Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

casal mistério

Ele cozinha, ela viaja. Quando estão fora, testam e avaliam restaurantes, bares e hotéis. Quando se juntam em casa, escrevem sobre o que viram: o bom, o mau e o péssimo.

um terraço imperdível para ver o fantástico pôr-do-sol de setembro

11659218_962458937108099_5609165841552814365_n.jpg

Só há uma coisa capaz de me animar depois de uma deprimente segunda-feira de Setembro: uma terça-feira de Setembro. Mas, antes que me arrume definitivamente no lado Tino de Rans da inteligência humana, deixe-me explicar: tem de ser uma terça-feira com um pôr-do-sol típico de Setembro, quando o céu se enche de dezenas de tons de encarnado ao fim do dia. Mas estas cores só existem em Setembro? Sei lá (pare de fazer perguntas difíceis nessa cabeça!), o que interessa é que existem em Setembro – e que eu tenho o sítio ideal para as ver.

 

 

150760_958254094195250_2515908502310848389_n.jpg

Primeira pista: é um terraço. Segunda pista: fica em frente do Castelo de São Jorge. Terceira pista: tem vista para a Baixa de Lisboa e para o Rio Tejo. Quarta pista: tem óptimos gins. Quinta pista: o que é que ainda está aqui a fazer a ler estas profundas considerações sobre um bar em vez de estar já a caminho de lá? Calculei, não tem resposta, não é?

 

O ambiente

Como dizia o grande Odorico Paraguaçu, "o melhor é botar de lado os entretantos e partir para os finalmente". O rooftop do Hotel Mundial, no Martim Moniz, em Lisboa, tem provavelmente a melhor vista para o castelo de São Jorge. Se tem dúvidas, o melhor é confirmar...

1560392_958255634195096_8885183236096767985_n.jpg

É isso, não é? Mas não é tudo. Daqui, ainda consegue ver a Praça da Figueira, as ruas da Baixa e o Rio Tejo lá ao fundo. Do outro lado, o Chiado e o Bairro Alto. É difícil encontrar um sítio mais simpático. O ideal é chegar ainda de dia, apanhar a luz de fim de tarde e ver como as cores vão mudando com o início da noite.

1512417_962448823775777_5669051854725503986_n.jpg

Ainda por cima, o espaço é simpático e confortável. Há bancos altos com almofadas no assento, o que para senhores a caminho de uma certa idade como estes vossos amigos é importante; há bancos baixos iguais; e há sofás com encostos de braços e almofadões, o que até seria uma tentação para a minha própria avó. Tudo isto em branco, o que contrasta lindamente com o chão do deck em madeira escura. E se acha que falta alguma coisa, ainda tem uns elegantes candeeiros brancos iluminados dos pés à cabeça.

A música é alta e animada, com DJ e um ambiente alegre e descontraído. Nada de ritmos calminhos ou de climas chill out.

18716_962459000441426_4655223160834558955_n.jpg

As bebidas

Há sangrias, cocktails, sumos, mojitos, caipirinhas... mas eu paro no gin, mal percebo que tenho uma garrafa de Fever Tree para acompanhar. Aqui escolhi um magnífico Sharish (€13,10) servido apenas com uma fina fatia de maçã verde – e, claro, com uma Fever Tree Mediterranean. Tem um levíssimo aroma adocicado e fresco da fruta e vem com enormes pedras de gelo. A mim serviram-me num copo de balão baixo, mas eu vi outros copos típicos de gin a circular, por isso presumo que tenham acabado. Seja como for, estava fantástico. Ela preferiu uma imperial bem gelada porque alguém a convenceu de que a cerveja não engorda.

O único problema foi quando chegou o teste do aperitivo. Em vez de umas amêndoas tostadas, de uns pistácios ou de uns cajus (mais condizentes com o preço do gin), trouxeram-me umas batatas fritas razoáveis e uma peregrina mistura de amendoins e frutas cristalizadas. Vamos lá ver, amendoim ainda se aguenta, agora fruta cristalizada?! Senti-me como se estivesse a comer um bolo-rei.

1911965_968505156503477_3916231312275564752_n.jpg

O serviço

Foi simpático e disponível. Serviu à mesa até que, subitamente, por volta das 20h30, o bar foi tomado de assalto por uma pequena multidão que entupiu o serviço, e até os pedidos no bar, durante cerca de meia hora. Depois, tudo voltou à normalidade.

 

O bom

O gin tónico bem servido

O mau

Os aperitivos com frutas cristalizadas

O óptimo

A vista para o Castelo de S. Jorge, o rio e a baixa

 

 

Um bom terraço para si onde quer que o pôr-do-sol esteja,

Ele

 

fotos: rooftop hotel mundial

 

2 comentários

Comentar post