Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

linguine com ervilhas e vieiras salteadas, a receita ideal para um jantar a dois

Preciso de confessar aqui publicamente uma coisa: tenho um marido fantástico. O meu querido Marido Mistério é atencioso, generoso, um ótimo pai e cozinha lindamente. Ainda por cima é, como diria a minha avó, “um bonito rapaz”. Claro que não tem jeito nenhum para fazer a cama, deixa a roupa espalhada pelo quarto e vive a assoar-se mas ninguém é perfeito, não é? Por isso, hoje vou eu fazer-lhe uma surpresa: vou para a cozinha! Descobri esta receita fácil, no sugestivo blog Skinny Taste, e vou arriscar. Também sou amorosa, não sou? Ele vai adorar porque ele é completamente apaixonado por vieiras (receio que goste mais delas do que de mim) e eu estou feliz da vida porque ainda por cima só tem 374 calorias por pessoa!

Só vou precisar de linguine (integral de preferência), ervilhas congeladas, salsa picada, azeite extra-virgem, manteiga, vieiras limpas, flor de sal e pimenta moída.

Se quiser saber as quantidades certas de cada ingrediente, para 2 pessoas, espreite aqui a receita original.

linguini-with-scallops-and-peas.jpg

 

 

vieiras com molho de pesto e microgreens, o meu jantar chiquérrimo e super light!

Drama. Pânico. Hoje tenho um jantar cá em casa e... estou de dieta. Para variar. Que neura. Raios partam a minha eterna dieta! Pronto. Já desabafei. O que é que eu vou servir a uns convidados com os quais até faço alguma cerimónia e que não têm a menor culpa da minha maldita dieta? Um prato chiquérrimo e light, pois claro. Procurei, pesquisei, procurei e pesquisei outra vez... e encontrei a solução para o meu problema. Esta fantástica receita, do blog love and olive oil, de vieiras com molho de pesto e microgreens. Além de ser rápida (demora cerca de 20 minutos) e facílima de se fazer, um prato com vieiras impressiona qualquer gourmet. Ah e tal, mas vão todos morrer de fome. Claro que não: além de um bom acompanhamento, sirvo antes uma sopa de beterraba, por exemplo. E para sobremesa tenho duas opções: ou esta saudável barra de chocolate picante ou esta maravilhosa gelatina de gin tónico com lima, também inacreditavelmente light. 

Para as vieiras, vou precisar de manjericão fresco, salsa, alho, sal, sumo de limão, azeite aromatizado, as vieiras, claro, sal e pimenta, e microgreens para decorar. Se quiser saber as doses certas para 2 pessoas, espreite aqui a receita original.

seared-scallops-pistou2.jpg

 

a comida maravilhosa (e o calor insuportável) do cantinho do avillez em lisboa

Cantinho4 (1).jpg

Entrar no Cantinho do Avillez num destes dias de calor típico de Agosto é como cruzar a Etiópia de uma ponta à outra ao meio-dia. Pelo menos, se ficar na sala em que nós ficámos. É que, apesar de ser a última sala inaugurada do restaurante em Lisboa, tem um ar condicionado que funciona ao ritmo de um tractor alentejano a rasgar furiosamente a auto-estrada. Pode pedir para abrir a porta, para fechar a porta, para entreabrir a porta. Pode pedir para virar as duas ventoinhas para si. Mas esqueça. A única solução para transformar esta sala do restaurante num sítio fresco é conseguir convencer José Avillez a comprar um ar condicionado novo. Ou então fazer-se acompanhar daquela T-shirt de manga cava que tem escondida no armário ao lado dos calções de licra de ciclista.

Feito este reparo, a grande questão coloca-se: vale a pena ir ao Cantinho do Avillez? Vale sim, senhor. Por isso, escolha um dia mais fresco, prepare a T-shirt de manga cava e faça a sua reserva.

 

 

vieiras com molho de caipiroska, a nossa forma de celebrar o carnaval

IMG_0229.JPG

Nunca tive muita paciência para o Carnaval. Aquelas imagens de adultos mascarados de bebés, homens mascarados de mulheres, mulheres descascadas como se estivessem no Sambódromo do Rio de Janeiro com 30º C, mas infelizmente estão nas ruas de Torres Vedras ou em Loulé com 8º C, são sinceramente, para mim, a visão do demo. Mas cada um sabe de si e diverte-se como quer. E cá em casa nós divertimo-nos a comer, claro. Como a troika não nos deixa ir ao Brasil, onde aí sim, se brinca à séria ao Carnaval, decidi celebrar este não-feriado com muito estilo. Como? Com uma entrada chique, super light, com sabor a Brasil, que descobri aqui. Senhoras e senhores, apresento-vos: vieiras com molho de caipiroska. Atenção: quando comprar vieiras, opte por frescas em vez de congeladas. Procure as mais carnudas e brancas. E não se esqueça de trazer as conchas que pode usá-las e reutilizá-las.

 

 

fomos ao novo oui, moules & huîtres e adorámos (além de termos comido ostras a €1,50)

Quando eu entro num restaurante e vejo que a ementa é feita de ostras, mexilhões e vieiras, tenho a mesma sensação de satisfação súbita que percorre a espinha do Vítor Gaspar quando entra numa sala e tem à sua frente o FMI, a Comissão Europeia e o Banco Central Europeu. O prazer que Gaspar tem com a troika da austeridade eu tenho com a troika do marisco. E posso garantir que a minha troika é muito mais saborosa para mim e muito menos inofensiva para si.

Agora imagine o que senti ao entrar num restaurante que se chama Oui, Moules & Huîtres.

 

 

novidade! novidade! abriu em lisboa um restaurante de o deixar a babar (e onde pode almoçar por €12)

Era isto que eu temia: mais um restaurante fantástico em Lisboa, mais um motivo para o Casal Mistério mudar de nome para Casal Gordério. O cerco está a apertar-se, cada vez há mais novos restaurantes e cada vez há mais sítios onde se pode comer muito e bem. E o Apicius – que descobrimos através do Facebook da nova revista New in Town – é um dos últimos exemplos desta tendência que está a transformar as nossas barrigas em pequenos globos terrestres. Aberto há pouco mais de um mês, onde antes estava o Umai, de Paulo Morais, é um restaurante pequeno, descontraído e com um chef que nasceu com um talento invulgar para criar arte comestível.