde que descobri a massa de pizza fininha e estaladiça pronta a utilizar.

Além da massa, separe uvas brancas e pretas cortadas ao meio, uma colher de sopa de pinhões, alecrim fresco, açúcar (a receita original é com açúcar de baunilha, mas eu vou fazer com açúcar mascavado), vinho branco e queijo ricotta. Para saber as quantidades certas de cada ingrediente, consulte a receita original aqui.

4b08b621b7294b4aa2499542a905f40e--grape-recipes-veggie-recipes.jpg

 

batata doce no forno com uvas, mel e queijo de cabra, o brunch mais original dos últimos tempos

A grande vantagem da batata doce é que é um todo-o-terreno da cozinha. Tanto fica deliciosa ao almoço, ao pequeno-almoço ou ao jantar. Tanto pode ser comida sozinha ou a acompanhar. Tanto resulta em panquecas, em batidos ou inteira. E tanto pode ser roxa, amarela, cor-de-laranja ou esbranquiçada.

Seja de que maneira for, é sempre uma maravilha de nos fazer perder a cabeça. Então a minha querida Mulher Mistério tem suores frios só de passar ao lado de uma banca com batata doce. E é exactamente por causa desta sua paixão semi-bígama que eu hoje vou fazer esta pequena preciosidade ao pequeno-almoço. A receita é do fabuloso blog How Sweet it Is e junta à batata doce umas irresistíveis uvas assadas no forno.

Tudo o que vai precisar é de batata doce, uvas pretas sem grainhas, óleo de canola (a receita original sugere óleo de grainhas de uvas, mas canola também fica óptimo), flor de sal, pimenta, queijo de cabra, mel, canela em pó e noz moscada. Para saber as quantidades certas de cada ingrediente, consulte a receita original aqui.

rgsp-1-3.jpg

 

bolinhas de uvas com queijo de cabra e avelãs, um aperitivo original e irresistível

O que fazer quando temos uma filha adolescente a quem pergunto se sabe quem é (apontando para uma fotografia de Agustina Bessa-Luís) e ela diz-me:

- Sei perfeitamente, mãe. É a Agatha Christie.

- Não, sua ignara, é a Agustina Bessa-Luís.

- Ah, claro. A Cristina Bessa-Luís. Sei perfeitamente.

Além de iletrada, é surda. Irra. Resposta à pergunta retórica no início deste texto: Vou para a cozinha afogar as mágoas num copo de vinho branco. E foi ao primeiro gole que tive uma epifania. Lembrei-me de fazer um aperitivo fantástico e original que descobri há uns tempos no blog Eat Well 101: bolinhas de uvas com queijo de cabra e avelãs. São irresistíveis e viciantes. Só preciso de uvas pretas e brancas (de preferência sem grainhas), queijo de cabra, avelãs e pistácios sem casca e mel. Se quiser saber as quantidades certas destes ingredientes, espreite aqui a receita original.

last-minute-appetizer-recipes.jpg

 

salada de rúcula com uvas, cajus, trigo integral e vinagrete de pimenta preta, um prato para refrescar o antónio costa

Depois de mousses de chocolate, depois de tostas com queijo crocante, depois de sopas de peixe dentro de pães algarvios, estou de castigo. Ela proibiu-se de cozinhar qualquer prato com mais de 20 calorias. Por isso, os próximos dias vão ser de saladas, legumes e alguma água. É verdade que esta deliciosa receita do fantástico blog Pinch of Yum, um dos meus favoritos, vai ligeiramente para lá das 20 calorias, mas como Ela ainda não encarnou no corpo da Ágata Roquette acredito que não perceba a pequeníssima diferença de 286 calorias que separam as 20 das 306. Seja como for, é light. E saudável. E deliciosa.

Arugula-Salad-with-Grapes-2-3.jpg

 

 

tostas de ricotta com uvas assadas e tomilho: o meu lanche ou o meu jantar? (as minhas dúvidas existenciais)

Se uns se dedicam a tentar descobrir o sentido da vida ou a tentar perceber quem somos, donde viemos e para onde vamos, eu dedico-me a pequenas grandes dúvidas existenciais: será que esta receita é um pequeno-almoço, um almoço, um lanche ou um jantar? São estes pequenos dilemas que enchem o meu espírito e me preenchem a alma e que são rapidamente resolvidos com pensamentos profundos, como: "Tal como o Natal, é quando o Homem quiser..." Ou seja, pode ser o que nos apetecer, pois, claro! Confesso que o que me chamou a atenção nesta original receita do blog alexandra cooks foram as uvas assadas no forno. Fiquei com água na boca só de imaginar. Esta não é propriamente uma receita light mas se o pão for integral e se comer só uma fatia (ou duas, vá!) também não será grave.

bruschetta121.jpg

 

 

uvas em gelo com chocolate lascado e shots de grappa: o petisco ideal para acompanhar a abertura dos presentes este natal

Adoro receitas de doces. E gosto mais ainda de receitas fáceis. Por isso esta maravilhosa receita do Jamie Oliver entra já direitinha para o meu top de preciosidades a fazer neste Natal. 

Caros elementos da vasta Família Mistério (muitos dos quais não sonham o que nós fazemos e outros não sonham sequer o que é um blog), tenho um importante anúncio a fazer: na ceia de Natal, depois do jantar e no momento de nos atirarmos aos presentes como hienas a um pobre esqueleto, será servido na Mansão Mistério este doce-petisco, para ir picando enquanto se rasga furiosamente papéis de embrulho. Estou a falar de uvas congeladas com chocolate e grappa, a deliciosa e suave aguardente italiana.

 

Ingredientes 

  • Uvas pretas
  • 1 tablete de chocolate preto
  • 1 tablete de chocolate de amêndoa
  • 1 tablete de chocolate de avelã
  • 1 garrafa de grappa

220_1_1349865946_lrg.jpg

Só precisa de colocar as uvas e a garrafa de grappa no congelador três horas antes de servir. Na altura de levar para a sala, coloque as tabletes de chocolate dentro de um saco e bata-as contra o balcão da cozinha, para se partirem em lascas grandes, desordenadas e misturadas. Faça uma pilha com os pedaços de chocolate em cima de uma tábua de madeira bonita. Coloque as uvas congeladas ao lado e sirva com shots de grappa. Vai ver o que é a maravilhosa combinação dos sabores dos três chocolates (do mais doce ao mais amargo), com as uvas congeladas e a suavidade forte da grappa. Se não gostar de grappa (eu adoro!) pode também experimentar com licor de limoncello que, apesar de ser doce, não deve ser nada mau.

E é assim que faz pequenas bolas de gelado de uva com chocolate sem ter o mínimo de trabalho. Está a ver uma melhor maneira de acompanhar a abertura dos seus presentes de Natal?

 

Bons doces para si neste Natal onde quer que esteja,

Ele

 

receita e foto: jamie oliver

salada de uvas, um ótimo almoço para levar para o escritório ou para fazer este fim de semana

Depois do fantástico jantar no Station, os remorsos voltaram a atacar. Porquê, meu Deus? Porquê? Porque é que não resisto a um menu delicioso, porque é que eu não posso ver um prato à frente? Porque é que não sou daquelas que comem, comem e comem, e não engordam (ou dizem que comem, comem e comem, e não engordam…) Paciência. É a vida. Vou voltar a fechar a boca e dedicar-me às saladas. Mas também não sou masoquista. Salada sim, mas com pelo menos um ingrediente para me animar o dia. Desta vez escolhi uvas (sim, eu sei que não é o fruto ideal para quem está de dieta, mas convenhamos, ninguém merece uma salada nua e crua, sem um pequeno pecado). A receita é da foodnetwork e é simples, prática e deliciosa.

RX-CA-Grapes_Fresh-Classic-Grape-Salsa_s3x4_jpg_re

 

 

sangria de vinho verde com melão, pepino, hortelã, lima e manjericão

Quando descobri esta receita não resisti a partilhar. Primeiro, porque adoro sangria, depois porque adoro melão e uvas, e terceiro porque adorei descobrir num blog de uma americana a receita de uma sangria de vinho verde português. E gostei mais ainda da descrição que ela faz do nosso vinho verde: "sempre fui fã do italiano Prosecco (gasoso e, claro, seco), por isso fiquei fascinada quando descobri o seu parente mais suave, o vinho verde português. Se o Prosecco é como a língua italiana – impetuoso e um pouco atrevido, o vinho verde é como o português – subtil e aveludado, como um suspiro". Fiquei rendida a esta descrição, e por isso, mais rendida fiquei a esta deliciosa e surpreendente receita do blog The Bojon Gourmet.

17440446_0cWhp.jpeg

  

gin g'vine com uvas e lima (o meu remédio para o adiamento do benfica-sporting)

 

Não! Socorro! Não quero acreditar! Por amor de Deus! Isto não é possível! (Se calhar, é melhor acabar com as exclamações para não dar cabo da tecla...) Depois de uma tarde a preparar os petiscos, depois de ter subscrito a Benfica TV, depois de me ter sentado à frente da televisão e depois de ter esperado, esperado, esperado para ver as equipas entrar em campo, só consegui ver o Estádio da Luz a cair. Não é que não seja um espectáculo emocionante, mas francamente não era disto que eu estava à espera. E quando sou surpreendido, só tenho uma saída: chama-se G'Vine Floraison e deve ser servido com uvas e lima (também fica bem com uvas e framboesas, mas infelizmente os frutos vermelhos tinham acabado ontem). Por isso, enquanto Bruno Carvalho e Luís Filipe Vieira acordavam o adiamento do Benfica-Sporting para terça-feira, eu relaxava - não com um Lexotan, mas com um gin tónico.

Com toda a tranquilidade - como diz o Paulo Bento - refresquei o copo, rodando três grandes pedras de gelo. Depois coloquei lá dentro duas uvas inteiras e uma casca de lima. Despejei um cálice de G'Vine Floraison e mexi tudo umas três ou quatro vezes. Finalmente, abri uma garrafa de água tónica Fever Tree Mediterranean e juntei com mais gelo. Sentei-me outra vez à frente da televisão, dei um gole e pensei: será que isto foi uma manobra da UEFA para testar a evacuação do Estádio da Luz antes da final da Liga dos Campeões? Quando acabei a bebida, já não tinha dúvidas.

 

Ingredientes

- 1 cálice de G'Vine Floraison

- 1 tónica Fever Tree Mediterranean

- 2 uvas verdes

- 1 casca de lima

 

 

Um abraço para a cobertura do Estádio da Luz, onde quer que ela esteja,

Ele